Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/2344
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_PlanejamentoFamiliar.pdf90,99 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Planejamento familiar : a autonomia das mulheres sob questão
Outros títulos: Family planning : a matter of women’s choice
Autor(es): Guilhem, Dirce
Costa, Ana Maria
Silver, Lynn Dee
Assunto: Serviços de planejamento familiar
Mulheres - saúde e higiene
Anticoncepção
Data de publicação: 2006
Referência: GUILHEM, Dirce et al. Planejamento familiar: a autonomia das mulheres sob questão. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 6, p. 75-84, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v6n1/a09v6n1.pdf>. Acesso em: 26 nov. 2009.
Resumo: Objetivos: verificar as condições de acesso das mulheres às atividades de atenção e aos métodos contraceptivos no Brasil. Métodos: inquérito exploratório por questionário auto-aplicado em amostra de municípios, probabilística, aleatória e estratificada por região geográfica e por dimensão populacional. Resultados: os resultados, obtidos por aplicação de fatores de expansão da amostra, abrangem 5507 municípios. Destaca-se a elevada priorização do planejamento familiar associado à região geográfica e ao tamanho do município. A estimativa de cobertura atendida está associada à modalidade de gestão.O diafragma não é oferecido por 79,5% de 5.358 municípios e apenas 6,6% deles atendem à demanda por diafragma superior a 75%, contrastando com os injetáveis, para os quais 13,4% de 5314 municípios conseguem atender a mais que 75% da demanda. A atenção à infertilidade não é realizada em 72,9% dos municípios brasileiros (n=5349) e, em apenas 5,9% deles, são atendidas demandas superiores a 75%. Conclusões: os resultados encontrados denunciam a dissociação entre as práticas educativas e a rotina de atenção ao planejamento familiar; restrições qualitativas e quantitativas de acesso aos métodos contraceptivos e ainda a baixa oferta de atenção à infertilidade. Ficam evidentes as condições de comprometimento do exercício da autonomia das mulheres quanto a livre escolha dos métodos contraceptivos.
Abstract: Objectives: to investigate women’s access to contraceptive methods. Methods: inquiry through a self-applied survey of a random sample (divided into geographic regions and population size). The study comprised all 5507 Brazilian municipalities. Results: an outstanding number of municipalities place a high priority on family planning in relation to geographic region and size. As for contraception availability, 79.5% of 5358 municipalities do not provide diaphragms, and only 6.6% meet over 75% of the demand. In contrast, more than 75% of the demand for injectable contraceptives is met in 13.4% of 5314 municipalities. Seventy two and nine percent (72.9%) of all Brazilian municipalities does not offer fertility treatment, and only 5.9% of the municipalities provide contraceptives to over 75% of the women seeking this service. Conclusions: findings indicate inconsistency between education and routines of family planning, quantitative and qualitative access restrictions to contraceptive methods and insufficient care for infertility. This scenario limits women freedom of choice.
Aparece nas coleções:ENF - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons