Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23369
Título: Sustentabilidade de comunidades isoladas com ênfase em gestão da água, gestão de energia e dimensão psicossocial : os Pelotões Especiais de Fronteira
Autor(es): Lannes, Maiza Seabra Nogueira
Orientador(es): Amorim, Cláudia Naves David
Assunto: Sustentabilidade
Comunidade isolada
Gestão ambiental
Energia - fontes alternativas
Água - uso
bem-estar social
Data de publicação: 25-Abr-2017
Data de defesa: 9-Fev-2017
Citação: LANNES, Maiza Seabra Nogueira. Sustentabilidade de comunidades isoladas com ênfase em gestão da água, gestão de energia e dimensão psicossocial: os Pelotões Especiais de Fronteira. 2017. xi, 289 f., il. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Nas últimas décadas, o desenvolvimento urbano evoluiu para uma abordagem integrada entre as edificações e o meio ambiente, o bairro e a cidade, na busca por um urbanismo sustentável. Surgiram sistemas de certificação de sustentabilidade voltados para bairros e cidades, tomando como base o caráter urbano de seu objeto, isto é, o fato de que a comunidade analisada é parte orgânica de um todo maior. No entanto, os sistemas de certificação atualmente disponíveis não se prestam à análise da sustentabilidade de comunidades isoladas. No presente trabalho, estuda-se a sustentabilidade, com ênfase nas gestão de água e energia e dimensão psicossocial, dos Pelotões Especiais de Fronteira (PEF), por serem comunidades isoladas, com função estratégica e possibilidades de ampliação e influência nas comunidades que surgem ao redor. O objetivo geral é contribuir para a avaliação da sustentabilidade de comunidades isoladas, a partir da construção de método que utiliza indicadores com especial foco nas dimensões água, energia e psicossocial. Parte-se da hipótese de que os sistemas de certificação de sustentabilidade para comunidades urbanas já existentes fornecem um referencial importante para a construção de um sistema de avaliação da sustentabilidade voltado a comunidades isoladas. A metodologia da pesquisa inicia-se com extensa revisão dos métodos existentes para avaliação de sustentabilidade urbana, identificando elementos comuns, compatíveis com as particularidades de comunidades isoladas, sob a ótica da gestão da água, da energia e da dimensão psicossocial, selecionando aqueles correspondentes a pelo menos duas dimensões para inclusão no método. Para verificar a aplicabilidade do método proposto e dos indicadores selecionados, foram entrevistados especialistas nas categorias avaliadas. Em seguida tomam-se como estudos de caso para aplicação do método seis Pelotões Especiais de Fronteira subordinados ao Exército brasileiro e localizados na Amazônia, pelo fato de serem comunidades isoladas, da mesma zona bioclimática, configuração urbanística semelhante e finalidades análogas. Efetuou-se em cada um dos PEF a análise qualitativa e quantitativa correspondente aos indicadores. Com base nos resultados obtidos, procedeu-se a um refinamento dos indicadores e efetuou-se aplicação final do método em outra comunidade isolada de características semelhantes. Como resultados obteve-se um método com 3 categorias de análise (gestão da água, gestão da energia e dimensões psicossociais), 4 subcategorias e 37 indicadores, sendo que 65% dos indicadores são relativos à dimensão psicossocial; 21% à gestão de energia e 14% à gestão da água, reforçando a importância da dimensão psicossocial em comunidades isoladas, já encontrada nos sistemas de certificação de sustentabilidade e na literatura existente. Os indicadores resultantes são em sua maioria qualitativos, mas para o consumo de água (l/hab/dia), consumo de energia (kWh/hab/dia) e para relação entre espaço construído e espaço aberto (%) foi possível obter indicadores quantitativos. Estes indicadores quantitativos, no entanto, não necessariamente são os melhores norteadores da situação de sustentabilidade, pois em situações de extrema precariedade todos os recursos devem ser utilizados; nestes casos, os indicadores psicossociais são extremamente importantes e devem ser valorizados. Embora os PEF tenham especificidades próprias, o método e os indicadores possibilitam o diagnóstico de uma comunidade isolada e a comparação entre comunidades isoladas distintas, permitindo a atuação no sentido da melhoria e da evolução da sustentabilidade.
Abstract: In the last decades, urban development has evolved towards an integrated approach between buidings and the environment, neighborhood and city, while aiming for a sustainable urbanism. Sustainability certification systems focused on neighborhoods and cities have emerged which are based on the urban features of its object, that is to say, the fact that the community to be evaluated is an organic part of a larger whole. However, the available certification systems are ill-suited for evaluating the sustainability of isolated communities. This work studies the sustainability of Army Special Border Units (SBU’s), with emphasis placed on its water management, energy management and psychosocial elements, given that these are isolated communities performing a strategic role, with potential for enlargement and influence on communities that spring up in the surroundings. The main goal is to contribute to the evaluation of the sustainability of isolated communities by means of the construction of a method that uses indicators with particular emphasis on the water, energy, and psychosocial dimensions. A hypothesis is posited according to which the existing sustainability certification systems for urban communities provide a useful reference for the creation of sustainability certification systems focused on isolated communities. The initial step of the methodology of this research comprises an extensive review of the existing methods for the evaluation of urban sustainability, so as to identify those elements common to all of them that relate to water management, energy management and psychosocial elements that are shown to be compatible with the peculiriaties of isolated communities, selecting for inclusion in the method those that correlate to at least two of the three dimensions. Specialists on the various evaluated categories were interviewed so as to check the applicability of the proposed method and the selected indicators. Six Army SBU’s located in the Amazon region are taken as case studies for the application of the method, given that thses units are isolated communities, belong to the same bioclimatic zone, have similar urban configurations, and share the same purpose. The qualitative and quantitative analyses relating to those indicators are performed in each of the SBU’s. Based on the results, the employed indicators were reassessed and the method was applied on another isolated community depicting similar features. As a result, a method was designed with 3 analysis categories (water management, energy management, and psychosocial dimensions), 4 subcategories, and 37 indicators, 65% of which relate to the psychosocial dimension, 21% to energy management, and 14% to water management, reinforcing the importance of the psychosocial dimension in isolated communities, already found in the existing sustainability certification systems and in the literature. Most resulting indicators are qualitative in nature, but for water consumption (liters per person per day), energy consumption (kWh per person per day), and floor area ratio (%), for which quantitative indicadors could be obtained. However, these quantitative indicators are not necessarily the most appropriate measure of the sustainability panorama, given that resource-poor settings require the use of all existing means, in which case psychosocial indicators are extremely important and should be valued accordingly. Even though SBU’s have their specificities, the method and the indicators allow the appraisal of an isolated community and comparison between distinct isolated communities, enabling actions for the improvement and the evolution of sustainability.
Descrição: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FAU - Doutorado em Arquitetura e Urbanismo (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MaizaSeabraNogueiraLannes.pdf6,16 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.