Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23282
Title: A influência dos valores humanos individuais e da atitude frente à arma de fogo no medo do crime : estudo comparativo de uma região administrativa do Distrito Federal
Authors: Macedo, Francisco Guilherme Lima
Orientador(es):: Torres, Cláudio Vaz
Assunto:: Valores humanos
Atitude (Psicologia)
Medo
Armas de fogo
Issue Date: 17-Apr-2017
Data de defesa:: 10-Feb-2017
Citation: MACEDO, Francisco Guilherme Lima. A influência dos valores humanos individuais e da atitude frente à arma de fogo no medo do crime: estudo comparativo de uma região administrativa do Distrito Federal. 2017. xii, 203 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Abstract: Este estudo teve por finalidade definir como os Valores Humanos Individuais e a Atitude Frente à Arma de Fogo influenciam o Medo do Crime em uma Região Administrativa do Distrito Federal. O medo do crime constitui-se em um fenômeno multidimensional, constituído pelas muitas possibilidades de reação diante de situações definidas como perigosas, bem como da própria representação do que seria uma ameaça, situando-se em uma fase de maturação teórica e empírica, em que pese já ser estudado há algumas décadas em outros países, tornando a utilização de outras variáveis imprescindível para um entendimento mais completo deste objeto de estudo, destacando-se neste contexto os Valores Humanos Individuais e a Atitude Frente à Arma de Fogo. Para atender a esse propósito, 834 respondentes residentes na Região Administrativa de Ceilândia preencheram um questionário com 3 escalas, Medo do Crime (EMC), Portrait Values Questionnaire Revised (PVQ-R) (Schwartz et al., 2012) e a Escala de Atitude Frente à Arma de Fogo (Nascimento, Pimentel & Adaid-Castro, 2016). Dos respondentes, 414 são representantes da população em geral – média de 32,26 anos (dp=0,50), com 55,8% de mulheres, 51,0% de solteiros, 78,2% com ensino fundamental ou médio – e 420 são estudantes universitários – média de 26,03 anos (dp=7,09), 54% de mulheres, 67,6% solteiros, e 100% de graduandos ou graduados. Os resultados indicaram uma predição entre Valores Humanos Individuais e Medo do Crime, e entre aqueles e Atitude Frente à Arma de Fogo, não sendo constatada tal relação entre Atitude Frente à Arma de Fogo e Medo do Crime, o que descartou a possibilidade de mediação, por parte da Atitude Frente à Arma de Fogo, entre Valores Humanos Individuais e Medo do Crime. Foram observadas relações significativas entre Medo do Crime e os tipos motivacionais de 2ª ordem dos Valores Humanos Individuais, com relações positivas entre aquele e os tipos de conservação e autotranscendência, e negativa entre aquele e o tipo de abertura à mudança. Com relação à Atitude Frente à Arma de Fogo e os Valores Humanos Individuais, foram encontradas relações significativas entre aquela e os tipos motivacionais de conservação e autopromoção, em sentidos inversos, demonstrando que existem restrições dos indivíduos à arma de fogo, sendo esta ligada a panoramas negativos de violência – índices criminais, acidentes e incidentes com mortes, entre outros – e ao próprio cenário de limitação de acesso legal a estas (Silva & Beato Filho, 2013). Na relação entre Medo do Crime e a Atitude Frente à Arma de Fogo, mesmo não encontrando resultados significativos em nenhuma das amostras entre as variáveis, foram verificadas na amostra 2 associações significativas entre medo do crime e os três fatores da atitude frente à arma de fogo, direitos, crime e proteção. Não foram encontradas diferenças significativas entre as amostras com relação ao medo do crime e, como resultado secundário, obteve-se predição entre sexo e medo do crime, com diferenças significativas entre os sexos e maiores níveis de medo para as mulheres. Como limitações da pesquisa foram verificados: a utilização do autorelato; a ausência de outras variáveis atitudinais, de normas sociais, e outras que possam auxiliar no aprimoramento da pesquisa. Como agenda de pesquisa sugere-se o aprimoramento da medida de medo do crime, com a construção qualitativa de novos itens para medo do crime; a coleta em outras regiões do DF e em outras unidades federativas; e, a inclusão de outras variáveis mediadoras e moderadores na relação entre Valores Humanos e Medo do Crime.
???metadata.dc.description.abstract1???: The mains purpose of this research was to define how Individual Human Values and Attitude toward Guns influence the Fear of Crime in an Administrative Region of the Distrito Federal. The fear of crime is a multidimensional phenomenon, constituted by the many possibilities of reaction to situations defined as dangerous, as well as the representation of what would be a threat, and is in a theoretical and empirical maturation phase, despite being studied a few decades ago in other countries, being essential use of other variables for a more complete understanding of this object of study, highlighting in this context Individual Human Values and Attitude toward Guns. To achieve this objective, 834 respondents residing in the Administrative Region of Ceilandia completed a questionnaire with 3 scales, Fear of Crime (FCS), Portrait Values Questionnaire Revised (PVQ-R) (Schwartz et al., 2012) and the Attitude Toward Guns (Nascimento, Pimentel & Adaid-Castro, 2016). Of the respondents, 414 are representatives of the general population – M = 32.26 years (DP = 0.50), 55.8% of women, 51.0% of unmarried, 78.2% with elementary or middle school – and 420 are university students – M = 26.03 years (SD = 7.09), 54% of women, 67.6% singles, and 100% of graduating students or graduates. The results indicated a prediction between Individual Human Values and Fear of Crime, and between those and Attitude to the Firearm, not being found such a relationship between Attitude Against the Firearm and Fear of Crime, which ruled out the possibility of mediation, by the Attitude toward Guns, between Individual Human Values and Fear of Crime. Significant relationships between Fear of Crime and the second-order motivational types of Individual Human Values were observed, with positive relations between it and types of conservation and self-transcendence, and negative relationships between it and the type of openness to change. Regarding the Attitude toward Guns and the Individual Human Values, significant relationships were found between it and the motivational types of conservation and self-interest, in opposite directions, demonstrating that there are restrictions of the individuals to the guns, being this linked to panoramas – criminal indices, accidents and incidents with deaths, among others – and to scenario of limiting legal access to these (Silva & Beato Filho, 2013). In the relationship between Fear of Crime and Attitude toward Guns, even though no significant results were found in any of the samples among the variables, on the sample 2 were observed significant associations between fear of crime and the three factors of attitude toward guns, rights, crime and protection. No significant differences were found between the samples regarding fear of crime and, as a secondary result, prediction was obtained between sex and fear of crime, with significant differences between sexs and higher levels of fear for women. As limitations of the research were verified: the use of self report; the absence of other attitudinal variables, of social norms, and others constructs that may aid in the improvement of the research. As agenda it is suggested to improve the measure of fear of crime, with a qualitative construction of new items; the collection in other administration regions of the Distrito Federal and other Brazilian States; and the inclusion of other mediating and moderators variables in the relationship among Human Values and Fear of Crime.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PSTO - Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_FranciscoGuilhermeLimaMacedo.pdf2.09 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.