Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23273
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_CarlosAlbertoLeiteJunior.pdf528,94 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Uma análise do PROER 20 anos depois
Autor(es): Leite Junior, Carlos Alberto
Orientador(es): Nascimento Junior, Antônio
Assunto: Sistema financeiro
Política fiscal
Risco sistemático
Data de publicação: 13-Abr-2017
Referência: LEITE JUNIOR, Carlos Alberto. Uma análise do PROER 20 anos depois. 2016. 46 f., il. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Economia do Setor Público)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: A partir da implementação do Plano Real e consequente estabilização do nível de preços no Brasil, o setor financeiro apresentou problemas de liquidez e solvência. Até o final dos anos 80, as questões relacionadas a saída do mercado bancário brasileiro se dava pelo poder discricionário do Banco Central. A estrutura patrimonial decorria da multiplicação de bancos e suas filiais, de vez que os depósitos, mesmo quando remunerados, não ofereciam proteção perfeita contra a deterioração do poder de compra da moeda. O padrão de rentabilidade refletia o ganho inflacionário (ex: utilização de depósitos não remunerados e aplicados em ativos remunerados) como fonte de receita operacional. Assim, com a implementação do Plano Real e consequente estabilização de preços, vários bancos apresentaram dificuldades. A ameaça de “quebra” de relevantes instituições financeiras exigiria da autoridade supervisora a formulação de nova organização normativa, a fim de evitar a quebra de confiança no sistema bancário e provocar a corrida aos bancos. Nesse sentido, o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (PROER) foi baseado em dois principais pilares: a manutenção da estabilidade do sistema de pagamentos, via garantia de depósitos dos aplicadores; e a penalização da má gestão bancária, via transferência do controle acionário dos bancos socorridos pelo Programa. As instituições problemáticas foram divididos em “banco bom” e “banco ruim”, o primeiro sendo adquirido por outra entidade e o segundo liquidado pelo BC. Ao todo, as operações do PROER somaram aproximadamente até R$ 20,4 bilhões, correspondendo 0,9 do PIB, contra custos médios de 12,8% do PIB observados em 40 países, conforme estudo publicado pelo Banco Mundial em maio de 2000.
Abstract: From the implementation of the Real Plan and consequent stabilization of the price level in Brazil, the financial sector presented problems of liquidity and solvency. Until the end of the 1980s, the issues related to the exit of the Brazilian banking market were due to the discretionary power of the Central Bank. The equity structure resulted from the multiplication of banks and their subsidiaries, since deposits, even when remunerated, did not offer perfect protection against the deterioration of the currency's purchasing power. The profitability pattern reflected the inflationary gain (ex: use of unpaid deposits and applied in remunerated assets) as a source of operating income. Thus, with the implementation of the Real Plan and consequent price stabilization, several banks presented difficulties. The threat of insolvency of relevant financial institutions would require the supervisory authority to formulate a new normative organization in order to avoid breaching confidence in the banking system and provoke the race to the banks. In this sense, the Program for Stimulating Restructuring and Strengthening of the National Financial System (PROER) was based on two main pillars: the maintenance of the stability of the payment system, through the deposit guarantee of the applicators; And the penalization of bank mismanagement, by transferring the share control of the banks rescued by the Program. The problematic institutions were divided into "good bank" and "bad bank", the first one being acquired by another entity and the second settled by the CB. In all, PROER operations totaled approximately R $ 20.4 billion, corresponding to 0.9% of GDP, compared to average costs of 12.8% of GDP observed in 40 countries, according to a study published by the World Bank in May 2000.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Economia, 2016.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:ECO - Mestrado em Economia do Setor Público (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.