Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23223
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_AndréFilipeJustino.pdf770,83 kBAdobe PDFView/Open
Title: Por uma abordagem antropológica da infância e da deficiência : duas categorias sob o olhar de um antropólogo
Authors: Justino, André Filipe
Orientador(es):: Lobo, Andréa de Souza
Assunto:: Antropologia
Teoria Queer
Infância - aspectos sociais
Issue Date: 7-Apr-2017
Citation: JUSTINO, André Filipe. Por uma abordagem antropológica da infância e da deficiência: duas categorias sob o olhar de um antropólogo. 2017. 90 f., il. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Abstract: Esta dissertação é resultado de um investimento teórico na Antropologia da Infância e da Criança e nos estudos da deficiência, surgidos nos Estados Unidos e Reino Unido entre os anos 60 e 70 do século passado. Busco refletir sobre diversas concepções de infância que são possíveis a partir de trabalhos de cunho etnográfico e pensar os discursos de poder inerentes às relações entre adultos e crianças, por um lado. Por outro lado, construo o percurso teórico do modelo social da deficiência como uma vertente oposta ao modelo biomédico hegemônico, inserindo as contribuições da epistemologia feminista e, posteriormente, da teoria queer e a noção de identidades performáticas e compulsórias. Feito isso, invisto nas proximidades dos dois campos, buscando uma relação que me permita pensar uma abordagem antropológica da criança deficiente, no sentido de construir um projeto futuro.
Abstract: This dissertation is the result of a theoretical investment in Anthropology of Childhood and Children and in disability studies that emerged in the United States and the United Kingdom between the 1960s and 1970s. I try to reflect on several conceptions of childhood that are possible from ethnographic works and to think about the discourses of power inherent to the relationships between adults and children, on the one hand. On the other hand, I construct the theoretical course of the social model of disability as an opposing strand to the hegemonic biomedical model, inserting the contributions of feminist epistemology and, later, queer theory and the notion of performative and compulsory identities. Having done this, I invest in the proximity of the two fields, seeking a relation that allows me to think of an anthropological approach of the disabled child, in the sense of building a future project.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, 2017.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:DAN - Mestrado em Antropologia (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/23223/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.