Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/23171
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_HirandeGusmãoTrindade.pdf4,73 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Populações tradicionais e conflitos socioambientais no cerrado : o caso do complexo de unidades de conservação de Terra Ronca-GO
Autor(es): Trindade, Hiran de Gusmão
Orientador(es): Nogueira, Mônica Celeida Rabelo
Assunto: Cerrados
Conflito socioambiental
Unidade de conservação ambiental
Data de publicação: 3-Abr-2017
Referência: TRINDADE, Hiran de Gusmão. Populações tradicionais e conflitos socioambientais no cerrado: o caso do complexo de unidades de conservação de Terra Ronca-GO. 2016. 138 f., il. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: O Cerrado é um dos cinco biomas brasileiros, formado por ecossistemas de savanas, matas, campos e matas de galeria que ocorrem na região central do Brasil, ocupando aproximadamente 21% do território do país. Considerado a savana mais rica do mundo, o Cerrado é um dos hotspots mundiais. É também espaço de vida e de trabalho para inúmeras comunidades indígenas, remanescentes de quilombo e diversas outras populações tradicionais que historicamente ocupam as paisagens desse bioma, tendo a ele se adaptado ecologicamente. Os sistemas produtivos dessas populações tradicionais se caracterizam, em geral, pela combinação entre atividades agrícolas, a criação de animais (especialmente gado) e o extrativismo de espécies nativas - atividades que juntas integram o que é chamado agroextrativismo. Para essas populações, é vital a conservação tanto dos recursos naturais, como também de seus territórios sociais, necessários à sua reprodução física, social e cultural. No Brasil, uma das estratégias para garantir a conservação da sociobiodiversidade e a reapropriação de áreas historicamente ocupadas, sob a perspectiva de seu uso comum e sustentável, tem sido a criação de Unidades de Conservação (UCs). Entretanto, tal estratégia nem sempre é eficaz. O presente trabalho aborda a criação de duas Unidades de Conservação contíguas, uma de proteção integral e outra de uso sustentável, na região de Terra Ronca, um dos últimos remanescentes de Cerrado no estado de Goíás. Não obstante a importância ambiental da região, a criação dessas duas UCs confinou a população local entre elas, deflagrando o conflito socioambiental que é focalizado neste estudo. Os dados foram levantados por meio de pesquisa qualitativa descritiva, em chave antropológica, através de observação direta e de entrevistas semiestruturadas. Os resultados sugerem que a criação dessas UCs gerou impacto direto sobre os sistemas produtivos dos habitantes locais e apontam para lições sobre o ordenamento territorial para fins de conservação e suas interfaces com o agroextrativismo, no contexto específico do Cerrado. _________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Cerrado is one of five Brazilian biomes, consisting of savanna ecosystems, forests, fields and gallery forests that occur in the central region of Brazil, occupying approximately 21% of the country's territory. Considered the richest savanna in the world, Cerrado is one of the world's hotspots. It is also homeland for many indigenous communities, quilombo and several other traditional peoples that historically occupy the landscapes of this biome to which they have adapted ecologically. The production systems of these traditional peoples are characterized generally by the combination of agricultural, livestock (especially cattle) and the extraction of native species - activities that integrate what is called agroextractivism. For these peoples, conservation of natural resources and their social territories is vital since both are necessary for their physical, social and cultural reproduction. In Brazil, the creation of Conservation Units (CU’s) has been one of the strategies used to ensure the conservation of sociobiodiversity and the reappropriation of areas historically occupied by common and sustainable use. However, this strategy is not always effective. This study discusses the creation of two contiguous protected areas, a full protection CU and a sustainable use CU in the region of Terra Ronca, one of the last remnants of Cerrado in the state of Goias. Despite the environmental importance of the region, the creation of these two protected areas confined to the local population between them, triggering the environmental conflict that is focused on this study. The data were collected by descriptive qualitative research in anthropological key, through direct observation and semi-structured interviews. The results suggest that the creation of these protected areas has generated a direct impact on the productive systems of the locals and point to lessons on land use planning for conservation and their interfaces with agroextractivism in the specific context of Cerrado.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, 2016.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FUP - Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.