Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22980
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_JamiladeSouzaAbdelaziz.pdf780,76 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O uso de medicação psicotrópica por mulheres presas no Distrito Federal e as interfaces com a política nacional de atenção integral das pessoas privadas de liberdade no sistema prisional
Autor(es): Abdelaziz, Jamila de Souza
Orientador(es): Diniz, Debora
Assunto: Psicotrópicos
Prisioneiras
Mulheres - saúde mental
Data de publicação: 22-Mar-2017
Referência: ABDELAZIZ, Jamila de Souza. O uso de medicação psicotrópica por mulheres presas no Distrito Federal e as interfaces com a política nacional de atenção integral das pessoas privadas de liberdade no sistema prisional. 2017. 62 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O atendimento em saúde de pessoas presas é normatizado pela Portaria Interministerial nº 1, de 2 de janeiro de 2014, que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A PNAISP é regida por princípios que remetem a uma necessidade de ampliar o olhar da saúde, ao compreender que a pessoa é um sujeito para além do processo saúde-doença, que engloba também aspectos sociais, emocionais, culturais. No contexto da prisão, o adoecimento psíquico é agravado pela própria situação de confinamento, que ainda abarca a superpopulação carcerária, ausência de visitas, preocupação com os filhos e familiares, problemas econômicos e outros. No total, 80 mulheres presas responderam a dois questionários. O perfil aqui descrito ampara-se em aspectos que auxiliam uma maior compreensão quanto ao uso de medicação psicotrópica na PFDF. A população deste estudo caracterizou-se por uma predominância de mulheres jovens adultas, com pouco tempo no presídio, sentenciadas, presas por tráfico de drogas, reincidentes, com história de medida socioeducativa na adolescência, usuária de drogas há muito tempo, com histórico anterior de uso de medicações psicotrópicas, com vivências de longos períodos de isolamento e com histórico de tentativas de suicídio. Proponho aqui um outro olhar sobre o significado do uso de medicação psicotrópica na PFDF: o de indicador dos regimes de precariedade da vida.
Abstract: The Health Care of the imprisoned is standardized by the Inter-ministerial Ordinance No. 1, from January 2nd, 2014, that establishes the National Policy of Integral Attention to the Health of the People Deprived of Freedom in the Prison System (PNAISP) as part of the National Health System (SUS). The PNAISP is regulated by principles which remit to a need of amplifying the attention to the health on understanding that the person is the subject apart from the health-disease process, which also includes the social, emotional and cultural aspects. In the context of prison, the psychic illnesses are aggravated by the situation of confinement, which still encompasses the prison overcrowding, the absence of visitations, the worry about children and family, economic issues, and others. In total, 80 women have answered to the two questionnaires. The profile described in this text is supported by aspects that assist to a bigger comprehension on the use of psychotropic medication in the PFDF. The population of this study has been characterized by a predominance of young adult women who have spent little time in the prison, sentenced, arrested for drug trafficking, recidivist, with historic on correctional measures as a teenager, drug users for a long time, with previous background of psychotropic medication use, with experience of long periods of isolation and history of suicide attempt. Here I propose a different look at the significance of the use of psychotropic medication in the PFDF: the indicator of precarious life regimes.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2017.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.