RIUnB >
16. FMD - Faculdade de Medicina >
FMD - Programa de Pós-graduação  >
FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações) >

Utilize este link para identificar ou citar este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22949

Arquivos neste item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
2016_LizandraMouraSasakiParavidine.pdf950,27 kBAdobe PDFver/abrir

Título: Malignidade em pólipos endometriais : revisão sistemática e meta-análise
Autor(es): Sasaki, Lizandra Moura Paravidine
Orientador(es): Pereira, Maurício Gomes
Assunto: Neoplasia
Hiperplasia
Pólipos endometriais
Data de publicação: 17-Mar-2017
Data de defesa: 2-Ago-2016
Referência: SASAKI, Lizandra Moura Paravidine. Malignidade em pólipos endometriais: revisão sistemática e meta-análise. 2016. 73 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Introdução: Os pólipos endometriais são em sua maioria benignos, entretanto o risco de malignidade não é desprezível. Não há consenso na literatura sobre quais fatores estão associados à malignidade nestas lesões. Objetivo: Estimar a frequência de lesões pré-malignas e malignas em pólipos endometriais de pacientes submetidas à histeroscopia e investigar a associação da malignidade com fatores clínicos e demográficos. Métodos: Uma revisão da literatura foi realizada, pesquisando-se estudos nas bases científicas MEDLINE, Embase, Scopus, LILACS, Web of Science, Google Acadêmico, Banco de Teses Brasileiras, Clinical Trials e outras fontes relevantes, desde sua inserção até março de 2016. Foi utilizada a estratégia de busca ("polyps"[Mesh] OR "endometrial polyp" OR "endometrial polyps") AND ("Endometrial Neoplasms"[Mesh] OR "Endometrial Cancer" OR "Endometrial Hyperplasia"[Mesh] OR “malignan*”[Tiab]) modificada para cada base de dados, sem limite de data ou idioma. Os estudos considerados elegíveis descreviam a frequência de pólipos endometriais e fatores associados à malignidade. Dois pesquisadores independentes extraíram os dados e avaliaram a qualidade do estudo. A meta-análise foi calculada utilizando modelo de efeitos randômicos e metarregressões foram realizadas para investigação de heterogeneidade. Resultados: Foram incluídos na revisão sistemática e na meta-análise, 37 estudos contendo no total 21.057 mulheres com pólipos endometriais. A prevalência de lesões prémalignas e malignas em pólipos endometriais foi 3,4% (IC 95%: 3,0 – 4,0). Dentre os fatores estudados, sangramento uterino anormal (RP: 1,47; IC95% 1,27-1,69), pós-menopausa (RP: 1,67; IC95% 1,48-1,89), idade superior a 60 anos (RP: 2,41; IC95% 1,84-3,16), diabetes mellitus (RP: 1,76; IC95% 1,43-2,16), hipertensão arterial sistêmica (RP: 1,50; IC95% 1,20- 1,88), obesidade (RP: 1,41; IC95% 1,13-1,76) e uso de tamoxifeno (RP: 1,53; IC95% 1,06- 2,21) foram associados à malignidade em pólipos endometriais. Já o uso de terapia de reposição hormonal combinada (RP: 0,93; IC95% 0,67-1,30), a presença de câncer de mama (RP: 0,83; IC95% 0,44-1,57), a nuliparidade (RP: 0,87; IC95% 0,39-1,96) e tamanho do pólipo endometrial igual ou maior que 2,0 cm (RP: 1,05; IC95% 0,70-1,57) não se mostraram associados à presença de lesão pré-maligna ou maligna em pólipos endometriais. Conclusão: Aproximadamente três em cada cem mulheres, apresentam lesões prémalignas ou malignas em pólipos endometriais. Esse agravo é mais frequente nas mulheres pós-menopausadas, com idade igual ou superior a 60 anos, com sangramento uterino anormal, com hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, obesidade ou usuárias de tamoxifeno em relação àquelas sem tais fatores estudados. Sugere-se, portanto, abordagem efetiva e individualizada nas pacientes com pólipos endometriais, considerando a associação da lesão pré-maligna e maligna com fatores clínicos e demográficos.
Abstract: Introduction: Endometrial polyps are usually benign, however the risk of malignancy is not negligible. There is no consensus in the literature regarding which factors are associated with malignancy in these lesions. Objective: To estimate the frequency of premalignant and malignant lesions on endometrial polyps in patients undergoing hysteroscopy and to assess the association of malignancy with clinical and demographic factors. Methods: Studies were searched in MEDLINE, EMBASE, Scopus, LILACS, Web of Science, Google Scholar, Brazilian Bank of Theses and Clinical Trials, using the search strategy ( "polyps" [Mesh] OR "endometrial polyp" OR "endometrial polyps") AND ( "endometrial Neoplasms" [Mesh] OR "endometrial Cancer" OR "endometrial Hyperplasia" [Mesh] OR "malignan *" [Tiab]). This strategy was slightly modified for each database, with no date or language limits. The eligible studies had to describe the frequency of endometrial polyps and the factors associated with malignancy. Two independent researchers extracted data and assessed study quality. The meta-analysis was calculated using a random effects model and meta-regressions were carried out to search for heterogeneity. Results: We included in the systematic review and meta-analysis 37 studies comprising a total of 21,057 women with endometrial polyps. The prevalence of premalignant and malignant lesions was 3.4% (95% CI: 3.0 to 4.0). Among the factors studied, abnormal uterine bleeding (OR: 1.47; 95% CI: 1.27 to 1.69), post-menopausal (PR: 1.67; 95% CI: 1.48 to 1.89), age over 60 years (PR: 2.41, 95% CI: 1.84 to 3.16), diabetes mellitus (PR: 1.76; 95% CI: 1.43 to 2.16), hypertension (PR: 1.50; 95% CI: 1.20 -1.88), obesity (PR: 1.41; 95% CI: 1.13 to 1.76), and tamoxifen (PR: 1.53; 95% CI: 1.06 to 2.21) were associated with malignancy in endometrial polyps. However, the use of hormone combined replacement therapy (OR: 0.93; 95% CI: 0.67 to 1.30), the presence of breast cancer (OR: 0.83; 95% CI: 0.44 to 1.57), the nulliparity (PR: 0.87; 95% CI: 0.39 to 1.96) and endometrial polyps with sizes equal to or greater than 2.0 cm (RP: 1.05; 95% CI: 0.70 to 1.57) were not associated with the presence of premalignant or malignant lesions in endometrial polyps. Conclusion: Approximately 3 in each 100 women present premalignant or malignant lesions in endometrial polyps. This condition is most commonly presented in postmenopausal women, who are aged 60 years and over, with abnormal uterine bleeding, hypertension, diabetes mellitus, obesity or who use tamoxifen compared to those without such factors. Therefore, it is suggested an effective and individualized approach towards patients with endometrial polyps, as premalignant and malignant lesions are associated with clinical and demographic factors.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2016.
Licença : A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Coorientador(es): Wanderley, Miriam da Silva
Aparece na Coleção:FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações)

Todos os itens no repositório estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.

 

Site Creative Commons Site Oaister Sítio IBICT Universidade de Brasília
Sobre o Repositório  |  FAQ  |  Estatísticas |  Termo de Autorização do Autor
Copyright © 2008 MIT & HP. Todos os direitos reservados.