Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22258
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_GiseleCristinedaSilvaDantas.pdf1,46 MBAdobe PDFView/Open
Title: Depressão e gênero : análise da produção bibliográfica brasileira e das vivências de mulheres do distrito federal
Authors: Dantas, Gisele Cristine da Silva
Orientador(es):: Loyola, Valeska Maria Zanello de
Assunto:: Saúde mental
Mulheres - saúde mental
Depressão mental
Mulheres - doenças
Issue Date: 26-Jan-2017
Citation: DANTAS, Gisele Cristine da Silva. Depressão e gênero: análise da produção bibliográfica brasileira e das vivências de mulheres do distrito federal. 2016. 90 f., il. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Abstract: A depressão tem sido um dos modos de adoecimento mais frequentes, universais e ascendentes no mundo ocidental com estimativa atual de 350 milhões de pessoas e um dos principais ônus sociais (WHO, 2015). A OMS (2001) apontou para a complexa interação de fatores biológicos, psicossociais e socioculturais no seu desenvolvimento e o gênero como um fator determinante. Também tem apontado para prevalência da depressão, presente em mulheres e homens em todas as faixas etárias, classe social, localização, raça, entre outros. No entanto, a atual prevalência tem sido identificada como mais comum nas mulheres, enquanto o uso de substâncias, em homens. Entretanto, há associação entre fatores sociais de gênero, raça, pobreza, urbanização, desenvolvimento sobre a depressão. O objetivo geral desse trabalho foi o de investigar a depressão em mulheres sob o enfoque de gênero. Essa dissertação apresenta-se em formato de dois Artigos Científicos. O Artigo 1 foi produzido com o intuito de mapear o que os pesquisadores no Brasil têm discutido sobre gênero e depressão. Esse artigo realizou, por meio de uma revisão sistemática de literatura, o levantamento de artigos científicos publicados em plataformas virtuais a partir de descritores específicos, no período de 2000 a 2014, por um panorama quanti-qualitativo. Foi realizada a análise qualitativa de 15 artigos. Somente cinco corresponderam a abordagens mais contemporâneas de gênero. Os resultados apontaram para uma escassez de estudos de gênero na depressão. Já o artigo 2 teve como objetivo investigar como o gênero participa da formação do quadro depressivo de mulheres diagnosticadas com este transtorno. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com nove mulheres diagnosticadas com depressão em um serviço público e em uma clínica particular. Foram levantados os temas nas falas das mulheres participantes, bem como sua frequência e incidência (análise de conteúdo). A partir dos temas, elaborou-se quatro categorias: "vivências relacionais do círculo íntimo", "vivências relacionais do círculo extra-íntimo", "vivências de perspectiva de futuro" e "vivências de depressão". Os resultados apontaram a predominância de vivências relacionadas ao dispositivos amoroso e materno, ressentidas como desfavoráveis e relatadas sobretudo como pertencentes ao passado. Além disso, fez-se evidente um restrito investimento em relações extra círculo íntimo, o que aponta o quanto a vida destas mulheres fica circunscrita ao âmbito privado.
Abstract: Depression has been one of the most frequent illness modes, universal and risen in the Western world with current estimate of 350 million people and one of the main social burden (WHO, 2015). WHO (2001) alerted to the complex interaction of biological, psychosocial and social in its development and the gender as a determining factor. It has also pointed to the prevalence of depression, presented in women and men in all age groups, social class, location, race, among others. Although, the current prevalence has been identified as most common in women, while the use of substances in men. There is an association between social factors of gender, race, poverty, urbanization, development of depression. The aim of this study was to investigate depression in women under the gender approach. This dissertation presents in in two scientific articles. Article 1 was produced in order to map the researchers in Brazil have discussed gender and depression. This article made through a systematic review of literature, provides a survey of scientific articles published on virtual platforms from specific descriptors, from 2000 to 2014, by a quantitative and qualitative overview. Qualitative analysis of 15 articles was carried out. Only five accounted for more contemporary approaches gender. The results pointed to a shortage of gender studies in depression. And Article 2 aimed to investigate how gender participates in the formation of depression in women diagnosed with this disorder. Semi-structured interviews were conducted with nine women diagnosed with depression in a public service and in a private practice. The issues were raised in the reports of the participating women and their frequency and incidence (content analysis). From the themes elaborated four categories: "relational experiences of the inner circle," "relational experiences of extra-inner circle", "experiences of future-oriented" and "depression experiences." The results showed the predominance of experiences related to the loving and maternal devices, resentful as unfavorable and reported mainly as belonging to the past. Furthermore, it became evident a restricted investment in extra inner circle relations, which indicates how the lives of these women is restricted to the private sphere.
Resumen: La depresión ha sido uno de los modos más frecuentes de enfermedad, universal y en el mundo occidental con la estimación actual de 350 millones de personas y una importante carga social (OMS, 2015). OMS (2001) se refirió a la compleja interacción de factores biológicos, psicológicos y socioculturales en su desarrollo y el género como un factor determinante. Asimismo, ha señalado que la prevalencia de la depresión, presentes en las mujeres y los hombres en todos los grupos de edad, clase social, raza, ubicación, entre otros. Sin embargo, la prevalencia actual ha sido identificado como el más común en las mujeres, mientras que el uso de sustancias en los hombres. Sin embargo, existe una asociación entre los factores sociales de género, la raza, la pobreza, la urbanización, el desarrollo de la depresión. El objetivo de este estudio fue investigar la depresión en las mujeres bajo el enfoque de género. Esta tesis doctoral presenta en dos artículos científicos. El artículo 1 se produjo con el fin de asignar los investigadores en Brasil han discutido entre los géneros y la depresión. Este artículo hecho a través de una revisión sistemática de la literatura, la encuesta de artículos científicos publicados en las plataformas virtuales de descriptores específicos, de 2000 a 2014, por una visión cuantitativa y cualitativa. Análisis cualitativo de 15 artículos se llevó a cabo. Sólo cinco representaron más enfoques de género contemporáneo. Los resultados señalaron que la escasez de estudios de género en la depresión.Y el artículo 2 como objetivo investigar cómo participa género en la formación de la depresión en las mujeres diagnosticadas con este trastorno. Las entrevistas semi-estructuradas se realizaron con nueve mujeres con diagnóstico de depresión en un servicio público y en una clínica privada. Las cuestiones se suscitaron en los informes de las mujeres participantes y su frecuencia e incidencia (análisis de contenido). De los temas elaborado cuatro categorías: "las experiencias relacionales del círculo interno", "experiencias de relaciones de círculo extra-interior", "experiencias de orientadas al futuro" y "experiencias de depresión". Los resultados mostraron el predominio de experiencias relacionadas con los dispositivos de amor y maternos, resentido tan desfavorable e informaron sobre todo como pertenecientes al pasado. Por otra parte, se hizo evidente una inversión restringida en las relaciones círculo interno de más, lo que indica cómo las vidas de estas mujeres se limita a la esfera privada.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2016.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/22258/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.