Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22219
Título: As assentadas na agricultura familiar de base agroecológica do pequeno Willian – Planaltina – DF : condições de vida, trabalho e meio ambiente
Autor(es): Ferreira, Jonathas Felipe Aires
Orientador(es): Cruz, Tânia Cristina da Silva
Assunto: Relações de gênero
Agricultura familiar - mulheres
Planaltina (DF)
Mulheres do campo
Data de publicação: 16-Jan-2017
Data de defesa: 24-Jun-2016
Citação: FERREIRA, Jonathas Felipe Aires. As assentadas na agricultura familiar de base agroecológica do pequeno Willian – Planaltina – DF: condições de vida, trabalho e meio ambiente. 2016. 170 f., il. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente de Desenvolvimento Rural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Esta pesquisa teve por objetivo geral analisar se os papéis sociais ancorados no manejo dos recursos naturais, realizados pelas mulheres do Assentamento Pequeno Willian, lhes conferia empoderamento e autonomia produtiva. Como justificativa buscou-se problematizar os papéis desempenhados pelas mulheres nos espaços rurais, que são vistos apenas como uma ajuda e não complementação de renda para a família. A sustentabilidade do processo produtivo no meio rural depende muito da participação da mulher porque ela também usa e maneja a terra com amplo conhecimento tradicional. Elas demonstram ter grande controle sobre os conhecimentos da biodiversidade e a compreensão fundamentada nos domínios dos fenômenos naturais da importância da conservação da natureza. E, para além disso, mantém a unidade familiar que é o próprio alicerce dessa produção agrícola. Consequentemente os objetivos específicos foram: a) identificar os trabalhos produtivos e reprodutivos das assentadas na comunidade e quais as implicações nas relações de gênero b) identificar mobilização social e as consequências desse engajamento na vida dessas assentadas c) apontar valores ambientais presentes nos usos, práticas e conservação da terra no assentamento. A questão principal deste trabalho foi descobrir se houve empoderamento para as assentadas por meio desses papéis sociais. As questões de apoio foram: As atribuições da mulher assentada da agricultura familiar afetam a sua qualidade de vida produtiva e reprodutiva? Como essa mulher percebe o cerceamento das suas liberdades? Há um nível de consciência das relações de dominação e opressão? Como é o envolvimento com movimentos sociais do campo? Quais são os usos da terra e do meio ambiente que as cerca? Como hipótese indicou-se o seguinte: se essa mulher assentada possui um papel de destaque originário no manejo dos recursos naturais, isso lhe confere maior empoderamento e reconhecimento de suas atividades sociais e o capital político e acesso à terra as torna emponderadas e politicamente autônomas. Em termos metodológicos este é um estudo de caso, de cunho qualitativo-descritivo em que os instrumentos foram observação participante e entrevista em profundidade visando captar a história de vida de 5 assentadas e a análise ocorreu através de filtragem por categorias. Os resultados alcançados foram a) a identificação de práticas ambientais sustentáveis, agroecológicas e artesanais nas parcelas das entrevistadas; b) o que as atribui empoderamento na sua realidade rural é a titularidade de terra e a autonomia decisória que elas têm dentro da parcela e, c) com a prática agroecológica elas possuem um grupo de artesanato a qual elas trabalham com fibra de bananeira para geração de uma renda complementar. ________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The main goal for this Research was to analyze if social papers based on the management of natural resources performed by women from Pequeno Willian settlement give then empowerment and productive autonomy. As justification sought to problematize environmental papers performed by these women in rural spaces that only can be seen as help and not supplementary incomes for family. The productive service sustainability in rural spaces depends largely from women participation because she also uses and manages the land with large traditional knowledge. They demonstrate big control over biodiversity knowledge and understanding grounded in natural phenomenon domain of relevance of nature conservancy, and beyond that keep the family unity that is the agricultural production foundation. Consequently, the specific goals are: a) Identify productive and reproductive works of this seated women on this community and which implication on the gender relations b) Identify social mobilization and the consequences of this engagement in this seateds women c) Point environmental values in uses, practices and land conservation in this settlement. This dissertation main issue is to find out if there is empowerment for seateds women through this environmental papers. The issues of support were: the women seated attributions from familiar agriculture affects her productive and reproductive life quality? There is a domination and oppression consciousness? How is the involvement with rural social movements? Which uses they give to the land and environment around them?. The following hypotheses were: if this women have projection in her community grounded in managing natural resources, she will be empowered and will be social recognized and the political capital, access to the land makes her empowered and politically autonomous. Methodologically this is a study case, qualitative-descritive nature, where the instruments were participant observation and depth interview aiming to capture 5 seated women life story and the analysis occurred through filtering categories. The results achieved were a) Identification of environmental sustainable, agroecological and craft on their houses b) what gives then their empowerment in their rural reality is land ownership and decisional autonomy which they have in the own house and c) they have a craft group which they work with fiber banana to generate a family income.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, 2016.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FUP - Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_JonathasFelipeAiresFerreira.pdf18,08 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.