Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22006
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_MarselleNobredeCarvalho.pdf2,57 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O farmacêutico na composição da força de trabalho em saúde na atenção primária do SUS
Outros títulos: The pharmacist in the composition of the primary care workforce in brazilian health system
El farmacéutico en la composición del personal de asistencia primaria en sistema de salud brasileño
Autor(es): Carvalho, Marselle Nobre de
Orientador(es): Contezini, Silvana Nair Leite
Assunto: Atenção primária à saúde
Assistência farmacêutica
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Data de publicação: 20-Dez-2016
Referência: CARVALHO, Marselle Nobre de. O farmacêutico na composição da força de trabalho em saúde na atenção primária do SUS. 2016. 160 f., il. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Esta tese é uma análise acerca participação do farmacêutico na composição da força de trabalho da atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir da caracterização do trabalhador e do trabalho na assistência farmacêutica, visando a compreensão do trabalho farmacêutico como trabalho em saúde e, portanto, a contribuição para a sua inserção nas equipes de saúde. Trata-se de estudo baseado na hermenêutica-dialética, cujos procedimentos metodológicos foram divididos em dois tipos de pesquisa: estudo ecológico realizado a partir de bases de dados online (p. ex.: DATASUS, RAIS e SIGRAS) e estudo transversal, de abordagem quantitativa, sobre os trabalhadores na gestão da assistência farmacêutica municipal e nas unidades de dispensação de medicamentos, a partir de dados primários obtidos durante a Pesquisa Nacional de Acesso, Utilização e Uso Racional de Medicamentos (PNAUM). A força de trabalho na assistência farmacêutica básica é predominantemente composta por mulheres, na faixa etária de 18 a 39 anos, com formação superior, concursados, há mais de um ano no cargo ou atividade e jornada de trabalho semanal superior a 30 horas. A participação do farmacêutico na composição da força de trabalho na atenção primária do SUS cresceu e se consolidou nas funções de gestão, especialmente na coordenação da assistência farmacêutica (90,7%), mas ainda é pequena nas unidades de dispensação, cujos postos de trabalho são majoritariamente ocupados por técnicos e ou auxiliares de enfermagem (43,0%), seguidos dos farmacêuticos (33,3%). Regionalmente, o Centro-Oeste e o Sudeste se destacam pela maior participação dos farmacêuticos na dispensação de medicamentos nas unidades de saúde (57,1% e 64,1%, respectivamente). Em conclusão, a participação do farmacêutico na composição da força de trabalho em saúde da atenção primária do sistema de saúde brasileiro se expandiu em função, de um lado, do evidente investimento em atividades relacionadas abastecimento e acesso da população aos medicamentos e, de outro, das políticas de fomento à implementação de equipes multiprofissionais nos serviços de saúde (p. ex.: NASF). Embora se apresentem como estratégia de inclusão nas equipes de saúde, essas políticas não se mostraram suficientes à ampliação do número de farmacêutico nas unidades de dispensação, cuja função é prestar cuidados diretos aos usuários e, por meio destes, realizar trabalho em equipe, o que difere enormemente do exercício de funções técnico-gerenciais do medicamento. Além disso, o farmacêutico deve compreender o seu trabalho no contexto da gestão do cuidado em saúde, seja na coordenação da assistência farmacêutica ou na execução de funções e atividades nas unidades de saúde, e, portanto, precisa ressignificar o seu trabalho, deslocando a centralidade do produto para o usuário, a família e a comunidade. _________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This thesis is an analysis of participation of the pharmacist in the composition of the primary care workforce of the brazilian health system (acronym in portuguese is SUS), from the worker characteristics and work in pharmaceutical care, aimed at understanding the pharmaceutical work as health work and thus contributing to their inclusion in health teams. This is study based on hermeneutics-dialectics, whose methodological procedures were divided into two types of research: ecological study from online databases (e.g. DATASUS, RAIS and SIGRAS) and cross-sectional study approach quantitative, on the workers in the management of pharmaceutical assistance in municipalities and the drug-dispensing units from primary data obtained during a national research about access and rational use of drugs. The workforce in pharmaceutical care is predominantly made up of women, aged 18-39 years with higher education, gazetted, for over a year on the job or activity and journey higher working week to 30 hours. The pharmacist participation in the workforce composition in the primary health care has grown and consolidated in management functions, especially in the coordination of pharmaceutical care (90.7%), but is still small in dispensing units, whose jobs they are mostly occupied by technical and or nursing assistants (43.0%), followed by pharmaceuticals (33.3%). Midwest and southeast regions are characterized by greater participation of pharmacists in dispensing drugs in health units (57.1% and 64.1%, respectively). In conclusion, the participation of the pharmacist in the composition of the health workforce of primary care in the brazilian health system has expanded due on the one hand, the clear investment in related supply activities and people's access to medicines and on the other, of policies encouraging the implementation of multidisciplinary support teams in health service. Although they are presented as inclusion strategy in health teams, these policies were not sufficient to increase the number of pharmacist in dispensing units, whose function is to provide direct care to users and, through them, perform teamwork, which differs from the exercise of technical and managerial functions of the drug. Furthermore, the pharmacist must understand their work in the context of health care management, is the coordination of pharmaceutical care or performing functions and activities in health facilities, and therefore need to reframe their work, shifting the centrality of the product to user, family and community. ______________________________________________________________________________________________ RESUMEN
Esta tesis es un análisis de la participación del farmacéutico en la composición de La fuerza laboral de atención primaria del sistema de salud brasileño (sigla en portugués es SUS), a partir de las características del trabajador y el trabajo en la atención farmacéutica, dirigidas a la comprensión de la obra farmacéutica como el trabajo de salud y contribuyendo así a su inclusión en los equipos de salud. Se trata de estudio basado en la hermenéutica-dialéctica, cuyos procedimientos metodológicos fueron divididos en dos tipos de investigación: estudio ecológico de las bases de datos en línea (por ejemplo, DATASUS, RAIS y SIGRAS) y la sección transversal enfoque de estudio cuantitativo, sobre los trabajadores en la gestión de la asistencia farmacéutica en los municipios y las unidades de dispensación de medicamentos a partir de datos primarios obtenidos durante una investigación nacional sobre el acceso y el uso racional de los medicamentos. La fuerza de trabajo en la atención farmacéutica está compuesto principalmente por las mujeres, a la edad de 18-39 años con educación superior, boletín oficial, durante más de un año en el trabajo o actividad y el viaje más alta semana laboral a 30 horas. La participación farmacéutico en la composición de la fuerza de trabajo en la atención primaria de salud ha crecido y se ha consolidado en las funciones de gestión, especialmente en la coordinación de la atención farmacéutica (90,7%), pero sigue siendo pequeña en unidades de distribución, cuyos puestos de trabajo están ocupados en su mayoría por técnicos y o auxiliares de enfermería (43,0%), seguidos por los productos farmacéuticos (33,3%). Medio Oeste y sureste se caracterizan por una mayor participación de los farmacéuticos en la dispensación de medicamentos en las unidades de salud (57,1% y 64,1%, respectivamente). En conclusión, la participación del farmacéutico en la composición de la fuerza laboral de salud de atención primaria en el sistema de salud brasileño se ha expandido debido, por un lado, la clara inversión en las actividades de suministro relacionadas y acceso de la población a los medicamentos y, por otro, de las políticas fomentando la implantación de los equipos multidisciplinarios de apoyo en los servicios de salud. A pesar de que se presentan como estrategia de inclusión en los equipos de salud, estas políticas no fueron suficientes para aumentar el número de farmacéuticos en unidades de distribución, cuya función es la de proporcionar una atención directa a los usuarios y, a través de ellos, lleve a cabo el trabajo en equipo, la cual difiere enormemente del ejercicio de las funciones técnicas y de gestión de la droga. Por otra parte, el farmacéutico debe entender su trabajo en el contexto de la gestión de la asistencia sanitaria, es la coordinación de la atención farmacéutica o la realización de las funciones y actividades en los centros de salud, y por lo tanto tiene que replantear su trabajo, desplazando la centralidad del producto al usuario, familia y la comunidad.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Curso de Ciências Farmacêuticas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, 2016.
Aparece nas coleções:PPGCF - Doutorado em Ciências Farmacêuticas (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.