Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21990
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_GermanoAugustoCaracolCosta.pdf3,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A construção identitária nas produções PROEJA transiarte
Autor(es): Costa, Germano Augusto Caracol
Orientador(es): Teles, Lúcio França
Assunto: Educação de jovens e adultos
Identidade - construção
Data de publicação: 20-Dez-2016
Referência: COSTA, Germano Augusto Caracol. A construção identitária nas produções PROEJA transiarte. 2016. x, 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Este trabalho de pesquisa-ação objetivou-se na investigação da construção de uma outra configuração identitária, a da coletividade, revelada na relação entre os sujeitos-alunos e sujeitos-professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Centro de Ensino Médio 9 de Ceilândia (CEM 9), no Distrito Federal, na ambiência das oficinas transiarte. Nessa arquitetura de identidade, ressalta-se o caráter colaborativo impresso nas produções transiartísticas, que ressignificou a relação de pertinência entre a aprendizagem e a cotidianidade, transformou fazeres pedagógicos e superou situações-problema-desafio. Para tanto, esse percurso metodológico se abasteceu de entrevistas semiestruturadas com esses sujeitos da EJA, do formulário de Perfil da Educação de Jovens e Adultos (PEJA) e do Diário de Itinerância (2015). Destarte, os resultados dessa investigação comunicaram, por meio dos dados coletados e gerados, o reconhecimento da construção identitária da coletividade no processo escolarizado. Nessa perspectiva, os sujeitos identificaram a colaboração no processo de aprender, pelo resgate do diálogo com as histórias, experiências e saberes acumulados na sua existencialidade, como uma relação dialética e dialógica no seu processo formativo. Suas vozes, escritas e expressões relataram evidências da necessidade de produzir com os seus pares, de avançarem juntos na direção de ampliar conhecimentos e colocá-los aplicados à sua vida, no mundo do trabalho, uma vez que a grande maioria deles é trabalhador. Destacaram a transiarte como um projeto importante na escola, para conhecer e explorar coisas novas, expressar-se melhor, debater e trabalhar com o outro e, desse modo, transforma não só o comportamento, mas a forma de enxergar a realidade do coletivo dos alunos, deixando de lado a individualização. Os sujeitos-alunos permitiram-se, diante do projeto Transiarte, também, tecer críticas à formação tradicional, que em muitas aulas do noturno reproduzem informações e conhecimentos que não conversam com sua vida e tampouco possibilita o exercício à linguagem tecnológica, expressão da sociedade digital de que fazem parte ou buscam sua inclusão. O trabalho investigativo também acolheu escutas sensíveis dos professores, com base nas interlocuções com os estudantes e resultados/produtos transiartísticos. De tal modo que, identificaram os alunos, no seu coletivo, como construtores de conhecimentos, partícipes da sua história e mais atuantes na sua comunidade. Compreenderam que o projeto, pelo processo criativo artístico digital, provocou a reescrita dos seus planejamentos e a transformação da prática pedagógica. A pesquisa realizada nos convida a uma imersão na reflexão sobre a identidade coletiva colaborativa na EJA, que na proposta de reconfiguração do conhecimento curricular numa produção transiartística digital, ressignifica os múltiplos saberes e os mobiliza para a vida dos sujeitos alunos-trabalhadores. ___________________________________________________________________________________________+_____ ABSTRACT
This action research work is aimed at investigating the construction of another identity configuration, the community revealed the relationship between the students and teachers of the Youth and Adult Education (EJA) at the High School Center 9 Ceilândia (CEM 9), in the Federal District, in the ambience of Transiarte workshops. This identity architecture emphasizes the collaborative character printed in Transiarte productions that reframed the relevance between ratio learning and everyday life transformed pedagogical duties has overcome problem-situations-challenge. Therefore, this methodological approach fueled semi-structured interviews with these subjects EJA, Profile form of Youth and Adult Education (PEJA) and Roaming Journal (2015). Thus, the results of this research communicated through data collected and generated the recognition of identity construction of the community in the process educated. In this perspective, the subjects indentified the collaboration in the process of learning, the rescue dialogue with stories, experiences and knowledge accumulated in its existentialism, dialectical and dialogical as a relationship in their formative process. Their voices, written and reported evidence expressions of the need to produce with their peers, advancing together towards expanding knowledge and put them applied to life, the world of work, since the vast majority of them are hardworking. It was highlighted Transiarte as an important project at school to learn and explore new things, i.e., to discuss and work with each other and thus, it does not only remodels the behavior, but way the reality of the collective of students should be seen, leaving aside the individualization. The subjects students allowed themselves before the Transiarte project also criticize the traditional training, which in many classes the night reproduce information and knowledge that do not talk to life and either allows the exercise to technological language of the digital society expression that part or seek their inclusion. The research work also hosts sensitive tapping of teachers, based on dialogues with students and results / Transiarte products. So that, students have been identified in their collective, as builders of knowledge, participants in its history and more active in their community. They have understood that the project, the digital artistic creative process, has caused the rewriting of their planning and practice Pedagogical transformation. The survey invites us to an immersion in reflection on collaborative collective identity in EJA, that the proposed reconfiguration of curricular knowledge in Transiarte digital production, reframes the multiple knowledge and mobilize for the life of the subject student-workers.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2016.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FE - Mestrado em Educação (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.