Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21402
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_CiclistasMotoristasConsumidores.pdf707,7 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Ciclistas e motoristas : consumidores ecologicamente corretos?
Outros títulos: Cyclists and auto drivers : environmentally friendly consumers?
Ciclistas y automovilistas : consumidores ambientalmente correctos?
Autor(es): Santos, Maria Luiza Machado
Conke, Leonardo Silveira
Assunto: Desenvolvimento sustentável
Consumidores - atitudes
Transportes
Data de publicação: Nov-2014
Editora: Núcleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos – NESPROM do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares – CEAM da Universidade de Brasília
Referência: SANTOS, Maria Luiza Machado; CONKE, Leonardo Silveira. Ciclistas e motoristas: consumidores ecologicamente corretos?. Gestão e Saúde, Brasilia, ed. esp., p. 3397-3414, nov. 2014. ISSN 1982-4785. Disponível em: <http://www.gestaoesaude.unb.br/index.php/gestaoesaude/article/view/1114>. Acesso em: 05 Set. 2016. doi:10.18673/.
Resumo: Atualmente discute-se a ideia de mobilidade urbana atrelada à sustentabilidade, com o interesse no melhor aproveitamento do espaço e no uso de meios de transporte menos poluentes e ruidosos. Neste cenário, a bicicleta ganha espaço como uma opção de baixo impacto ambiental e pressupõe-se que as pessoas que a utilizam como meio de transporte tenham maior consciência ambiental. Contudo, indaga-se se essa consciência é repassada para outros hábitos, como os de consumo. Assim, o objetivo neste artigo foi avaliar se as pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte possuem hábitos de consumo considerados mais sustentáveis em relação às pessoas que utilizam majoritariamente o carro. O estudo foi realizado no Distrito Federal, e foram analisados 374 casos em uma amostra não probabilística por adesão. Para comparação de comportamentos, foi utilizado o teste não paramétrico U de Mann-Whitney. Os resultados apontam que os ciclistas tendem sim a ter hábitos de consumo mais sustentáveis do que as pessoas que têm o carro como seu meio de transporte principal. Ao mesmo tempo, apesar de haver diferença significativa no comportamento dos dois grupos, todas as pontuações foram baixas, indicando a necessidade de reforço na conscientização e no aumento da frequência de tais práticas. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Nowadays, urban mobility is discussed along with its relationship with sustainability, with the interesting in the better utilization of space and the use of means of transportations less pollutant and noisy. Considering this scenario, the bicycle becomes an option that provokes lower environmental impacts. People who use the bicycle as a means of transportation usually show an improved environmental conscious. However, the question is if this conscious is transferred to other habits, as the ones related to consumer behavior. Therefore, the purpose on this paper was to analyze if people who use the bicycle are consumers with more sustainable behaviors than people who use mostly the car. This study was undertaken in Distrito Federal (a Brazilian state), and 374 cases were analyzed in a non-probabilistic sample. To compare behaviors, we used the non-parametric test U of Mann-Whitney. The results show that the cyclists tend to have more sustainable consumer habits than people who use mostly the car. Despite the significant differences found, both groups had low values, in average, indicating the need to reinforce awareness and more frequent practice of the sustainable consumer habits. __________________________________________________________________________________________ RESUMEN
Actualmente se discute la idea de movilidad urbana vinculada a sostenibilidad, con el interés en un mejor uso del espacio y la opción por medios de transporte menos contaminantes y ruidosos. En este escenario, la bicicleta gana terreno como una opción de bajo impacto ambiental, y se supone que las personas que la utilizan como medio de transporte tienen una mayor conciencia ambiental. Sin embargo, se pregunta si esta conciencia se transmite a otros hábitos como los de consumo. El estudio se llevó a cabo en el Distrito Federal, y 374 casos fueron analizados en una muestra no probabilística por adhesión. Para comparar los comportamientos, se utilizó el test no parametrico U de Mann-Whitney. Los resultados indican que los ciclistas tienden a tener hábitos de consumo más sostenibles en comparación con las personas que utilizan el coche como su principal medio de transporte. Al mismo tiempo, a pesar de las diferencias significativas en el comportamiento de los grupos, todas las puntuaciones fueron bajas, lo que indica la necesidad de fortalecer la conciencia ambiental y aumentar la frecuencia de este tipo de prácticas.
Licença: Gestão e Saúde - Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 Unported (CC BY 3.0). Fonte: http://www.gestaoesaude.unb.br/index.php/gestaoesaude/article/view/1114/pdf_1. Acesso em: 05 set. 2016.
DOI: 10.18673/
Aparece nas coleções:ADM - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.