Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21228
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_DiogodeOliveiraVilela.pdf10,7 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Os sentidos do silêncio : formas e funções do silêncio como elemento narrativo da linguagem cinematográfica
Autor(es): Vilela, Diogo de Oliveira
Orientador(es): Oliveira, Selma Regina Nunes
Assunto: Silêncio
Cinema
Linguagem cinematográfica
Data de publicação: 16-Ago-2016
Referência: VILELA, Diogo de Oliveira. Os sentidos do silêncio: formas e funções do silêncio como elemento narrativo da linguagem cinematográfica. 2016. 193 f., il. Dissertação (Mestrado em Comunicação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: O presente trabalho tem como proposta compreender as possibilidades de geração de sentido por meio do silêncio na trilha sonora do cinema ficcional. Partindo da ideia de que o silêncio, embora entendido comumente como ausência de linguagem, traz em si um forte potencial discursivo, este estudo pretende esclarecer de que maneira o silêncio pode ser utilizado para evocar na mente do espectador representações, sensações e imagens. Essa compreensão ocorrerá por meio da análise de trechos de filmes escolhidos a partir de uma observação prévia de suas maneiras de relacionar silêncios, sons e imagens. Serão observadas as formas das inserções do silêncio na trilha sonora para, em seguida, se inferir suas funções, seus sentidos. O silêncio estrategicamente inserido na trilha sonora pode se apresentar como um contundente mecanismo de geração de sentido na linguagem do cinema. Conhecer esses usos do silêncio contribui tanto com a compreensão profunda do filme e das estratégias adotadas por seus criadores quanto com a percepção de diferentes possibilidades do uso de silêncios para a construção de sentidos na composição de trilhas sonoras para os meios audiovisuais. _______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This study seeks to understand the possibilities for generating meaning through silence in fictional film sound tracks. Starting with the notion of silence, commonly thought of as the absence of language, as possessing powerful discursive potential, I attempt to explain the ways in which silence may evoke representations, sensations, and images in the minds of spectators (listeners), through the of analysis of sequences of films chosen specifically for the ways they draw relationships between silences, sounds, and images. After discussing how silence is inserted into a sound track, I will interpret its functions and meanings. A silence strategically placed in a sound track can be experienced as a potent mechanism in the language of film for the generation of meaning. With this study I hope to contribute both to a deeper comprehension of film and the strategies employed by its creators, and to a recognition of the diversity of possibilities for the construction of meaning in the composition of sound tracks.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2016.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FAC - Mestrado em Comunicação (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.