Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/21194
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_EspacoGeograficoRemanescentes.pdf653,8 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O espaço geográfico dos remanescentes de antigos quilombos no Brasil
Autor(es): Anjos, Rafael Sanzio Araújo dos
Assunto: Cartografia
Patrimônio cultural
Sistemas de informação geográfica
Quilombos
Data de publicação: Jul-2003
Editora: Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras
Referência: ANJOS, Rafael Sanzio Araújo dos. O Espaço Geográfico dos Remanescentes de Antigos Quilombos no Brasil. Revista Brasileira de Extensão Universitária, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 52-57, jul./ dez. 2003. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RBEU/article/view/873>. Acesso em: 09 ago. 2016.
Resumo: Este trabalho busca contribuir com informações geográficas na construção de um novo perfil das culturas africanas e do negro brasileiro na formação do país, assunto que continua carecendo de investigação e de conhecimento. No Brasil, os remanescentes de quilombo, "mocambos", "comunidades negras rurais" ou "terras de preto" referem-se ao mesmo patrimônio cultural inestimável em grande parte desconhecido pelo Estado, pelas autoridades e pelos órgãos fundiários e de política territorial oficiais. O estudo apontou que a questão dos remanescentes de quilombos em território brasileiro não pode ser tratada com ações episódicas, pontuais e nem envolvida por conflitos de atribuições institucionais. As vitórias localizadas não refletem um plano de ação com premissas e parâmetros de curto e médio prazos, explicitando, principalmente, quantos sítios serão beneficiados, em quanto tempo e com que recursos. O Banco de dados dos registros das comunidades remanescentes mostrou 848 ocorrências. As maiores encontram-se nos Estados da Bahia (250), Pará (196) e em Maranhão (163). Esse fato espacial revela a importância da Região Nordeste e Norte na compreensão da expansão e concentração dos remanescentes de quilombo no país, assim como, reafirma a relevância desses Estados no resgate da identidade e na construção de uma memória relacionada à cultura afro-brasileira. ________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work aims at contributing with geographical information in the construction of a new profile of the African cultures and of the Brazilian black people in the formation of the contry; which still lacks investigtion and knowledge. In Brazil. The remains of quilombo, “mocambo”, “ comunidades negras rurais” (rural black communities) or “terras de preto” (nigger’s lands) are part of the same immeasurable cultural patrimony, most of which is still unknown to the State, to the authorities and to the official land control and territorial policies. The study pointed out that the topic of quilombos’ remains in Brazil cannot be treated with punctual actions nor be involved by conflicts of institutional attributions. The achievenments in this malter not reflect a plan of action with clear premises and parametes of short and medium terms, clarifying mainly the number of sites that will be benefited by this, for how long and what resources will be used. The data bank of registration of quilombos communities’ remains revealed 848 occurrences. The greatest ones are in the states of Bahia (250), Pará (196) and Maranhão (163). This spatial fact shows the importance of the Northeast ad the North regions of the coutry to the expansion and concentration of the quilombos’ remains; as wel as it reassures the relevance of these states in the resue of the identuty and in the construction of a memory related to the Afro-Brazilian culture. ________________________________________________________________________________________________ RESUMEN
Este trabajo busca contribuir, efectivamente, com informaciones geográficas, em la construcción de u nuevo perfil de las culturas africanas y del negro brasilero em la formación del país, assunto que continua careciendo de investigación y de conocimiento. Em Brasil, los remanentes del quilombo, “mocambos”, “comunidades negras rurales” o “tierras de negro”, e se refieren al mismo patrimonio cultural inestimable, em gran parte desconocido por el Estado, por las autoridades y por los órganos fundiarios y de poltica territorial oficiales. El estudio mostró que la cuestión de los remanentes de quilombos em el territorio brasileiro no puede ser tratada com acciones esporádicas, puntuales y tampoco envueltas em conclictos de atribuciones institucionales. Las victorias localizadas no reflejan um plan de acción com premissas y parámetros de corto y medio plazo, explicitando, principalmente cuántos siios serán beneficiados, durante cuánto tiempo y com qué reurso. El Banco de datos de los registro de las comunidades remanenetes mstró 848 ocurrencias. Las mayores ocurrencias se encuentran concentradas em los Estados de Bahia (250), em Pará (196) y em Maranhão (163). Esse hecho espacial revela la importancia de la Región Nordeste y Norte em la comprensión de la expansión y concenración de los remanentes de quilombo em el país, así com, reafirma la relevancia de esos Estados em el rescate de identidad y en la construcción de uma memoria relacionada a la cultura afro-brasileira.
Licença: Revista Brasileira de Extensão Universitária - Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 (CC BY 3.0). Fonte: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RBEU/article/view/873. Acesso em: 09 ago. 2016.
Aparece nas coleções:GEA - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.