Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/19848
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_VerônicaMariadaSilvaGomes.pdf5,9 MBAdobe PDFView/Open
Title: “Kò sí ewé, kò sí òrìsà” (sem folha, não há orixá) : vivências ecológicas no Ilé Àse Opó Osogunlade
Authors: Gomes, Verônica Maria da Silva
Orientador(es):: Catalão, Vera Margarida Lessa
Assunto:: Candomblé
Educação ambiental
Transdisciplinaridade
Cosmovisão africana
Issue Date: 4-Apr-2016
Citation: GOMES, Verônica Maria da Silva. “Kò sí ewé, kò sí òrìsà” (sem folha, não há orixá): vivências ecológicas no Ilé Àse Opó Osogunlade. 2015. vii, 200 f., il. Tese (Doutorado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Abstract: Esta etnopesquisa-ação teve lugar no Ilé Àse Opó Osogunlade – terreiro de candomblé de nação Ketu – localizado no estado de Sergipe, região nordeste do Brasil, que se configurou como campo de pesquisa. O grupo pesquisador coletivo constituiu-se por quatorze membros do terreiro incluindo o sacerdote dirigente – Bàbálàse (“pai-de-santo”) Reginaldo Daniel Flores. A pesquisa teve por objetivo investigar as possíveis relações entre a cosmovisão africana e suas práticas culturais e os fundamentos e práticas de Educação Ambiental. Como objetivos específicos, buscou-se verificar os paradigmas ecológicos presentes no Ilé Àse Opó Osogunlade por meio de vivências pedagógicas que articularam os princípios da Educação Ambiental e os princípios/valores ancestrais do candomblé de nação ketu; e, também, buscou-se identificar os conceitos nativos relativos à relação ser humano e natureza presentes no cotidiano do terreiro. A escolha por um método de intervenção coletiva, inspirado nas técnicas de tomada de decisão, que associasse pesquisadores e atores sociais num procedimento conjunto de transformação de uma dada realidade, pareceu-nos mais adequado para compreender a complexidade dessa realidade. Para tanto, juntamente com o grupo pesquisador coletivo, foram realizadas três oficinas, a saber: 1 – Oficina-diagnóstico e planejamento; 2 – Oficina òrìsà/natureza; 3 – Oficina de Educação Ambiental e duas entrevistas com um sacerdote e uma sacerdotisa representativos da nação ketu no Brasil. A dimensão afetiva permeou essa construção coletiva nesse ambiente de formação – o terreiro de candomblé – onde a correlação cultura-natureza foi percebida a partir de referenciais de estudos filosóficos, botânicos e antropológicos e de conceitos nativos da cosmovisão africana, baseados na cosmovisão yorùbá. Observar o sujeito-objeto pela ótica transdisciplinar também criou oportunidade de propiciar o compartilhamento de conhecimentos entre saberes acadêmicos e saberes da tradição cultural (terreiro de candomblé ketu). Nesta etnopesquisa-ação, a análise dos dados se deu sob a luz da complexidade e de uma epistemologia transdisciplinar, buscou-se a compreensão dos fenômenos estudados nos múltiplos aspectos, integrando a implicação da pesquisadora e a subjetividade coletiva no processo de pesquisa, reafirmando, assim, o caráter ético, de respeito à diversidade, perseguindo a utopia da interculturalidade. Os mitos dos orixás tiveram papel pedagógico importante nesse processo, uma vez que trouxeram preciosos elementos sagrados, simbólicos e exemplos de ser e fazer que norteiam a conduta diária dos iniciados no candomblé. A partir da análise interpretativa das entrevistas, das vivências nas oficinas e da descrição densa dos depoimentos, emergiram, dentre outras, algumas categorias como ‘territorialidade’, ‘cuidado’, ‘pertencimento’, ‘memória’ e ‘ancestralidade’. Com a pesquisa-ação verificamos que a tradição de matriz africana – detentora de um legado ancestral – traz saberes imemoriais que fornecem bases para o vivenciar de uma ética ambiental compatível com a preservação e a manutenção da vida. Nesse sentido, as práticas de Educação Ambiental constituem-se como estratégias para um pensar as próprias vivências de pertencimento à natureza e tudo o que isso implica no Osogunlade.
Abstract: The present ethno research-action took place at Ilé Àse Opó Osogunlade – Ketu nation candomblé temple – placed in the State of Sergipe, Northeastern Brazil which was configured as a research field. The group collective researcher was consisted of 14 members including the chief priest – Babalàsè” Reginaldo Daniel Flores. The research aimed to investigate the possible relationship between the African worldview (cosmovision) and their cultural practices and the principles of Environmental Education practices. As specific objectives, it sought to verify the ecological paradigms present at Ilé Àse Opó Osogunlade through educational experiences that articulated the principles of Environmental Educational and the principles/ancestral values of candomblé ketu; and also, sought to identify the native concepts regarding the relationship between human beings and nature present in the everyday life of the temple/terreiro. The option for a method of collective intervention, inspired by decision-making techniques, which brings together researchers and social players in a set of changing procedure of a given reality, it seemed more appropriated to understand the complexity of that reality. Therefore, along with the collective group researcher there were three workshops, namely: 1 – Diagnosis and planning Workshop, 2 – and Nature Workshop, 3 – Environmental Education workshop and two interviews with representative priests of ketu nation in Brazil. The affective dimension has permeated this collective construction in the learning environment of the candomblé terreiro, where the correlation culture-nature was understood from the references of philosophical, botanical, and anthropological studies, and from the native concepts of the African worldview, based on yorùbá worldview. Observe the studied subject through a transdisciplinary perspective also created opportunity to provide knowledge sharing between academic knowledge and knowledge of a cultural tradition (candomblé ketu). Data analysis was done under the light of complexity and transdisciplinary epistemology, sought to understand the phenomena studied in multiple aspects. Implication of the researcher and collective subjectivity were integrated into the research process, reaffirming, thus, the ethical respect for diversity, pursuing the utopia of interculturality. The Òrìsà myths played an important educational role in this process as it brought precious sacred and symbolic elements, as well as examples of being and doing that guide the daily conduct of the initiated in candomblé. From the interpretative analysis of the interviews, the experiences in the workshops, and the dense description of the statements have emerged, among others, some categories as ‘territoriality’, ‘care’, ‘identity’, ‘belonging’, ‘memory’ and ‘ancestry’. This research-action found that the tradition of African origin holds an ancestral legacy and brings ancient knowledge that provide bases for the experience of an environmental ethic compatible with the preservation and maintenance of life. In this sense, environmental education practices constitute as strategies for thinking about their own experience of belonging to nature and all what that implies.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Educação, 2015.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2015.08.T.19848
Appears in Collections:FE - Doutorado em Educação (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/19848/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.