Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/18671
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_MarcelleAraujoRibeiro.pdf2,3 MBAdobe PDFView/Open
Title: Transmissão sexual do Trypanosoma cruzi em camundongos chagásicos crônicos
Authors: Ribeiro, Marcelle Araujo
Orientador(es):: Araújo, Nadjar Nitz Silva Lociks de
Coorientador(es):: Hecht, Mariana Machado
Assunto:: Trypanosoma cruzi - transmissão
Chagas, Doença de
Doenças sexualmente transmissíveis
Issue Date: 5-Nov-2015
Citation: RIBEIRO, Marcelle Araujo. Transmissão sexual do Trypanosoma cruzi em camundongos chagásicos crônicos. 2015. 105 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Abstract: O Trypanosoma cruzi é transmitido principalmente por via vetorial, entretanto, outras vias de transmissão também apresentam importância epidemiológica, como a transfusão sanguínea, a via transplacentária e por meio da contaminação de alimentos. A transmissão sexual do T. cruzi foi sugerida por vários pesquisadores, desde a descoberta da doença de Chagas, contudo, poucos trabalhos científicos foram realizados. Pesquisas anteriores sugerem que camundongos infectados podem transmitir o parasito por via sexual durante a fase aguda da doença, quando a carga parasitária é alta. Como a maioria dos indivíduos infectados são diagnosticados na fase crônica, é de extrema importância investigar se também ocorre a transmissão sexual do T. cruzi em condições de baixa parasitemia. O presente trabalho teve como objetivo investigar a transmissão sexual do T. cruzi no modelo experimental murino durante a fase crônica. Dez camundongos BALB / c, machos e fêmeas sexualmente maduros, infectadas por via intraperitoneal com 103 formas tripomastigotas de T. cruzi, foram cruzados com animais não infectados após 90 dias da infecção. Os casais foram avaliados depois de duas gestações e a infecção pelo T. cruzi foi analisada por testes parasitológicos, sorológicos e métodos moleculares. Além disso, foi determinada a carga parasitária em diferentes tecidos por qPCR. Os resultados mostram que camundongos cronicamente infectados por T. cruzi podem transmitir o parasita aos parceiros sexuais. O exame parasitológico identificou o parasito no sangue periférico em 100% dos animais infectados intraperitonialmente e em 20% dos camundongos que foram infectados pela via sexual. Os testes sorológicos e moleculares demonstraram a presença de anticorpos específicos e amplicons em todos os animais testados após o período de 120 dias. Análise histopatológica do coração, testículo/ovário, intestino e músculo, identificou a presença de infiltrado inflamatório moderado e destruição de fibras cardíacas nos animais infectados pela via intraperitoneal, na ausência de ninhos de amastigota. A transmissão sexual do parasita para fêmeas inicialmente não infectadas também foi validada pela identificação da infecção transplacentária para os filhotes. A análise da progênie mostrou que a infecção congênita ocorreu em 25/26 (96,15%) animais, que apresentaram resultados positivos nos testes moleculares. Os resultados confirmam a transmissão sexual do T. cruzi na fase crônica da infecção. Até onde sabemos, esta é a primeira demostração experimental da transmissão sexual do T. cruzi na fase crônica da infecção. A via sexual pode ser um fator potencial de dispersão da Doença de Chagas no mundo. A determinação desta via de transmissão em animais cronicamente infectados é de suma importância, uma vez que a maioria dos indivíduos com CD encontram-se na fase crônica. Além disso, estudos epidemiológicos em áreas livres de triatomíneos são necessários para determinar o potencial de infectividade em casais em que apenas um dos parceiros tem uma história de CD, favorecendo a maior compreensão da importância da transmissão sexual em populações humanas.
Abstract: Trypanosoma cruzi is mainly transmitted by haematophagous triatomines, however, other routes of transmission also have epidemiological importance, such as blood transfusion, transplacental route and through food contamination. Sexual transmission of T. cruzi was suggested by several researchers, since the discovery of Chagas disease, but, few scientific studies have been conducted on the subject. Previous work suggests that infected mice can transmit the parasite sexually during the acute phase of the disease, when the parasite load is high. Since most infected individuals are diagnosed during the chronic phase, it is important to investigate whether also occurs sexual transmission of T. cruzi in low parasitaemia conditions. This study aimed to investigate the sexual transmission of T. cruzi in murine model during the chronic phase. Ten sexually mature BALB/c, males and females, infected intraperitoneally with 103 T. cruzi trypomastigotes were crossbred with non-infected animals 90 days after infection. The couples were assayed after two pregnancies and T. cruzi infection was analyzed by parasitological, serological and molecular methods. In addition, parasite load was determined in different tissues by qPCR. The results show that mice chronically infected with T. cruzi can transmit the parasite to sexual partners. Parasitological test identified the parasite in the peripheral blood in 100% of intraperitoneally infected animals and in 20% of mice that were infected through sexual contact. The serologic and molecular analysis demonstrated the presence of specific antibodies and amplicons in all animals tested after 120 days. Histolopathological analysis of heart, testis / ovary, intestine and muscle identified the presence of mild infiltration and destruction of cardiac fibers in animals infected intraperitoneally, in absence of amastigote nests. Sexual transmission of the parasite to naive females was also validated by the identification of transplacental infection in their offspring. Progeny analysis showed that congenital infection arised in 25/26 (96.15%) animals, which showed positive results in molecular tests. The results confirm the sexual transmission of T. cruzi in the chronic phase of infection. To the best of our knowledge, this is the first confirmation of sexual transmission of T. cruzi, a route with great potential for spreading CD worldwide. The determination of this pathway in chronically infected animals is of paramount importance, since most individuals with CD are in the chronic phase. In addition, epidemiological surveys in triatomine-free areas are required to determine the infectivity rate in couples in which only one partner has a history of CD, thus helping to clarify the importance of this mode of transmission in human populations.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências Médicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2015.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2015.5.D.18671
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Ciências Médicas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/18671/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.