Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/18460
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_LucasEdelDonato.pdf1,03 MBAdobe PDFView/Open
Title: Influência de fatores socioeconômicos, demográficos e de saúde sobre a letalidade da leishmaniose visceral no Brasil
Authors: Donato, Lucas Edel
Orientador(es):: Romero, Gustavo Adolfo Sierra
Coorientador(es):: Duarte, Elisabeth Carmen
Assunto:: Leishmaniose visceral - Brasil
AIDS (Doença) - Brasil
Saúde - avaliação
Saúde - aspectos socioeconômicos
Saúde - aspectos ambientais
Issue Date: 20-Jul-2015
Citation: DONATO, Lucas Edel. Influência de fatores socioeconômicos, demográficos e de saúde sobre a letalidade da leishmaniose visceral no Brasil. 2014. 60 f., il. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: A transmissão da leishmaniose visceral (LV) tem sido descrita em várias regiões do Brasil. Progressivamente, tem sido observada a urbanização da doença, associada ao processo migratório para as cidades de médio e grande porte, sendo evidente a concentração dos casos nesses centros urbanos. A letalidade pela LV nos últimos anos vem aumentando gradativamente, e principalmente em pessoas vivendo com HIV/aids (PVHA). Alguns fatores tem sido associados ao maior risco de infecção por Leishmania infantum, tais como: grupos de menor e maior idade, presença de cães infectados, nível socioeconômico baixo e cobertura vegetal alta, mas os estudos de fatores associados à letalidade pela doença são escassos. O objetivo do estudo é de identificar fatores socioeconômicos, demográficos e de saúde dos municípios associados à letalidade por LV no Brasil. O estudo compreendeu os registros de casos de LV no período de 2007 a 2012, nas Unidades Federadas das cinco regiões geográficas do país e do Distrito Federal notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) acrescida dos óbitos por LV registrados no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Foram notificados 22.531 casos e 1.559 óbitos por LV no período de 2007 a 2012. Duzentos e vinte e três óbitos (14%) foram identificados por meio do relacionamento dos bancos de dados do Sinan e do SIM. O sexo masculino foi o mais acometido, correspondendo a 62% dos casos (14.084/22.531) e a maior frequência foi observada em crianças de 1 a 4 anos, correspondendo a 28,1% dos casos. A distribuição dos óbitos por faixa etária revelou que 21% dos óbitos se apresentaram em adultos de 35 a 49 anos. No período estudado, a letalidade anual por LV oscilou de 7,3 a 8,2%. A letalidade por LV foi maior em crianças menores de 1 ano e adultos maiores de 35 anos, com incremento diretamente proporcional à idade alcançando 36,1% em maiores de 80 anos. Ainda, a letalidade observada em adultos maiores de 80 anos foi maior nos indivíduos do sexo masculino (40,4%) do que a observada no sexo feminino (29,4%). Na distribuição espacial de casos de LV foi observada a expansão da doença para algumas regiões até então sem registros de casos tais como municípios de fronteira no estado do Rio Grande do Sul e o surgimento de casos em mais municípios nos estados Mato Grosso e Roraima. A distribuição espacial dos óbitos por LV permitiu observar a concentração na região Nordeste. A letalidade por LV esteve associada significativamente, tanto na análise bivariada quanto na análise multivariada com as seguintes características do município: população >20 mil e < 100 mil habitantes (p<0,001), proporção de população vulnerável (p<0,001), incidência de LV por 105 hab (p<0,001) e incidência de aids por 105 hab (p<0,001).
Abstract: The transmission of visceral leishmaniasis (VL) has been described in several regions of Brazil. Progressively, it has been observed urbanization of the disease, associated with the migration process to the cities of medium and large size, with evident concentration of cases in these urban centers. Mortality by LV in recent years is increasing, especially in people-living-with-HIV/AIDS. Some factors have been associated with higher risk of infection by Leishmania infantum such as: lower age, presence of infected dogs, low socioeconomic status and high vegetation coverage, however studies on factors associated with mortality are scarce. The objective of the present study was to identify socioeconomic, demographic and health factors of municipalities associated with mortality by LV in Brazil. The study included the LV case records from 2007 to 2012 from the five geographical regions of the country and the Federal District reported in the Notifiable Diseases Information System (Sinan) plus deaths due to LV recorded in Mortality Information System (SIM). 22,531 cases and 1,559 deaths due to LV were reported from 2007 to 2012. 223 deaths (14%) were identified through the linkage of the Sinan and SIM data. Men were the most affected, representing 62% of cases (14,084/22,531) and higher frequency was observed in children 1 to 4 years old corresponding 28.1% of cases. The distribution of deaths by age group revealed that 21% of deaths occurred in adults 35 to 49 years old During the study period the VL lethality rate ranged from 7.3 to 8.2%. Lethality rate was higher in children younger than 1 year and adults older than 35 years, increasing accordingly to age, reaching 36.1% in adults over 80 years. Furthermore, in individuals older than 80 years lethality rate was higher in males (40.4%) compared to females (29.4%). The spatial distribution of VL cases revealed the expansion of the disease to some regions hitherto without LV case records as some border municipalities of the state of Rio Grande do Sul and the emergence of cases in more municipalities of the states of Mato Grosso and Roraima. Also it was possible to identified some concentration of deaths in the Northeast region. The lethality due to VL was significantly associated in the bivariate and multivariate analysis with the following characteristics of the municipalities: population >20 thousand and <100 thousand inhabitants (p<0.001), proportion of vulnerable population (p<0.001), incidence of VL per 106 inhabitants (p<0.001) and incidence of AIDS per 106 (p<0.001).
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Núcleo de Medicina Tropical, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Medicina Tropical (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/18460/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.