Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/18376
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_WalterCarlosAuadSotomayor.pdf14,64 MBAdobe PDFView/Open
Title: Construção nacional e imaginarios desencontrados : as perdas territoriais bolivianas
Authors: Sotomayor, Walter Carlos Auad
Orientador(es):: Almeida, Jaime de
Assunto:: Etnicidade
Bolívia - identidade
Bolívia - história
História
Issue Date: 24-Jun-2015
Citation: SOTOMAYOR, Walter Carlos Auad. Construção nacional e imaginarios desencontrados: as perdas territoriais bolivianas. 2015. xi, 94 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Abstract: Esta dissertação tenta confrontar a historiografia boliviana com as representações de grupos sociais como um caminho possível em busca de explicações para as sucessivas perdas territoriais. O estudo identifica a conquista espanhola do império dos incas como o início da divisão profunda na sociedade entre europeus e originários que teve reflexo na divisão territorial. Essa separação que persistiu após a independência do império colonial teve como características o trabalho não remunerado e a instituição do voto censitário, que excluiu a maioria indígena do processo político, além da cobrança do tributo indígena, herdado do período colonial. A República manteve toda uma coletividade em situação subalterna até meados do século XX, e com isso uma sociedade dividida em que o exercício da violência foi parte dessa ordem. O debate público iniciado na primeira década do século XX sobre a questão indígena é analisado à luz da história e dos imaginários. Para a maioria dos bolivianos, indígenas e mestiços, o território foi exclusivamente os Andes e seus contrafortes, fonte da riqueza nacional que se acreditava apenas mineral. A inexistência de um sentimento de comunidade nacional até meados do século XX é aqui apontado como um dos fatores que contribuíram para o desmembramento territorial. A Bolívia perdeu desde a sua independência até o fim do conflito com Paraguai aproximadamente a metade do seu território. O último conflito armado que convocou toda a população parece ter selado o direito de todos os bolivianos de participarem no processo político e da construção nacional. Esse novo sentimento parece ter ajudado a acelerar a integração territorial do país que havia faltado no século XIX, na época da consolidação do território.
Abstract: This dissertation attempts to compare the Bolivian historiography with the representations of social groups as a possible path in search of explanations for the successive territorial losses. The study identifies the Spanish conquest of the empire of the Incas as the beginning of deep division in society between European and the indigenous population which was reflected in the territorial division. This separation that persisted after independence from colonial empire had characterized by the unpaid work and the institution of the census vote, which excluded indigenous majority of the political process, and the pay of indigenous tribute, inherited from the colonial period. The Republic maintained an entire community in subordinate position until mid-twentieth century, and with it a divided society in an order of a violent society. The public debate started in the first decade of the twentieth century on the indigenous issue is examined in the light of history and the imaginary. For most Bolivians, indigenous and mestizo, the territory was exclusively the Andes and its foothills, the national wealth source believed only mineral. The lack of a sense of national community until the mid-twentieth century is pointed out by this route as one of the factors contributing to the territorial dismemberment. Bolivia lost since its independence until the end of the conflict with Paraguay about half of its territory. The last armed conflict that gathered all the population seems to have sealed the right of all Bolivians to participate in the political process and national construction. This new feeling seems to have helped accelerate the regional integration of the country.
Resumen: Esta tesis procura confrontar la historiografía boliviana con las representaciones de los grupos sociales como un camino posible en busca de explicaciones para sucesivas perdidas territoriales. El estudio identifica la conquista española del imperio de los Incas como El comienzo de una profunda división en la sociedad entre europeos y pueblos originarios que tuvo reflejos en la división territorial. Esta separación que persistió después de La independencia del imperio colonial tuvo como características el trabajo no remunerado y La institución del voto censitario, que excluyó a la mayoría indígena del proceso político, además de la cobranza del tributo indigenal, heredado del período colonial. La república mantuvo toda una colectividad en situación subalterna hasta mediados del siglo XX. El debate público iniciado en la primera década del siglo XX sobre la cuestión indígena es examinado a la luz de la historia y de los imaginarios. Para la mayoría de los bolivianos, indígenas y mestizos, El territorio estaba exclusivamente en los Andes y sus estribaciones, fuente de la riqueza nacional que se suponía apenas mineral. La inexistencia de un sentimiento de comunidad nacional hasta mediados del siglo XX es señalada en este recorrido como uno de los factores que contribuyeron para el desmembramiento territorial. Bolivia perdió desde su independencia hasta el fin del conflicto con Paraguay aproximadamente la mitad de su territorio. El último conflicto armado que convocó a toda la población parece haber sellado El derecho de todos los bolivianos de participar en el proceso político y en la construcción nacional. Ese sentimiento parece haber ayudado a acelerar la integración territorial del país que había faltado en el siglo XIX, en la época de la consolidación del territorio.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados sobre as Américas, 2015.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2015.02.D.18376
Appears in Collections:ELA - Mestrado Acadêmico em Estudos Comparados sobre as Américas (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/18376/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.