Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/18093
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_RafaelTorminnGomide.pdf5,85 MBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação da oclusão de escolares com lesões cavitadas em dentina em molares decíduos tratados por três abordagens restauradoras : estudo longitudinal
Authors: Gomide, Rafael Torminn
Orientador(es):: Leal, Soraya Coelho
Assunto:: Cáries dentárias em crianças
Oclusão (Odontologia)
Dentes - lesões
Dentes decíduos
Restauração (Odontologia)
Issue Date: 6-May-2015
Citation: GOMIDE, Rafael Torminn. Avaliação da oclusão de escolares com lesões cavitadas em dentina em molares decíduos tratados por três abordagens restauradoras: estudo longitudinal. 2014. [55] f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: Introdução: A lesão cavitada por cárie, quando não tratada, pode ser considerada como fator etiológico da má oclusão. No Brasil, têm ocorrido melhoras constantes dos índices de saúde bucal, como observado pela diminuição do índice ceo-d, principalmente em crianças e adolescentes. Entretanto, lesões cavitadas em dentina ainda são responsáveis por 80% do índice no grupo etário de 5 anos de idade, indicando baixo acesso de pré escolares ao tratamento restaurador. O surgimento de tratamentos minimamente invasivos, como o Tratamento Restaurador Atraumático (ART), e o tratamento ultraconservador (UCT) possibilitam assistência odontológica em locais remotos ou com baixa estrutura física. Entretanto, pouco se sabe a respeito do impacto destas alternativas de tratamento, quando realizadas em dentes decíduos, sobre o desenvolvimento da oclusão. Objetivos: a) avaliar a prevalência de má oclusão em escolares de 6 e 7 anos de idade que apresentavam lesões de cárie cavitadas em dentina envolvendo ou não superfícies proximais e também em crianças que apresentavam perda precoce de molar decíduo em decorrência de lesão cariosa; b) comparar as medidas intra-arcos e entrearcos nas três diferentes relações anteroposteriores, Classe I, II e III; c) comparar as medidas intra-arcos e entrearcos em escolares com ou sem lesão de cárie cavitada em dentina nas superfícies proximais ou com perda prematura do molar decíduo; d) avaliar longitudinalmente, se diferentes protocolos restauradores têm influência sobre o desenvolvimento da oclusão. Metodologia: Um ensaio clínico controlado foi realizado em escolares de 6 e 7 anos de idade em seis escolas públicas do Paranoá-DF. Naquele estudo, 302 crianças foram distribuídas em 3 grupos experimentais: amálgama, ART e UCT. Para a presente investigação, modelos de gesso dos arcos superiores e inferiores obtidos de 274 escolares imediatamente após a implementação dos protocolos restauradores foram avaliados (T1), com o objetivo de se determinar a prevalência de má oclusão na população estudada. Para esta análise, as crianças foram agrupadas considerando a presença de lesão cavitada em dentina envolvendo ou não as superfícies proximais e crianças que apresentavam perda precoce de molar decíduo. Novos modelos foram obtidos 2 anos após os tratamentos restauradores (T2). Foram comparadas medidas intra-arcos e entrearcos do T1 e T2 por meio de ANOVAs de medidas repetidas.Resultados: A prevalência de má oclusão em escolares com cárie em T1 foi de 74,5%. O principal fator que contribuiu para a alta prevalência de má oclusão foi a relação anteroposterior de Classe II, e os pacientes com essa relação apresentaram diferença estatisticamente significativa dos demais grupos na sobressaliência (P<0,001) e no comprimento do arco anterior (P<0,001) e na distância intercanina (P=0,002), ambas do arco superior. A sobressaliência foi maior, enquanto a distância intercanina e comprimento do arco anterior foram menores. Quando os escolares foram agrupados pela localização e consequência da lesão de cárie, os grupos com ou sem lesão cavitada nas superfícies proximais não apresentaram diferença estatisticamente significativa das medidas intraarcose entrearcos. No entanto, os escolares com perda prematura do molar decíduo apresentaram o menor perímetro do arco inferior (P=0,002). No que se refere à comparação entre T1 e T2, os escolares tratados pelos três protocolos de tratamento restaurador não apresentaram diferença estatisticamente significativa nas medidas intraarcos, tão pouco nas relações entrearcos ao longo dos 2 anos anos de acompanhamento. Conclusão: Conclui-se que a prevalência de má oclusão foi alta e que a relação anterposterior de Classe II esteve associada com menor distância intercanina superior, menor comprimento de arco anterior superior e maior sobressaliência. Os escolares com perda prematura do molar decíduo tiveram o menor perímetro do arco inferior. As distintas abordagens de tratamento da cárie não alteraram o desenvolvimento da oclusão. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Introduction: Untreated tooth decay can be considered an etiological factor ofmalocclusion. In Brazil there has been constant improvement in oral health indices asdetermined by a reduction in the Decayed, Missing and Filled Teeth (DMFT) Index.However, cavitated lesions in dentine are still responsible for 80% of this index in the 5-year-old age group, indicating that pre-school children do not have adequate access torestorative treatment. The emergence of minimally invasive treatments, such asAtraumatic Restorative Treatment (ART), and Ultraconservative Treatment (UCT) providedental care in remote or underserved locations. Moreover, little is known about the impactof these alternative treatments on occlusion when they are performed in primary teeth.Objectives: a) To assess the prevalence of malocclusion in schoolchildren aged 6 and 7years who presented with cavitated lesions in dentine with or without involvement ofproximal surfaces, as well as children who suffered premature loss of primary molars dueto carious lesions; b) To compare the intraarch and interarch measures in three differentanteroposterior relationships, i.e., Classes I, II and III; c) To compare the intraarch andinterarch measures in schoolchildren who presented with cavitated lesions in dentine withor without involvement of proximal surfaces, or premature loss of primary molars; andfinally, d) To assess longitudinally whether or not different restorative protocols can affectocclusion development. Methods: A controlled clinical trial was conducted amongstudents aged 6 and 7 years in six public schools of Paranoá, Brazilian Federal District. Inthe study, 302 children were divided into 3 experimental groups: Amalgam, ART and UCT.For this investigation, dental casts of the upper and lower arches obtained from 274 schoolchildren immediately after implementation of restorative protocols were evaluated (T1) withthe purpose of determining the prevalence of malocclusion in this population. The childrenwere grouped based on the presence of cavitated lesions in dentine with or withoutinvolvement of proximal surfaces as well as premature loss of primary molars. New castswere obtained 2 years after the restorative treatment (T2). Moreover, intraarch andinterarch measures at T1 and T2 were conducted by means of ANOVA for repeatedmeasures. Results: The prevalence of malocclusion in children with caries at T1 was74.5%. The key factor contributing to a high prevalence of malocclusion was ananteroposterior Class II relationship. The patients with this relationship exhibitedstatistically significant differences compared to the other groups in terms of overjet(P<0.001) and anterior arch length (P <0.001) and intercanine width, all in the upper arch(P =0.002). Overjet was more pronounced while intercanine width was smaller andanterior arch length shorter. When the school children were grouped by location andeffects of carious lesions, the groups - with or without cavitations in proximal surfaces -showed no significant difference in intraarch and interarch measures. Nevertheless,students with premature loss of primary molars exhibited the smallest mandibular archperimeter (P = 0.002). As regards the comparison between T1 and T2, the school childrenwho were treated by the three restorative treatment protocols showed no statisticallysignificant differences in intraarch or interarch measures over a 2-year follow-up period.Conclusions: It was concluded that the prevalence of malocclusion was high and that ananteroposterior Class II relationship was associated with a smaller maxillary intercaninewidth, shorter maxillary anterior arch length and increased overjet. School children withpremature loss of primary molars displayed the smallest mandibular arch perimeter. The different approaches employed with the aim of treating caries had no effect on occlusion development.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FS - Mestrado em Ciências da Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/18093/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.