Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1733
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Pablo_Endrigo_Franco.pdf16,37 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: O riacho do Ipiranga e a independência nos traços dos geógrafos, nos pincéis dos artistas e nos registros dos historiadores (1822-1889)
Autor(es): Franco, Pablo Endrigo
Orientador(es): Brasil, Vanessa Maria
Assunto: Brasil - história
Independencia do Brasil, 1822
Data de publicação: 21-Set-2009
Referência: FRANCO, Pablo Endrigo. O riacho do Ipiranga e a independência nos traços dos geógrafos, nos pincéis dos artistas e nos registros dos historiadores (1822-1889). 2008. 148 f. Dissertação (Mestrado em História)-Departamento de História, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.
Resumo: Esta dissertação aborda as representações oitocentistas acerca do riacho do Ipiranga e da independência na história, na geografia e nas artes. A menção ao riacho do Ipiranga, hoje em dia, traz à maioria dos brasileiros uma imagem bastante específica: D. Pedro I, sobre um cavalo, proclamando a independência do Brasil. Não obstante, no século XIX, a situação era diversa: a independência, durante muitas décadas, não era uma data popular nas festividades nacionais; a região do Ipiranga, por sua vez, era desconhecida fora da província de São Paulo. Nossa análise procura entender a maneira como o local da independência e o próprio fato foram gradativamente valorizados pelo grupo de políticos e pensadores ligados ao Imperador. Por isto, elegemos como fontes de análise as Revistas do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, os relatos de viajantes que visitaram a região, mapas da província de São Paulo e iconografias que tivessem por tema o Ipiranga ou a emancipação, documentos que ressaltam o aspecto simbólico dos processos de construção da memória nacional e de consolidação do Estado imperial. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This dissertation deals with the representations of the Ipiranga creek, in 19th Century Brazil, in the history, geography and arts. Nowadays, most brazilians, when think about the Ipiranga creek, have an especific image about the independency: D. Pedro I, on a horse, proclaiming Brazil’s independence. We had a different scenario in the 19th century: the independence, for many decades, was not a popular national festivitiy; the Ipiranga, on the other hand, was unknown outside São Paulo. Our analysis intend to understand how the local of the independence and the fact itself slowly gained significance, for the political and intellectual group around to the Emperor. Therefor, we selected as primordials sources of research the Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, the diary of the travelers that visited the region, São Paulo’s province maps and iconographies that had by theme Ipiranga or the independence documents that highlights the symbolic aspect of the processes of consolidation of the national memory and the Imperial State.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de História, 2008.
Aparece nas coleções:HIS - Mestrado em História (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.