Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/17141
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_SandraMariaVitóriaCalheiros.pdf733,77 kBAdobe PDFView/Open
Title: Melancolia : da perda do objeto ao luto impossível em Freud e André Green
Authors: Calheiros, Sandra Maria Vitória
Orientador(es):: Lazzarini, Eliana Rigotto
Assunto:: Psicanálise
Melancolia
Luto - aspectos psicológicos
Issue Date: 28-Nov-2014
Citation: CALHEIROS, Sandra Maria Vitória. Melancolia: da perda do objeto ao luto impossível em Freud e André Green. 2014. xi, 97 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: A presente dissertação trata de um estudo essencialmente teórico no âmbito da Psicanálise, cujo objetivo principal constitui-se em compreender questões relativas à constituição e à dinâmica psíquicas do sujeito melancólico desde a perspectiva das implicações de perda de objeto e do luto inelaborável bem como articular as teorias de Freud e Green nesse tema específico. Para isso, percorremos o caminho que Freud trilhou para a elaboração de sua teoria sobre a melancolia, tendo em vista a interlocução com o complexo da mãe morta, cunhado por Green (1988). Partimos do exame detalhado do estudo da melancolia nos textos freudianos que apresentavam relação estreita com o assunto estudado inicialmente nos Rascunhos de Freud a Fliess e, posteriormente, com a concepção de luto em Freud. Elegemos destes artigos os elementos constitutivos da melancolia, como a perda do objeto, a identificação narcísica e a ambivalência. Frisamos a introdução do conceito da pulsão de morte e supereu na psicanálise e a partir daí o direcionamento do pensamento freudiano no que diz respeito à melancolia, sem, no entanto, anular as formulações já existentes. Com a introdução do conceito de pulsão de morte, vemos a importância deste relacionado com o supereu que, por meio do sadismo, atua sobre o eu, muitas vezes de forma mortífera. Nesta nova ação, a concepção de melancolia muda substancialmente para o conflito entre o eu e o supereu. A pulsão de morte então ganha destaque na articulação com o conceito de narcisismo moral de Green. Essa revisão se propôs a servir de base para a realização da leitura de Green acerca do complexo da mãe morta, o trabalho do negativo e a articulação com a melancolia. Assim, chegamos à conclusão de que com a perda do objeto há uma impossibilidade de elaboração do luto tanto na melancolia quanto no complexo da mãe morta. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
This dissertation is about an essentially theoretical work in the scope of psychoanalysis whose primary objective is to understand issues underlying the psychic constitution and dynamics of the melancholic subject, starting from the perspective of the entailments of the object loss and of the non-elaboratable mourning, articulating, as well, Freud’s and André Green’s theoretical works on this specific topic. For such, we have retraced Freud’s steps through the elaboration of his theory of melancholy while connecting it with Green’s Dead Mother Complex construct. We have started by carrying out a detained examination of the studies of melancholy in Freud’s papers, firstly from the Sketches between Freud and Fliess, and subsequently the understanding of mourning in Freud’s conception. We have selected the constitutive elements of melancholy in these papers, namely the object loss, the narcissistic identification and the ambivalence. We have highlighted the introduction of the concepts of death drive and superego in psychoanalysis and, there onward, Freud’s thoughts on melancholy, nonetheless, not nullifying pre-existing constructs. With the introduction of the concept of death drive it becomes evident the value of its relation with the superego which, by the means of sadism, acts upon the self, many times in a deadly manner. This new understanding of the concept of melancholy shifts drastically to the conflict between the ego and the superego. The death drive stands out and we relate it with Green’s moral narcissism. This review intends to underlie a study of Green’s Dead Mother Complex, the negative’s work and the articulation with melancholy. Therefore, we have reached the conclusion that with the object loss, both in melancholy and in the Dead Mother Complex, there is the impossibility of the mourning elaboration.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:PCL - Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/17141/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.