Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16765
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_VanessaToralesPorto.pdf928,69 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Acurácia do teste NS1 para dengue no contexto epidemiológico brasileiro
Autor(es): Porto, Vanessa Torales
Orientador(es): Pinto Júnior, Vitor Laerte
Assunto: Dengue - diagnóstico
Antígenos
Dengue - epidemiologia
Vigilância epidemiológica
Data de publicação: 5-Nov-2014
Referência: PORTO, Vanessa Torales. Acurácia do teste NS1 para dengue no contexto epidemiológico brasileiro. 2014. 53 f., il. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Resumo: Introdução: A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo, a forma mais grave da doença é a dengue hemorrágica, fatal se não tratada. No mundo, ocorre em mais de 100 países e territórios – 2,5 bilhões de pessoas estão sob o risco de contraí-la, e anualmente a taxa de incidência atinge 50 milhões de casos (Tauil, 2002). A dengue é uma enfermidade causada por um arbovírus da família Flaviviridae, gênero Flavivírus, que inclui quatro tipos imunológicos: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. Um importante alvo dos anticorpos para DENV é a proteína NS1, uma glicoproteína conservada que parece ser essencial para a replicação do vírus. Recentemente, os testes para a detecção do antígeno NS1 no soro humano foram evoluindo. O antígeno NS1 é encontrado juntamente com endotélio, livre ou solúvel no soro de pacientes, a partir de um dia antes do início dos sintomas e pode ser detectado, pelo menos, até cinco dias após o início dos sintomas, o que permite um diagnóstico precoce da doença. Objetivo: Avaliar a acurácia diagnóstica para a detecção do antígeno NS1 Dengue pelo formato ELISA, quando utilizada por laboratórios de saúde pública. Métodos: estudo analítico retrospectivo dos exames de dengue oriundos das unidades sentinelas de dengue e laboratórios de referência nacional e estaduais no período de 2009 a 2010. Foram calculados os valores de sensibilidade, especificidade, Valor preditivo positivo e valor preditivo negativo. Resultados: A sensibilidade média do kit encontrada nos seis estados envolvidos no estudo foi de 94,5% e a especificidade média foi de 61,20%. O valor preditivo positivo de 81,48% no ano de 2009 e em 2010 o valor caiu para 66,17%, e o valor preditivo negativo no ano de 2009 foi de 89,91% e no ano de 2010 o valor aumentou para 94,43%. Conclusão: Considerando a sensibilidade de 94,50% encontrada podemos considerar que o teste é sensível, e raramente deixará de encontrar pessoas com a doença. Em relação a especificidade de 61,20%,considera-se um valor abaixo do esperado, podendo ocasionar resultados falsos negativos. O kit é sensível, porém pouco específico. __________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Introduction: Dengue fever is one of the main public health issues in the world. In its most severe form, dengue hemorrhagic fever, it causes gastrointestinal hemorrhaging which, if untreated, can lead to death. It has been detected in more than 100 countries and territories worldwide -approximately 2.5 billion people are at risk of contracting dengue fever and incidence rate is of 50 million cases per year (Tauil, 2002). Dengue fever is caused by an arbovirus of the family Flaviviridae and genus Flavivirus and includes four serotypes: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. An important target of antibodies against DENV is the protein NS1, a conserved glycoprotein that appears to be essential for viral replication. Recently, tests for the detection of NS1 antigen in human serum have evolved. This antigen is found in the endothelium, in a free form or soluble in serum of infected patients after one day before symptoms begin, which allows for early diagnosis of the disease. Objective: To evaluate the diagnostic accuracy in the detection of the NS1 antigen in an ELISA format in public health laboratories. Methods: A descriptive retrospective cohort study of dengue laboratory results from sentinel, state and national reference laboratories in 2009 and 2010. Sensitivity, specificity, positive and negative predictive values were determined. Results: The mean sensitivity of the Elisa kit in the six states involved in this study was 94.5% and the mean specificity was 61.2%. Positive predictive value was 81.48% in 2009 and decreased to 66.17% in 2010, whereas the negative predictive value was 89.91% and increased to 94.43% in the years 2009 and 2010, respectively. Conclusion: Considering the mean sensitivity of 94.50%, it can be concluded that the test will rarely fail at detecting contaminated patients. The mean specificity was lower than expected and it can be concluded that mistakes can occur, particularly in assigning false negatives. The kit is sensitive, however non-specific.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2014.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:DSC - Mestrado Acadêmico em Saúde Coletiva (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.