Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16554
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_JeronimoMoisesMendozaFlores.pdf2,27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Morfologia e meiose em cultivares e escapees de mandioca (Manihot esculenta Crantz)
Outros títulos: Morphology and meiosis in cultivars and escapes of cassava (Manihot esculenta Crantz)
Autor(es): Mendoza Flores, Jeronimo Moises
Orientador(es): Nassar, Nagib Mohammed Abdalla
Assunto: Mandioca - melhoramento genético
Mandioca
Citogenética
Data de publicação: 17-Out-2014
Referência: MENDOZA FLORES, Jeronimo Moises. Morfologia e meiose em cultivares e escapees de mandioca (Manihot esculenta Crantz). 2013. viii, 47 f., il. Dissertação (Mestrado em Botânica)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: Oito taxas da mandioca Manihot esculenta Crantz: seis variedades denominadas UnB 032, UnB 318, UnB 530, UnB 567, UnB 110, UnB 122, e dois escapees, foram estudados citogenética e morfologicamente. Avaliou-se o comportamento cromossômico meiótico, em que cinco das seis variedades (UnB 032, UnB 318, UnB 530, UnB 567, UnB 110) registraram pareamento regular. Na metáfase I, o pareamento apresentou uma variação de 18 bivalentes até 17 bivalentes, e um par de univalentes, com uma frequência média de bivalentes de 17,7-18. Tal pareamento refletiu na formação de tétrades – apresentando variação de 94,2-96.1% de regularidade – e na viabilidade do pólen, que esteve entre 79-94.5%, conforme cada variedade e idade. Entre as cultivares, a exceção foi a variedade UnB 122, que apresentou pareamento irregular de 16 bivalentes e dois pares de univalentes – o que comprometeu a formação das tétrades, observando-se 31,3% de regularidade e, consequentemente, baixa fertilidade de pólen: 19,8%. Este fato pode ser interpretado devido a natureza híbrida entre mandioca e Manihot anomala Pohl. Os escapees apresentaram características morfológicas que permitem ser reconhecidas nos espécimes dos herbários e em habitat natural, mesmo não sendo suficientemente robustos para serem distinguidos como espécies. O registro dos referidos escapees – algo novo para a cultura da mandioca – merece especial atenção, devendo ser ação de futuras pesquisas, uma vez que estes podem facilitar o cruzamento com a espécie cultivada, tornando-se uma questão de interesse relevante para o melhoramento da cultura. ______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Eight taxa of cassava - Manihot esculenta Crantz: six varieties namely UnB 032 e UnB 318, UnB 530, UnB 567, UnB 110, UnB 122 and two escapee, were studied cytogenetic and morphologically. Meiotic behaviour was evaluated, where five of the six varieties (UnB 032 e UnB 318, UnB 530, UnB 567 and UnB 110) registered regular pairing. In metaphase I pairing varied from 18 bivalent to 17 bivalent and a pair of univalent, with a frequency of bivalents is ranging from 17.7-18. This pairing reflected tetrad formation that ranged from 94.2-96.1% of regularity, and consequently pollen viability achieving 79-94.5%, due the variety and time that sample was synthesized. Within the cultivars the exception was the variety UNB 122 which presented irregular pairing of 16 bivalents and two pairs of univalent. This committed the formation of tetrads with only 31.3% of regularity and consequently low pollen fertility, only 19.8%. This fact can be interpreted due to its hybrid nature between cassava and Manihot anomala Pohl. The escapee showed a morphological feature that allows it to be recognized in specimens from herbaria and natural habitat, but these are not sufficiently robust to distinguish them as independent species. The register of these two escapes, new for cassava crop, deserves special attention and should be the subject of future research. Mainly because it has the benefit of being able to easily cross with cultivated species, fact of high interest for cassava improvement.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2013.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:BOT - Mestrado em Botânica (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.