Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16282
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_OrigemRamificacaoArteria.pdf2,05 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Origem e ramificação da artéria mesentérica cranial em fetos de cães (Canis familiaris) da raça american Pit Bull Terrier
Outros títulos: The origin and branching of cranial mesenteric artery in fetal dogs (Canis familiaris) of breed american Pit Bull Terrier
Autor(es): Lima, Eduardo Maurício Mendes de
Silva, Frederico Ozanam Carneiro e
Severino, Renato Souto
Galaxe, Marcos Roberto Véras
Melo, Flávia Azevedo Cavalcanti de
Assunto: Artérias
Aorta abdominal
Anatomia veterinária
Cão
Data de publicação: Mar-2012
Editora: Universidade Federal de Uberlândia
Referência: LIMA, Eduardo Maurício Mendes de et al. Origem e ramificação da artéria mesentérica cranial em fetos de cães (Canis familiaris) da raça American Pit Bull Terrier. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 28, n. 2, p. 265-269, mar./abr. 2012. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/8061/8488>. Acesso em: 29 ago. 2014.
Resumo: Estudou-se a origem e ramificações da artéria mesentérica cranial em 30 fetos de cães da raça American Pit Bull Terrier, sendo 12 fêmeas e 18 machos. Estes animais foram provenientes de canis da região do Distrito Federal e originaram-se de abortos ou mortes naturais. As peças coletadas foram preparadas com injeção de Neoprene Latéx “450”, corada com pigmento específico, na aorta torácica descendente, e posteriormente fixada em solução aquosa de formal a 10%. A artéria mesentérica cranial originou-se isoladamente da aorta abdominal caudalmente à artéria celíaca em todos os cães estudados, assim como emitiu as artérias cólicas direita e média, ileocecocólica, cecal, ileocecal, ileal, jejunais e pancraticoduodenal caudal. A artéria mesentérica enviou os seguintes ramos: adrenal esquerdo (56,67%), adrenal direito (50%), pancreático da artéria mesentérica cranial (10%), cólico (80%), duodenal da primeira artéria jejunal (3,33%) e pancreaticoduodenal caudal (90%). Os resultados desse estudo mostraram uma uniformidade nos animais estudados no que se refere à origem da artéria mesentérica e na emissão de alguns ramos. As principais variações foram observadas no que se refere a presença dos ramos adrenal esquerdo e direito, pancreático da artéria mesentérica caudal e duodenal da primeira da primeira artéria jejunal, assim como, no número de ramos emitidos pelas artérias jejunais. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Were studied the origin and ramifications of the cranial mesenteric artery in 30 fetuses of dogs bred American Pit Bull Terrier, 12 females and 18 males. These animals were from kennels in the region of the Federal District and were derived from natural deaths or abortions. The collected pieces were prepared with an injection of Neoprene 450 latex colored with pigment specific in the descending thoracic aorta, and subsequently fixed in aqueous 10% formal. The cranial mesenteric artery originated separately from the abdominal aorta caudal to the celiac artery in all dogs studied, as well as gave the right and middle colic arteries, ileocecocolic, cecum, ileocecal, ileal, and jejunal pancraticoduodenal flow. The cranial mesenteric sent the following branches: the left adrenal (56.67%), right adrenal (50%), pancreatic of the mesenteric artery (10%), colic (80%), duodenal of the first jejunal artery (3.33%) and caudal pancreaticoduodenal (90%). The results of this study showed a uniformity in the animals studied in relation to the origin of mesenteric artery and the delivery of some branches. The main changes were observed regarding the presence of branches left and right adrenal, pancreatic of the mesenteric artery and duodenal of the first jejunal artery, as well as the number of branches emitted by jejunal arteries.
Licença: Bioscience Journal - Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons (Attribution 3.0 Unported (CC BY 3.0)). Fonte: http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/8061/8488. Acesso em: 29 ago. 2014.
Aparece nas coleções:FAV - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.