Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1626
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE DOUTORADO_ MARIA ALICE TOLEDO.pdf2,29 MBAdobe PDFView/Open
Title: Modulação autonômica do coração avaliada pela variabilidade da freqüencia cardíaca, e sua correlação com a função cognitiva na doença de alzheimer
Authors: Toledo, Maria Alice de Vilhena
Orientador(es):: Junqueira Júnior, Luiz Fernando
Assunto:: Variabilidade da freqüência cardíaca
Alzheimer, Doença de
Alteração cognitiva
Função autonômica cardíaca
Issue Date: 2007
Citation: TOLEDO, Maria Alice de Vilhena. Modulação autonômica do coração avaliada pela variabilidade da freqüencia cardíaca, e sua correlação com a função cognitiva na doença de alzheimer. 2007. 195 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: A doença de Alzheimer (DA) é a causa de demência neurodegenerativa mais comum em idosos. Os estudos na procura para bases neurológicas na doença de Alzheimer focaram-se ao longo dos anos, principalmente, na neurotransmissão central, especialmente no sistema colinérgico. As manifestações clínicas de declínio cognitivo das atividades funcionais e do transtorno de comportamento estão associadas ao comprometimento do sistema colinérgico, desde os estágios mais precoces da doença. Como a acetilcolina é o principal neurotransmissor do ramo parassimpático do sistema nervoso autonômico, bem como da neurotransmissão simpática pré-ganglionar, é possível que o sistema nervoso autonômico esteja alterado na DA. O presente estudo tem como objetivo avaliar e comparar a função autonômica cardíaca, usando a variabilidade da freqüência cardíaca, nos domínios do tempo e da freqüência, em registros de curta duração (5 minutos), em duas posições funcionais (supina e ortostática), em 22 pacientes com DA, que preenchiam os critérios diagnósticos de doença de alzheimer pelo DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Doenças Mentais, quarta edição) e DA “provável”, pelo “National Institute of Neurological and Communicative Disorders and Stroke” and the “Alzheimer’s Disease and Related Disorders Association” (NINCDS/ADRDA), encaminhados pelo serviço de geriatria do Hospital Universitário de Brasília e 24 idosos sadios da comunidade, todos com escolaridade mínima de quatro anos. Realizamos, também, a correlação da função autonômica e o estado mental avaliado por meio de três testes de avaliação cognitiva (CAMCOG, CDR e Mini Exame do Estado Mental), nos pacientes com de DA. Os 24 voluntários saudáveis não apresentavam alterações cognitivas nos testes utilizados (CAMCOG; Stroop Test; Digit Span; Digit Symbol; Teste de Controle Mental; Trail Making parte A e B e Auditory Verbal Learning Test), nem evidência clínica ou eletrocardiográfica de qualquer doença, e não estavam em uso de qualquer medicação. Não puderam participar do estudo, os idosos com DA que apresentaram pontuação maior que 4 na escala de Hachinski, alteração no exame de imagem (tomografia ou ressonância magnética)ou estavam em uso de qualquer medicação, bem como os que apresentavam alguma evidência clínica de outra doença que não a DA. A idade variou entre 60 e 89 anos (média 79,6 ± 1,4) no grupo com DA e entre 60 e 91 anos (média 68,6 ± 1,6) no grupo de idosos sadios. O tempo de evolução da demência variou de 2-15 anos, sendo que seis pacientes tinham demência leve (CDR = 1), cinco pacientes com demência moderada (CDR = 2) e onze com demência severa (CDR = 3). A pontuação, no CAMCOG, variou de 0-74 (média 24,14 ± 25,99) e no MEEM de 0-20 (média 6,77 ± 6,86). Todos os pacientes podiam andar sozinhos ou com mínima assistência. As análises temporais e espectrais da variabilidade da freqüência cardíaca evidenciaram depressão absoluta e relativa da atividade parassimpática, bem como aumento absoluto e relativo da atividade simpática, independentes da diferença de idade, nos pacientes com DA, na posição supina. Também observamos, no grupo de DA, correlação significativa e positiva entre os índices temporais e espectrais, que traduzem atividade parassimpática e a função cognitiva, nos três testes de avaliação cognitiva utilizados. Esses dados sugerem uma disfunção autonômica cardíaca em pacientes com doença de Alzheimer, correlacionada à função cognitiva. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Alzheimer’s disease (AD) is the most common cause of neurodegenerative dementia among elderly people. Along the years, studies searching for the neurological basis for the Alzheimer’s disease were particularly aimed at the central neurotransmission, especially in relation to the cholinergic system. The clinical manifestations of cognitive and functional activities decline and behavior disorders are associated with the compromising of the cholinergic system since the earliest stages of the disease. Since acetylcholine is the main neurotransmitter in the parasympathetic branch of the autonomic nervous system (ANS) and in the preganglionar sympathetic neurotransmission, it is possible that the autonomic nervous system is altered in the AD. The objective of the present study is to evaluate and compare the heart autonomic function using the heart rate variability in the time and frequency domains in short-term records (5 minutes) in two functional positions (supine and orthostatic) in 22 patients with AD, who fulfilled the diagnostic criteria for the Alzheimer’s disease by the DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fourth Edition) and “probable” AD by the “National Institute of Neurological and Communicative Disorders and Stroke” and the “Alzheimer’s Disease and Related Disorders Association” (NINCDS/ADRDA) and were led to the geriatrics service of the Brasilia University Hospital, and 24 healthy old-aged fellows from the community, all with 4-years minimum educational level. The correlation between autonomic cardiac function and mental status was also performed by means of three cognitive evaluation tests (CAMCOG, CDR and Mini Mental Status Exam) in patients with AD. The 24 healthy volunteers did not present cognitive alterations in the tests performed (CAMCOG; Stroop Test; Digit Span; Digit Symbol ; Mental control test; Trail Making part A and B and Auditory Verbal Learning Test ) or clinical or electrocardiographic evidence of any disease, and were making use of no medication at all. AD patients presenting score above 4 in the Hachinski scale; alterations in the image exam (computed tomography or magnetic ressonance) or those making use of any medication, as well as those presenting any clinical evidence of other disease else than AD were excluded from the study. Their ages ranged from 60 to 89 years (mean 79.6 ± 1.4) in the group with AD and from 60 to 91 years (mean 68.6 ± 1.6) in the group of healthy volunteers. The dementia evolution time ranged from 2-15 years, and six patients presented light dementia (CDR = 1), five presented moderate dementia (CDR = 2) and eleven presented severe dementia (CDR = 3). The CAMCOG score ranged from 0 to 74 (mean 24.14 ± 25.99) and the MEEM from 5 to 18 (mean 6,77 ± 6,86). All patients were able to walk without any help or with minimum help. The temporal and spectral analysis of the heart variability evidenced absolute and relative depression of the parasympathetic activity as well as an increase on the absolute and relative sympathetic activity, regardless the age differences among the groups. Significant and positive correlation between temporal and spectral indexes that express parasympathetic activity and cognitive function was also observed in the AD group in the three cognitive evaluation tests employed. These data suggest an autonomic dysfunction in patients with Alzheimer’s disease, characterized by mild to moderate absolute and relative parasympathetic depression and relative sympathetic exacerbation, with sympathovagal imbalance towards the sympathetic dominance, which was correlated with the cognitive function.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2007.
Appears in Collections:FMD - Doutorado em Ciências Médicas (Teses)
UnB - Brasília 50 anos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/1626/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.