Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16224
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_EstudoMorfoquantitativoMicroestrutura.pdf677,6 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Estudo morfoquantitativo e da microestrutura da glândula pineal em ovinos santa inês
Outros títulos: Microstructure and morphoquantitative study of pineal gland in santa ines sheep
Autor(es): Lima, Eduardo Maurício Mendes de
Santana, Marcelo Ismar Silva
Castro, Márcio Botelho de
Benedicto, Hildebrando Gomes
Ferreira, P. M.
Vianna, André Rodrigues da Cunha Barreto
Assunto: Concreções calcáreas
Glândula pineal
Mastócitos
Ovelhas
Data de publicação: 2011
Editora: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinária - Universidade Estadual Paulista
Referência: LIMA, E. M. M. et al. Estudo morfoquantitativo e da microestrutura da glândula pineal em ovinos Santa Inês. ARS veterinária, Jaboticabal, SP, v.27, n.3, p. 186-191, 2011. Disponível em: <http://www.arsveterinaria.org.br/index.php/ars/article/viewFile/375/353>. Acesso em: 25 ago. 2014.
Resumo: O presente estudo avaliou os aspectos morfoquantitativos e qualitativos da glândula pineal em fêmeas de ovinos da raça Santa Inês em atividade reprodutiva e anestro fisiológico. Foram utilizados sete ovinos, fêmeas e adultas, coletados em frigoríficos da região de Brasília-DF. Estes não apresentavam sinais clínicos relacionados a afecções do sistema nervoso. Os encéfalos foram retirados e suas dimensões mensuradas. Posteriormente foram seccionados para expor a glândula pineal e mensurar suas dimensões. Os fragmentos do diencéfalo, contendo a glândula pineal, foram submersos em solução aquosa a 20% de formaldeído e posteriormente submetidos a técnicas histológicas convencionais. Para a avaliação morfoquantitativa desta glândula, foram empregadas as colorações Hematoxilia-Eosina, Azul de Toluidina e Tricrômio de Gomori. O encéfalo teve um comprimento médio de 67,25 ± 1,75 mm e a largura média de 58,97 ± 4,0 mm. Já a glândula pineal apresentou o comprimento médio de 6,98 ± 0,79 mm e a largura média de 6,40 ± 1,35 mm. Diante da análise microscópica, foi obtida uma média de 86,27 ± 30,44 pinealócitos por campo. Ao ser aplicado o teste de correlação de Pearson, o número de pinealócitos apresentou fraca correlação linear negativa (r = -0,11) em relação ao comprimento da glândula pineal e uma fraca correlação linear positiva (r = 0,39) em relação à largura da mesma. Portanto o número de pinealócitos apresenta uma maior correlação com a largura da glândula do que com o seu comprimento. Mastócitos estiveram presentes em apenas um animal (14,28%) e as concreções calcareas foram observadas em dois animais (28,57%). A glândula se mostrou envolta por uma cápsula de tecido conjuntivo com ausência de projeções para o parênquima. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This study examined morphologic aspects of the pineal gland in Santa Ines sheep in anoestrus physiological and reproductive activity. Seven female adult sheep were collected at slaughterhouses in the region of Brasilia-DF, with no clinical signs related to diseases of the nervous system were used. The brains were removed and their dimensions were measured. The brains were sectioned to expose and measure the pineal gland. The fragments of the diencephalon containing the pineal gland were immersed in 20% formaldehyde solution. Subsequently, the fragments were submitted to conventional histological techniques. The Hematoxylin-eosin, Toluidine blue and Gomori trichrome staining were used for a morphoquantitative analysis. The brain had an average length of 67.25 ± 1.75 mm and average width of 58.97 ± 4.0 mm. The pineal gland had an average length of 6.98 ± 0.79 mm and average width of 6.40 ± 1.35 mm. The quantitative analysis showed an average 86.27 ± 30.44 of pinealocytes per field. According to the Pearson correlation test, the number of pinealocytes showed a weak negative linear correlation (r = -0.11) with the length of the pineal gland and a weak positive linear correlation (r = 0.39) with the width. Therefore, the number of pinealocytes has a stronger correlation with the width of the gland compared to the length. Mastocytes were present in only one animal (14.28%). Calcareous concretions were observed in two animals (28.57%). The connective tissue formed the capsule surrounding the gland with no projections into the parenchyma.
Licença: Revista Ars Veterinaria - Permite-se a reprodução total ou parcial dos trabalhos, desde que seja indicada explicitamente a fonte de referência Fonte: http://www.arsveterinaria.org.br/index.php/ars/about/submissions#copyrightNotice. Acesso em: 27 ago. 2014.
Aparece nas coleções:FAV - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.