Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/16161
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2014_PriscilaFarageGouveia.pdf852,27 kBAdobe PDFView/Open
Title: Avaliação de contaminação por glúten em alimentos isentos de glúten comercializados em panificadoras
Authors: Gouveia, Priscila Farage de
Orientador(es):: Zandonadi, Renata Puppin
Coorientador(es):: Pratesi, Riccardo
Assunto:: Doença celíaca
Glúten
Contaminação - alimentos
Panificação
Issue Date: 28-Aug-2014
Citation: GOUVEIA, Priscila Farage de. Avaliação de contaminação por glúten em alimentos isentos de glúten comercializados em panificadoras. 2014. 58 f., il. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Abstract: A doença celíaca (DC) é uma enteropatia autoimune desencadeada pelo consumo de glúten em indivíduos geneticamente predispostos. Atualmente, o único tratamento seguro e eficaz é a exclusão completa de glúten da alimentação por toda a vida. Contudo, manter a dieta pode ser complicado devido à possível contaminação por glúten em alimentos supostamente isentos desta proteína, o que leva a um consumo involuntário de glúten e consequentemente problemas de saúde para o portador de DC. Locais de grande manipulação de farinha de trigo e outros cereais com glúten, como as panificadoras, caracterizam então um ambiente de risco para a produção de alimentos isentos de glúten. Ressalta-se que esse tipo de estabelecimento é bastante frequentado pela população geral e a disponibilidade de produtos de panificação isentos de glúten derivados do polvilho pode justificar sua procura também por portadores de DC. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a segurança do consumo de produtos isentos de glúten comercializados em panificadoras para portadores de DC. Foram coletadas 130 amostras de alimentos provenientes de 25 panificadoras de Brasília. Para a quantificação de glúten, utilizou-se o ensaio imunoenzimático indireto e os resultados foram expressos em ppm, considerando-se 20 ppm como limite máximo de glúten permitido para alimentos classificados como isentos, como proposto pelo Codex Alimentarius. Os resultados da análise revelaram um total de 21,50% de contaminação entre as amostras. Além disso, 64% das panificadoras apresentaram contaminação em algum de seus produtos analisados. Esses achados representam um risco para os portadores de DC, já que a ingestão de traços de glúten pode ser suficiente para desencadear alterações na mucosa intestinal e repercutir negativamente sobre a saúde do celíaco. Destaca-se a necessidade de elaborar estratégias e políticas públicas que fomentem a produção segura de alimentos isentos de glúten para os celíacos, contribuindo assim para melhorar a qualidade de vida desses indivíduos. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Celiac disease (CD) is an autoimmne enteropathy triggered by the ingestion of gluten in genetically predisposed individuals. Currently, the only safe treatment consists of life-long adherence to the gluten-free diet (GFD). However, maintaining the diet is complicated due to possible gluten contamination in supposedly gluten-free products, which leads to involuntary gluten intake and consequently health problems for CD carriers. In facilities where there is a wide use of wheat flour and other gluten-containing cereals, such as bakeries, the risk of cross contamination may be a reality. These establishments are usually quite frequented by the population in general and the availability of gluten-free bakery products derived from tapioca flour may attract CD consumers. Therefore, the aim of this study was to assess the safety of gluten-free bakery products’ consumption by CD patients. A total of 130 samples were collected from 25 bakery establishments in Brasilia. For the quantification of gluten, the enzyme linked immunosorbent assay was used and the results were expressed in ppm. The threshold of 20 ppm of gluten was considered as the safe upper limit for gluten-free food, as proposed by the Codex Alimentarius. The results revealed a total of 21.50% of contamination among the samples. Moreover, 64% of the bakery establishments presented at least one contaminated product among the analyzed samples. These findings represent a risk for CD patients since the ingestion of gluten traces may be sufficient to provoke changes in the intestinal mucosa and adversely impact on the health of CD carriers. Thus, it is important to come up with strategies and public policies that enable the safe production of gluten-free food and contribute to a better quality of life for CD individuals.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, Programa de Pós-Graduação em Nutrição Humana, 2014.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:NUT - Mestrado em Nutrição Humana (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/16161/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.