Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1576
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_Andre_Ricardo_Nunes_Martins.pdf2,71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A polêmica construída : racismo e discurso da imprensa sobre a política de cotas para negros
Autor(es): Martins, André Ricardo Nunes
Orientador(es): Magalhães, Maria Izabel Santos
Assunto: Sistema de cotas
Racismo
Imprensa - análise do discurso
Questão racial - política
Data de publicação: 2004
Referência: MARTINS, André Ricardo Nunes. A polêmica construída: racismo e discurso da imprensa sobre a política de cotas para negros. 2004. 210 f. Tese (Doutorado em Linguística)-Universidade de Brasília, Brasília, 2004.
Resumo: Esta tese investiga o racismo discursivo de que são vítimas os afrodescendentes no Brasil, cerca de 45% da população brasileira, por meio da análise do discurso da imprensa sobre a política de cotas para negros nas universidades. Com base na Análise de Discurso Crítica e, especialmente, nas contribuições teórico-metodológicas de N. Fairclough, T. A. van Dijk e R. Fowler, examinamos textos de seis principais gêneros discursivos – reportagem, editorial, artigo, coluna, entrevista e carta ao (à) editor(a) – provenientes de três importantes jornais brasileiros, Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil e A Tarde, selecionados entre janeiro de 2002 e dezembro de 2003. Identificamos e analisamos o modo pelo qual a seleção vocabular, os títulos, o uso da negação, o emprego da modalidade, a argumentação e o uso da metáfora e da ironia manifestam-se nos textos, construindo sentidos a serviço de um determinado projeto ideológico. É uma operação ideológica, portanto, que determina a mobilização de sentidos nesse processo discursivo, fazendo com que uns prevaleçam em detrimento de outros. Os textos são vistos como produtos de um processo dinâmico e sua análise é ancorada na análise das práticas discursivas e sociais. Nessa perspectiva, consideramos como a linguagem se manifesta a serviço do poder, sendo o discurso a realização da “linguagem como prática social”, e como as cotas para negros e o debate realizado na imprensa são produtos da relação dialética de três âmbitos ou dimensões sociais: o racismo, o discurso e a imprensa. Cada um desses âmbitos tem sua própria especificidade, interagindo dialeticamente de modo a constituir uma esfera pública em que atores sociais atuam, tomam posição e são representados em relação às cotas. Consideramos a construção de um consenso na sociedade brasileira sobre o racismo e as políticas de ação afirmativa, bem como de uma luta hegemônica pelo controle desse consenso. O debate das cotas na imprensa é local de manifestação e de reprodução dessa luta. A análise realizada mostra as estratégias discursivas para se descaracterizar as cotas como política pública relevante e como, por meio desse debate, os afrodescendentes são representados no discurso da imprensa. Consideramos, ainda, como essa representação favorece o racismo discursivo e como a realidade do racismo é apresentada ou ignorada no discurso da imprensa. __________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This thesis investigates discursive racism which victimises millions of people of African descent – nearly half of Brazilian population – through the analysis of the Press discourse about affirmative action for black students in public universities. Based upon Critical Discourse Analysis (CDA) and, specially, the theoretical-methodological contributions by N. Fairclough, T. A. van Dijk and R. Fowler, we examine texts from six genres – newspaper report, editorial, article, column, interview and letter to editor – selected from three influential Brazilian newspapers, Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil and A Tarde, collected between January 2002 and December 2003. We identify and analyse the ways in which the vocabulary, headlines, negation, modality, argumentation, metaphors and irony appear in the texts, construing meanings in the service of a certain ideological project. So, it is an ideological operation that determines the mobilisation of meanings in this discursive process, causing that some predominate over others. Texts are seen as the products of a dynamic process and its analysis is based on the analysis of discursive and social practices. In addition, we consider how language operates in the service of power. In this view, discourse is seen as “language as social practice”. So, the quotas (affirmative action), and the debate which occurs in the Press are products of the dialectical relation among three social domains: racism, discourse and the Press. Each of these has its own specificity, interacting dialectally in order to constitute a public sphere in which social actors act, take position and are represented in relation to the quotas. We consider the construction of a consensus in Brazilian society about racism and affirmative action policies. Also, there is a hegemonic struggle for the control of this consensus. The quotas debate in the Press is a site for the manifestation and reproduction of this struggle. The analysis shows the discursive strategies which question the quotas as relevant social policy and how, through this debate, Black people are represented in the Press discourse. We also examine how this representation in this discourse favours discursive racism and how racism is represented or ignored in the Press discourse.
Informações adicionais: Tese(doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Classicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2004.
Aparece nas coleções:LIP - Doutorado em Linguística (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons