Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/15751
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_ReacaoGenotiposMelancia.pdf241,3 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Reação de genótipos de melancia ao crestamento gomoso do caule
Outros títulos: Response of watermelon cultivars to gummy stem blight
Autor(es): Santos, Gil Rodrigues dos
Café Filho, Adalberto Corrêa
Assunto: Melancia
Fungos fitopatogênicos
Data de publicação: Out-2005
Editora: Associação Brasileira de Horticultura
Referência: SANTOS, Gil Rodrigues dos; CAFÉ FILHO, Adalberto C. Reação de genótipos de melancia ao crestamento gomoso do caule. Horticultura Brasileira, Brasilia, v. 23, n. 4, p. 945-950, out./dez. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-05362005000400017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 2 abr. 2014.
Resumo: Face à importância do crestamento gomoso do caule e à escassez de relatos da reação de genótipos de melancia na literatura nacional e internacional, este trabalho teve por objetivo avaliar a resposta de genótipos comerciais de melancia ao crestamento gomoso. No campo, estudou-se o nível de infecção nas folhas em delineamento de blocos ao acaso com nove cultivares de melancia e quatro repetições, com inoculação de duas plantas por parcela aos 43 dias após o plantio (DAP). Foram avaliadas as cultivares Crimson Sweet, Onix, Rubi, Safira, Eureka, Georgia, Sheila, Savana e Riviera. Em casa de vegetação, estudou-se a infecção no caule em vasos, com delineamento inteiramente casualizado, com três repetições, em esquema fatorial de 9 x 3, sendo o fator “a” = cultivares e o fator “b” = isolados. Foram avaliadas as mesmas cultivares do ensaio de campo, com inoculação artificial com disco de micélio aos 15 dias após a semeadura, quando do surgimento da primeira folha definitiva. Os isolados de D. bryoniae utilizados na inoculação das plântulas foram: UnB 76 (Melão-DF), UnB 75 (Melancia-PE) e UnB 81 (Abó- bora-DF). Dentre as cultivares avaliadas no campo, Riviera mostrou-se mais resistente e apresentou menores (P<0,05) índices de infecção foliar aos 74 e 79 dias após plantio (DAP), e também menor valor da área abaixo da curva de progresso de doença (AACPD). Foram altamente suscetíveis Crimson Sweet, Rubi, Onix e Safira, que apresentaram os mais altos níveis de infecção nas folhas aos 74 DAP e também altos valores de AACPD. Na avaliação da doença no caule, em casa de vegetação, Riviera também apresentou a menor AACPD (P<0,05). Foi significativa a correlação (r=0,77) entre a resposta das cultivares em campo (resistência das folhas) e em casa de vegetação (resistência no caule).
Abstract: Gummy stem blight, caused by Didymella bryoniae, is one of the most important watermelon diseases. Nevertheless, there are relatively few published studies on the response of watermelon genotypes to the disease. This paper reports results of studies on the response of commercially available watermelon cultivars to gummy stem blight. Leaf infection was studied in a randomized complete block field experiment with nine watermelon genotypes and four replicates. Two plants per experimental plot were inoculated 43 days after planting. Cultivars Crimson Sweet, Onix, Rubi, Safira, Eureka, Georgia, Sheila, Savana and Riviera were evaluated. Stem infection was studied in the greenhouse, in a completely randomized design, with three replicates, in a 9 X 3 factorial, where plant cultivars corresponded to factor “a” and pathogen isolates corresponded to factor “b”. The same nine cultivars were examined following artificial inoculation with mycelial disks inserted into stems, 15 days after planting date, when plants were at the first adult leaf stage. The D. bryoniae isolates were UnB 76 (Melon-DF), UnB 75 (Watermelon- PE) and UnB 81 (Pumpkin-DF). In the field experiment, Riviera was the most resistant genotype, with significantly (P<0.05) lower values of leaf infection at 74 and 79 DAP and the smallest area under disease progress curve (AUDPC). Crimson Sweet, Rubi, Onix and Safira were the most susceptible genotypes based on foliar disease levels 74 days after planting and also based on the AUDPCs. In the greenhouse, Riviera also presented the smallest (P<0.05) AUDPC in stems. A significant correlation (r=0.77) was detected between disease measurements in the greenhouse (stem response) and in the field (foliar response).
Licença: Horticultura Brasileira - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-05362005000400017&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 2 abr. 2014.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362005000400017
Aparece nas coleções:FIT - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.