Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/15313
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_ArquiteturaAnatomiaHistoquímicaFolhas.pdf1,68 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Arquitetura, anatomia e histoquímica das folhas de Gomphrena arborescens L.f. (Amaranthaceae)
Outros títulos: Architecture, anatomy and histochemistry of the leaves of Gomphrena arborescens L.f. (Amaranthaceae)
Autor(es): Carvalho, Suzane Margaret Fank de
Ribeiro, Dalva Graciano
Assunto: Plantas medicinais
Gomphrena arborescens
Anatomia vegetal
Fitoterapia
Cerrados - Brasil
Data de publicação: Abr-2005
Editora: Sociedade Botânica do Brasil
Referência: CARVALHO, Suzane Margaret Fank de; RIBEIRO, Dalva Graciano. Arquitetura, anatomia e histoquímica das folhas de Gomphrena arborescens L.f. (Amaranthaceae). Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 377-390, abr./jun. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062005000200021&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 8 jan. 2014.
Resumo: As folhas de Gomphrena arborescens L.f., nativa do Cerrado, são utilizadas contra dismenorréia na medicina popular. As investigações morfológica, anatômica e histoquímica das folhas visam fornecer elementos para taxonomia, para controle de qualidade de drogas e identificação microscópica de fitoterápicos. Folhas foram coletadas em Brasília, DF, nas áreas de Cerrado do Centro Olímpico da Univesidade de Brasília e na Reserva Ecológica do IBGE. Foram efetuadas análises morfológicas, anatômicas e histoquímicas. Os estudos de arquitetura foliar, densidade estomática e de vênulas terminais foram efetuados em folhas diafanizadas, apresentando médias de 42,39±15,50 estômatos mm-2 e 11,7±3,55 vênulas terminais mm-2. As folhas apresentaram duas formas de tricomas tectores. O mesofilo bilateral apresenta tecido clorenquimático disposto radialmente à bainha parenquimática completa que envolve os feixes vasculares, características da síndrome Kranz associada ao ciclo fotossintético C4. O amido concentra-se na bainha parenquimática. As folhas são ricas em celulose, drusas de oxalato de cálcio, proteínas, lignina e outros compostos fenólicos, entre eles os flavonóides. As folhas apresentam morfologia variável, mas o padrão anatômico e de venação são constantes. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Leaves of the Brazilian Cerrado plant Gomphrena arborescens L.f. are used against dismenorea in popular medicine. The morphological, anatomical and histochemical investigation aims to help taxonomy, quality control of drugs and microscopical identification of phytotherapics. The leaves have been collected in Brasília, DF, in the Olympical Center of the University of Brasilia and in the Ecological Reserve of IBGE. The leaf architecture, stomatal and veinlet densities have been studied in clarified leaves, presenting average of 42,39±15,50 stomata mm-2 and 11,7±3,55 veinlet mm-2. Leaves presented two forms of tector trichomes. The bilateral mesophyll surrounds the complete bundle sheat, features of the Kranz syndrome associated with C4 photosynthetic pathway. The starch is concentrated in the bundle sheat cells. Leaves are rich in cellulose, calcium oxalate druses, proteins, lignin and other phenolic compounds, such as flavonoids. Leaves present variable morphology, but steady pattern of anatomy and veination.
Licença: Acta Botanica Brasilica - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062005000200021&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 8 jan. 2014.
DOI: 10.1590/S0102-33062005000200021
Aparece nas coleções:BOT - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.