Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/15260
Título: Os modos de ser e agir do pianista colaborador : um estudo de entrevistas com profissionais do Centro de Educação Profissional – Escola de Música de Brasília
Autor(es): Montenegro, Guilherme Farias de Castro
Orientador(es): Azevedo, Maria Cristina de Carvalho Cascelli de
Assunto: Pianistas
Música - instrução e estudo
Socialização profissional
Música - educação profissional
Data de publicação: 28-Fev-2014
Data de defesa: 30-Set-2013
Citação: MONTENEGRO, Guilherme Farias de Castro. Os modos de ser e agir do pianista colaborador: um estudo de entrevistas com profissionais do Centro de Educação Profissional – Escola de Música de Brasília. 2013. 189 f., il. Dissertação (Mestrado em Música)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: O pianista colaborador, também conhecido como correpetidor, acompanhador e coach, é um profissional que vem atuando em diversos contextos, dentre eles, as instituições de ensino musical. Nesses espaços, o trabalho desenvolvido consiste em acompanhar outros músicos em seus repertórios cuja formação instrumental/vocal é diversificada: duos, trios, quartetos, quintetos e sextetos, e grupos corais e orquestrais. A atividade musical tem por finalidade preparar o repertório e auxiliar o músico em situações de apresentação em público, em aulas de instrumento/canto, master classes, festivais e concursos. A presença desse profissional em instituições de ensino musical estimulou a presente investigação cujo objetivo geral foi compreender como os pianistas colaboradores percebem seus modos de ser e agir na profissão. A instituição selecionada para a investigação foi o Centro de Educação Profissional – Escola de Música de Brasília (CEP – EMB), onde atuam treze pianistas colaboradores no Núcleo de Piano Acompanhamento e Correpetição (NPAC). A natureza organizacional do trabalho nesse núcleo pedagógico evidencia a formação de um grupo socioprofissional cujas interações delimitam características distintas da profissão que podem ser compreendidas no diálogo com os conceitos de “cultura profissional” e de “socialização profissional”. A metodologia está orientada por uma abordagem qualitativa cujos dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas com os profissionais do NPAC. Nos resultados, as percepções sobre os modos de ser e agir são diversificadas e influenciadas pela atuação, pela formação musical, pelas trajetórias pessoais e pelos espaços e situações do trabalho – aulas de instrumento e canto e atividades de canto coral e orquestra. A natureza relacional do trabalho do pianista colaborador provoca mudanças em sua atuação, (re)alimentam e transformam os seus modos de ser e agir. O trabalho de colaboração musical apresenta as seguintes características: as habilidades e os conhecimentos considerados importantes são de naturezas distintas (musical, pedagógica e relacional); o locus de trabalho é um espaço de formação continuada que proporciona diferentes vivências e aprendizagens; as decisões sobre o que e como fazer são orientadas a partir das necessidades pedagógicas dos alunos, que representam o foco do trabalho; a dimensão relacional da atuação com professores de instrumento/canto e maestros os fazem refletir sobre o que podem ou não interferir na preparação de repertório com os alunos; movidos pela paixão ao piano e à música, tomam consciência de seu papel como formadores de músicos profissionais e buscam constante desenvolvimento profissional. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The collaborative pianist, also known as accompanist, accompanying pianist and coach, is a professional who has been performing in different contexts, among them, the music education institutions. In those environments, the main activity is accompanying the other musicians in their musical repertoire. The musicians have instrumental and vocal diverse formations: duos, trios, quartets, quintets and sextets, and choirs and orchestras. Musical activity has the aim to prepare the repertoire and help the musician in public presentations, instrument/singing classes, master classes, festivals and contests. The presence of this professional in music education institutions has stimulated the research which has the aim to understand how the collaborative pianists notice their ways of being and acting in the profession. The selected institution for the research was Centro de Educação Profissional - Escola de Música de Brasília (CEP - EMB) (Professsional Education Centre - Brasília Music School), where thirteen collaborative pianists work in the Núcleo de Piano Acompanhamento e Correpetição (NPAC). The organizational nature of the work in this pedagogical Centre, NPAC, shows a social-professional group and its interactions determine distinct characteristics of the profession and demand a dialogue with the concepts of “professional culture” and “professional socialization”. The methodology is guided by a qualitative approach and, for data collection, semi-structured interviews with NPAC professionals were made. In the results, the perceptions of the ways of being and acting are different and influenced by the performance, musical formation, personal background and by work space and situations – instrument and singing classes, and choir or orchestra activity. The relational nature of the collaborative pianist’s work changes his/her performance, (re) feed and transform the ways of being and acting of this professional. The collaborative piano work has the following characteristics: the abilities and knowledge that are considered to be important are from distinct nature (musical, pedagogical and relational); the work locus is a continuing formation space that can provide different experiences and learning to the collaborative pianists; the decisions about what and how to do it are guided by the pedagogical student needs which are the work focus; the relational dimension of the performance with instrument/ singing teachers and maestros make them think if they can or not interfere in the student; moved by the passion for the piano and music, they become aware of their role in the professional musician formation, and they constantly look for professional development.
Descrição: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Departamento de Música, Programa de Pós-Graduação Música em Contexto, 2013.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:IdA - Mestrado em Música (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_GuilhermeFariasdeCastroMontenegro.pdf6,14 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.