Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/14255
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_RomuloVitelliRochaPeixoto.pdf2,18 MBAdobe PDFView/Open
Title: Aplicação autóloga da fração de células mononucleares (FCM) da medula óssea sobre a glândula da terceira pálpebra em cães com ceratoconjuntivite seca, e sua repercussão sobre a superfície ocular
Authors: Peixoto, Rômulo Vitelli Rocha
Orientador(es):: Galera, Paula Diniz
Assunto:: Animais domésticos - doenças
Cão - conjuntiva
Células-tronco - veterinária
Issue Date: 3-Oct-2013
Citation: PEIXOTO, Rômulo Vitelli Rocha. Aplicação autóloga da fração de células mononucleares FCM) da medula óssea sobre a glândula da terceira pálpebra em cães com ceratoconjuntivite seca, e sua repercussão sobre a superfície ocular. 2013. 72 f., il. Dissertação (Mestrado em Saúde Animal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Abstract: A ceratoconjuntivite seca em cães é uma afecção frequente na rotina clínica. Embora se verifiquem resultados satisfatórios no emprego de imunomoduladores, alguns pacientes não respondem positivamente ao uso desses fármacos, e a terapia celular pode se tornar uma alternativa ao tratamento convencional. Objetivou-se avaliar os efeitos da aplicação de fração autógena de células mononucleares (FCM) da medula óssea na região periglandular da terceira pálpebra, sobre a superfície ocular de cães com CCS. Foram selecionados 15 pacientes (25 olhos acometidos) provenientes do Serviço de Oftalmologia Veterinária da FAV/UnB, sendo nove machos e seis fêmeas, de dez raças distintas. Para inclusão neste estudo, os indivíduos apresentaram valores inferiores à 10mm/min ao teste lacrimal de Schirmer (TLS). Eles foram submetidos ao TLS, à tonometria de aplanação, à biomicroscopia com lâmpada em fenda, ao tempo de ruptura do filme lacrimal (TRFL), ao teste da lissamina verde e ao teste da fluoresceína, semanalmente, durante 16 semanas consecutivas. Realizou-se, neste mesmo período, avaliação quanto à hiperemia e à secreção ocular, à quemose e à transparência corneal. A medula óssea foi coletada mediante punção pelo esterno, a FCM foi isolada por centrifugação e o pellet contendo a FCM foi aplicado na região periglandular da terceira pálpebra no dia inicial do estudo. Realizou-se biopsia da conjuntiva bulbar temporal superior para avaliação do grau de inflamação e quantificação das células caliciformes no dia da aplicação da FCM e 16 semanas após a mesma. Os resultados obtidos foram avaliados empregando-se teste t-Student e descritos em um gráfico de pontos acompanhado de regressão linear. Verificou-se aumento dos valores do TLS até a sexta semana após o tratamento, seguindo-se diminuição do TLS, mas nos dois momentos não ocorreu diferença estatisticamente significativa dos valores iniciais. Quadro semelhante foi observado com a avaliação dos parâmetros clínicos. Entretanto, o TRFL aumentou ao término das avaliações, bem como a impregnação por lissamina verde foi menor do que a verificada previamente ao tratamento. A inflamação conjuntival foi classificada como inferior, estável e superior aos valores iniciais em 30%, 40% e 30% dos olhos, respectivamente. A média no número de células caliciformes aumentou de 78,3 células/campo para 161 células/campo, verificando-se melhora em 50% dos olhos avaliados, estabilidade em 20% e piora em 30%. Diante das condições experimentais descritas, conclui-se que o uso da fração de células mononucleares da medula óssea aumentou a quantidade de células caliciformes conjuntivais, além de melhorar parâmetros de avaliação da superfície ocular. Desta forma tornando-se uma opção promissora para o tratamento da CCS canina, conferindo melhora à superfície ocular dos pacientes acometidos pela ceratoconjuntivite seca. O efeito de plasticidade celular e a ação anti-inflamatória da FCM sobre a glândula da terceira pálpebra merecem maiores investigações. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT
The keratoconjunctivitis sicca in dogs is a common condition in clinical practice. While there are satisfactory results in the use of immunomodulators, some patients do not respond positively to these drugs, and cell therapy may become an alternative to conventional treatment. This study aimed to evaluate the effects of the application of autologous mononuclear cell fraction (MCF) bone marrow periglandular in the region of the third eyelid, on the ocular surface of dogs with CCS. We selected 15 patients (25 affected eyes) from the Department of Veterinary Ophthalmology FAV/UNB, nine males and six females, ten distinct breed. For inclusion in this study, subjects had values below the 10mm/min the Schirmer tear test (STT). They were submitted to TLS, the applanation tonometry, slit lamp examination with the slit lamp, the breakup time of the tear film (BUT), the test of lissamine green and fluorescein test weekly for 16 consecutive weeks. Took place in the same period, evaluation as to hyperemia and ocular discharge, the chemosis and corneal transparency. Bone marrow was collected by puncture of the sternum, MCF was isolated by centrifugation and the pellet containing the MCF was applied in the region of the third eyelid periglandular the initial day of the study. Held biopsy superior temporal bulbar conjunctiva for assessing the degree of inflammation and quantification of goblet cells on the day of application of MCF and 16 weeks thereafter. The results were analyzed employing Student's t test and described in a scatterplot accompanied by linear regression. An increase in the values of the TLS until six weeks after treatment, followed by reduction of the TLS, but the two moments not statistically significant difference from baseline. A similar picture was observed with assessment of clinical parameters. However, BUT increased at the end of the evaluations, as well as lissamine green impregnation was lower than that determined prior to treatment. The conjunctival inflammation was ranked lower, stable and superior to the initial values by 30%, 40% and 30% of eyes, respectively. The mean number of goblet cells increased from 78.3 cells / field to 161 cells / field, verifying an improvement in 50% of eyes evaluated, stability in 20% and worsened in 30%. Given the experimental conditions described, it is concluded that the use of the fraction of bone marrow mononuclear cells increased the amount of conjunctival goblet cells, and improve evaluation parameters of the ocular surface. Thus making it a promising option for the treatment of canine CCS, giving improves the ocular surface of patients suffering from keratoconjunctivitis sicca. The effect of cellular plasticity and anti-inflammatory action of MCF on the gland of the third eyelid deserve further investigation.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2013.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:FAV - Mestrado em Saúde Animal (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/14255/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.