Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/14211
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2013_JulianaFernandesdaSilva.pdf5,12 MBAdobe PDFView/Open
Title: Filhos do Aventureiro : um olhar para gênero, transmissão de saberes, unidades de conservação e turismo
Authors: Silva, Juliana Fernandes da
Orientador(es):: Woortmann, Ellen Fensterseifer
Assunto:: Família - vida e costumes sociais - Grande, Ilha (RJ)
Grande, Ilha (RJ) - cultura e turismo
Turismo - aspectos sociais
Mulheres - emprego - Grande, Ilha (RJ)
Issue Date: 27-Sep-2013
Citation: SILVA, Juliana Fernandes da. Filhos do Aventureiro: um olhar para gênero, transmissão de saberes, unidades de conservação e turismo. 2013. 241 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Turismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Abstract: Esse trabalho se propõe a analisar como acontece a transmissão de saberes para os “Filhos do Aventureiro”, nas relações de parentesco e compadrio. Com o trabalho partilhado em família, há também uma divisão do trabalho por gênero, com atividades predominantemente femininas, nas roças, nas casas e nos quintais, ou masculinas, no mar; porém relativizada mediante a “complementaridade” entre os gêneros. As Unidades de Conservação sobrepostas ao Aventureiro, se os protegeram da especulação imobiliária, por outro lado, foram uma apropriação por parte do Estado, cerceando não apenas o espaço físico mas também as práticas culturais da população, principalmente nas atividades femininas. Com os cerceamentos, tiveram que adaptar-se a uma dimensão moderna: a do Turismo, em que a relação de gêneros é tida em par de equidade. Os turistas tornam-se, de certa forma, “membros temporários” da família, passando de clientes a amigos em alguns casos. O Turismo possibilita um diálogo entre os saberes tradicionais e modernos. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work aims to analyse how occurs transmission of knowledge for “Aventureiro’s Children”, in kinship and compadrio relations. On work shared with family, there is a gender division of work, with predominantly feminine activities in roças, at home and in backyards, or masculine, on the sea, although it turns relative due to traditional gender “complementarity”. If protected areas superposed to Aventureiro protected them from build’s speculation, on the other hand, it meant a State appropriation, limiting not only their area but also community’s culture, mainly feminine activities. Because of limitations, they had to adapt themselves to a modern dimension: Tourism dimension, in which gender relation is based on trust, in equity state. Tourists become kind of “temporary members” of family, turning from clients to friends in some cases. Tourism enables a dialogue between traditional and modern knowledge.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Excelência em Turismo, Programa de Pós-Graduação em Turismo, 2013.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Appears in Collections:CET - Mestrado Profissional em Turismo (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/14211/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.