Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1412
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_2008_JoseJaimeFMacedo.pdf513,23 kBAdobe PDFView/Open
Title: As narrativas da nação : Caribe anglo-francês e Brasil : um ensaio contrastivo
Authors: Macedo, José Jaime Freitas
Orientador(es):: Rennó Junior, Lucio Remuzat
Assunto:: Subalternidade
Pós-colonialidade
Raça negra
Identidade étnico-racial
Projeto nacional
Insurgência
Poder
Issue Date: 4-Mar-2009
Citation: MACEDO, José Jaime Freitas. As narrativas da nação: Caribe anglo-francês e Brasil: um ensaio contrastivo. 2008. 140 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais)-Universidade de Brasília, Brasília, 2008.
Abstract: Esta tese em forma de ensaio sobre o pensamento social na América Latina e Caribe investiga a relação entre a construção de discursos identitários afirmativos da condição negra e o desenvolvimento de projetos nacionais através da análise do processo de elaboração do discurso produtor da identidade negra e sua relação com a construção de um projeto nacional que contemple esta perspectiva identitária no Caribe anglofrancês e no Brasil, através de um estudo contrastivo, tornando-se um projeto de poder. Na Jamaica trabalho com Marcus Garvey, Claude McKay e C.L.R. James. No Haiti estudo os revolucionários haitianos e o processo de Independência deste País. No Brasil estudo aqueles que considero clássicos para entender esta questão – Nina Rodrigues, Gilberto Freyre, Guerreiro Ramos e Florestan Fernandes – que significam concepções diferentes de explicação do Brasil. Faço um estudo contrastivo, discutindo conceitos que ajudam a entender a identidade étnica, a identidade nacional, a idéia de Projeto Nacional desses países e a noção de insurgência. Outros conceitos importantes são: negritude, mestiçagem, cidadania, nação, inclusão/exclusão, autonomia, concepção de diferenças, Modernidade, Pós-modernidade. Além disso, relaciono-os com o conceito de Outro expresso por Homi Bhabha e pelos Estudos da Subalternidade, que toma o Outro como um sujeito não-europeu que é protagonista da sua história. A Teoria da Pós-colonialidade parte de uma perspectiva que não trabalha com a idéia de outro, mas com a de dialogante. O discurso da Pós-colonialidade reflete-se nas insurgências sendo ele próprio uma das formas de expressão destas insurgências. A Teoria da Pós-colonialidade dialoga com a Escola da Subalternidade, através de Homi Bhabha, além de autores como Edgardo Lander, Fernando Coronil, Alejandro Moreno, Santiago Castro-Gómez, Arturo Escobar e Francisco López Segrera que produzem inúmeras reflexões críticas ao eurocentrismo. Estes dois discursos formam aqui que chamo de Campo Discursivo da Subalternidade/Pós-colonialidade. Também busco subsídios nas leituras pós-modernas de Zigmunt Bauman. ____________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This thesis in rehearsal form about the social thought in Latin America and Caribe investigates the relation between the construction of identify discourse that’s affirmative of condition of black person and the development of national projects by the analysis of elaboration of discourse productor of the black person identity. And it’s relation with the construction of national project that contemplates this identity perspective in the Anglo-French Caribe and in Brazil, by a contrastive study, becoming into a project of power. In Jamaica I work with Marcus Garvey, Claude McKay and C.L.R James. In Haiti I study Haitian revolutionaries and the Independence process of this country. In Brazil I study those that I consider classics to understand this question – Nina Rodrigues, Gilberto Freire, Guerreiro Ramos and Florestan Fernandes – that means different conceptions of Brazil’s explanation. I do a contrastive study, arguing concepts that helps to understand ethnic identity, national identity, the National project idea of these countries and the breed, citizen ship, nation inclusion/exclusion, autonomy conception of dispute, Modernity, post modernity. Furthermore, I connect them to the concept of other expressed by Homi Bhabba and by Subalternity Studies that takes the other like a non European one that is the protagonist of it’s story. The post coloniality theory starts from a perspective that doesn’t works with the idea of the other but as discoursing, the Post-Coloniality arguing is reflected in insurgencies, the Post- Coloniality theory dialogs with the Subalternity School, thought Homi Bhabba, further authors like Edgardo Lande, Fernando Coronil, Alejandro Moreno, Santiago Castro Gómes, Arturo Escobar e Francisco López Segrera that produces many reflexion about eurocentrism, these both arguing integrates what I call. Discussing field of Subalternity/Post-Coloniality, therefore I search fot aid in post modern readings of Zigmunt Banman.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, 2008.
Appears in Collections:ELA - Doutorado em Estudos Comparados sobre as Américas (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/1412/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.