Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/14055
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_SobreDissensaoMetafisica.pdf197,17 kBAdobe PDFView/Open
Title: Sobre a dissensão com a metafísica da música schopenhaueriana: contextualizando a anotação 12[1] na filosofia do jovem Nietzsche
Other Titles: Reflections on the dissension with Schopenhauer’s metaphysics of music : the status of the posthumous fragment 12[1] within the young Nietzsche’s philosophy
Authors: Garcia, André Luis Muniz
Assunto:: Nietzsche, Friedrich Wilhelm, 1844-1900
Schopenhauer, Arthur, 1788-1860
Música
Linguagem
Issue Date: Jan-2011
Publisher: Grupo de Trabalho Nietzsche (GT-Nietzsche) da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (ANPOF) em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)
Citation: GARCIA, André Luis Muniz. Sobre a dissensão com a metafísica da música schopenhaueriana: contextualizando a anotação 12[1] na filosofia do jovem Nietzsche. Estudos Nietzsche, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 23-42, jan./jun. 2011.
Abstract: O presente artigo tem por objetivo interpretar o contexto no qual se insere a famosa anotação 12[1], na qual Nietzsche teria esboçado não só uma dissenção com a metafísica da música de Schpenhauer, mas, sobretudo, uma nova concepção de linguagem, agora não mais enquanto elemento mediador da expressão, pela arte, do “em si” do mundo. Para tanto, pretendemos mobilizar alguns argumentos presentes não apenas no material póstumo do jovem Nietzsche (o assim chamado Nachlass), mas também na sua primeira obra, O Nascimento da Tragédia, perseguindo assim três tópicos temáticos: (i) a relação entre música e representação em torno do conceito de “ideia poética”; (ii) a vontade como “objeto” da música, a fim de caracterizar a dissensão “não publicada” com Schopenhauer e (iii) interpretação d’O Nascimento da Tragédia a partir de uma metafísica da música enquanto investigação sobre o estatuto da linguagem musical como produto prefigurado artisticamente pela natureza. ______________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The present article aims to analyze the context in which the famous posthumous fragment 12[1] was written. In that fragment, Nietzsche would outline not only the dissention with Schopenhauer’s metaphysics of music, but also his new conception of language, not anymore being understood as immediate expression, through art, of the “itself” of the world in 12[1]. For that reason, we articulate arguments present not only in the young Nietzsche’s ‘Nachlass’, but also in his first work, The Birth of Tragedy, attempting to elucidate three thematic topics: (i) the relationship between music and representation around the concept of “poetic idea”; (ii) will as “object” of music, in order to characterize the “unpublished” dissension with Schopenhauer; and (iii) interpretation of The Birth of Tragedy, from the point of view of metaphysics of music, as an investigation into the statute of musical language as an artistically prefigured product of nature.
Description: O presente artigo é parte levemente modificada do segundo capítulo da dissertação de mestrado do autor, defendida em abril de 2008 junto ao Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Estadual de Campinas, sob orientação do professor Oswaldo Giacoia Jr.
Licença:: Licenciado sob uma Licença Creative Commons (by-nc).
DOI: https://dx.doi.org/10.7213/estudosnietzsche.6054
Appears in Collections:FIL - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/14055/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.