Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/13663
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_LeonelAntunesM.R.daSilva.pdf629,87 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Nietzsche : combate político contra a fraqueza
Autor(es): Silva, Leonel Antunes M. R. da
Orientador(es): Bensusan, Hilan
Assunto: Nietzsche, Friedrich Wilhelm, 1844-1900
Ciência política - filosofia
Lukács, György, 1885-1971 - crítica e interpretação
Niilismo (Filosofia)
Biopolítica
Data de publicação: 23-Jul-2013
Referência: SILVA, Leonel Antunes M. R. da. Nietzsche: combate político contra a fraqueza. 2013. 99 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: Este trabalho buscou lidar com as questões políticas envolvidas na obra de Nietzsche. Para isso foi necessário mostrar como, do desenvolvimento do niilismo, as relações políticas surgem desde a natureza, atravessando a humanidade e a ultrapassando, nas relações de forças cujo resultado é a supremacia dos fracos sobre os fortes. O primeiro capítulo mostra, através do método nietzschiano da Genealogia, como, desde as origens do humano, se instaurou uma tal supremacia. O segundo capítulo parte em direção a apropriação que Georges Bataille, a partir dos anos 30, faz dos problemas levantados por Nietzsche; sua defesa contra a apropriação fascista, expondo os incômodos centrais nas tentativas de assimilar Nietzsche a uma plataforma política tradicional, e ainda, como através dos conceitos de transgressão e comunidade ligados a experiência interior, ela pode ser repensada. A terceira parte considera as tentativas de Lukács e Losurdo de tomar Nietzsche como um defensor das elites e do status quo e entende-lo como incompatível com ideais de esquerda. Uma conclusão apresenta algumas perspectivas para uma política nietzschiana. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work endeavors to deal with political issues around Nietzsche’s work. It shows how nihilism entails, from political relations in nature to the scope of what is beyond human, the overpowering of the strong by the weak. The first chapter shows, through Nietzsche’s genealogical method, how such a supremacy of the weak was established. The second chapter considers the use George Bataille made of some of Nietzsche’s ideas to argue against, and not in favor, all kinds of fascism. Bataille makes explicit the troubles associated to the attempts to assimilate Nietzsche to traditional political platforms and how politics can be rethought in terms of community and inner experience. The third chapter explores the attempts of Lukács to show that Nietzsche was a defender of the elites and of the status quo and therefore incompatible to the ideals of any left. Finally, a conclusion presents some avenues for a Nietzschean politics.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Filosofia, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, 2013.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:FIL - Mestrado em Filosofia (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.