Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/13061
Título: Aspectos críticos do controle da febre amarela no Brasil
Título(s) alternativo(s): Critical aspects of yellow fever control in Brazil
Autor(es): Tauil, Pedro Luiz
Assunto: Febre amarela
Febre amarela - vacina
Epidemiologia
Aedes aegypti
Data de publicação: 2010
Editor: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Citação: TAUIL, Pedro Luiz. Aspectos críticos do controle da febre amarela no Brasil. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n.3, p. 555-558, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v44n3/1665.pdf>. Acesso em: 7 maio 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010005000014. _______________________________________________________________________________________
TAUIL, Pedro Luiz. Critical aspects of yellow fever control in Brazil. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n.3, p. 555-558, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v44n3/en_1665.pdf?>. Acesso em: 7 maio 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010005000014.
Resumo: São apresentados aspectos epidemiológicos e do controle da febre amarela no Brasil, considerando os ciclos de transmissão silvestre e urbano. Sem registros de transmissão no Brasil desde 1942, houve casos de febre amarela urbana em 2008 no Paraguai, depois de mais de 50 anos sem essa ocorrência nas Américas. A redução do número dos casos silvestres e a manutenção da eliminação dos casos urbanos são os dois principais objetivos do controle da febre amarela no Brasil. Embora haja consenso quanto às medidas que devem ser tomadas nas áreas endêmicas para a forma silvestre, isso não ocorre em relação às áreas infestadas pelo Aedes aegypti. São discutidos argumentos favoráveis e contrários à expansão da área de vacinação. Há necessidade de estudos ambientais e entomológicos para o reconhecimento de áreas receptivas para transmissão silvestre, mesmo que estejam silentes há muitos anos. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This paper presents epidemiological and control characteristics of yellow fever in Brazil, taking its wild and urban transmission cycles into consideration. No urban cases have been reported in Brazil since 1942, but urban yellow fever cases were reported in Paraguay in 2008, after more than 50 years without registered cases in the Americas. The two main objectives of yellow fever control programs in Brazil are to reduce the number of wild cases and to maintain zero incidence of urban cases. Although there is a consensus regarding control measures that should be applied in areas endemic for the wild form, this is not so in relation to areas infested by Aedes aegypti. The arguments for and against expansion of the vaccination area are discussed. Environmental and entomological studies are needed so that areas receptive to wild-type transmission can be recognized, even if they have been silent for many years.
Licença: Revista de Saúde Pública - Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102010000300020&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 30 maio 2013.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010005000014
Aparece nas coleções:FMD - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_CriticalAspectosYellow.pdfArtigo em inglês39,91 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
ARTIGO_AspectosCriticosControle.pdfArtigo em português42,29 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.