Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/12951
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CAPITULO_ViolenciaAcidentesComo.pdf7,77 MBAdobe PDFView/Open
Title: As violências e os acidentes como problemas de saúde pública no Brasil : marco das políticas públicas e a evolução da morbilidade durante os 20 anos do Sistema Único de Saúde
Authors: Duarte, Elisabeth Carmen
Monteiro, Rosane Aparecida
Mascarenhas, Márcio Dênis Medeiros
Silva, Marta Maria Alves da
Assunto:: Violência
Acidentes - saúde
Saúde pública
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Políticas públicas
Issue Date: 2009
Publisher: Ministerio da Saúde - FS
Citation: DUARTE, Elisabeth Carmen et al. As violências e os acidentes como problemas de saúde pública no Brasil: marco das políticas públicas e a evolução da morbilidade durante os 20 anos do Sistema Único de Saúde. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. p. 311-336. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/saude_brasil_2008_web_20_11.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2013.
Abstract: Introdução: Os acidentes e violências representam um sério problema de saúde pública no Brasil, o que impõe desafios importantes ao Sistema Único de Saúde (SUS). Objetivo: Descrever a magnitude e as tendências da morbidade hospitalar e mortalidade por acidentes e violências no Brasil e descrever as principais respostas institucionais para o enfrentamento do problema das causas externas no Brasil, analisando o contexto do SUS e de políticas intra e intersetoriais selecionadas. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo da situação e tendências da mortalidade e morbidade hospitalar por causas externas (acidentes e violências), em anos recentes, análise documental e revisão da literatura pertinente. Os indicadores estudados foram estimados a partir de dados secundários originados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS) e dados populacionais do IBGE. A análise da situação das internações e mortalidade por causas externas no Brasil aponta um cenário ainda dramático. As quedas e os acidentes de transporte terrestre (ATT) são as principais causas de internações. Altas taxas de mortalidade são atribuídas a acidentes de transporte e homicídios. No entanto, um conjunto de indicadores aponta para certa melhoria em anos recentes, tais como: estabilização (com ligeira tendência de decréscimo) do risco de morte por ATT e decréscimo, em anos recentes, da taxa de mortalidade por homicídios, em especial daquelas vinculadas às armas de fogo. Ao longo dos 20 anos do SUS grandes avanços puderam ser notados no que se refere à formulação e implantação de políticas públicas com protagonismo ou colaboração do setor saúde, para o enfrentamento dos determinantes e das consequências das causas externas no Brasil. Apesar de alguns indícios de impacto, outros estudos são necessários para monitorar esses impactos na prevenção da morbimortalidade por causas externas no Brasil e na promoção da saúde e da cultura de paz.
Licença:: © 2009 Ministério da Saúde. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial. Fonte: verso da folha de rosto do livro digital Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/saude_brasil_2008_web_20_11.pdf. Acesso em: 25 abr. 2013.
Appears in Collections:FMD - Livros e capítulos de livros

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/12951/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.