Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/12815
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_BrunoEdsonChaves.pdf5,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Aspectos anatômicos da raiz e lâmina foliar de Saccharum L. (POACEAE) nativas do Brasil
Autor(es): Chaves, Bruno Edson
Orientador(es): Ribeiro, Dalva Graciano
Assunto: Botânica - classificação
Anatomia vegetal
Gramínea
Data de publicação: 17-Abr-2013
Referência: CHAVES, Bruno Edson. Aspectos anatômicos da raiz e lâmina foliar de Saccharum L. (POACEAE) nativas do Brasil. 2012. 260 f., il. Dissertação (Mestrado em Botânica)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Resumo: O trabalho visa estudar as estruturas anatômicas das raízes e lâminas foliares de Saccharum angustifolium (Nees) Trin., S. asperum (Nees) Steud. e S. villosum Steud. e duas prováveis espécies novas (Saccharum sp. 1 e Saccharum sp. 2), enfocando aspectos de importância taxonômica e ecológica. As espécies foram avaliadas qualitativamente e quantitativamente. A anatomia radicular revelou valor taxonômico e mostrou que plantas que se desenvolvem em condições semelhantes tendem a ser anatomicamente mais próximas. Para a anatomia da lâmina foliar aplicada a taxonomia ainda foi utilizada S. ravennae (L.) L. como grupo externo. A anatomia da lâmina foliar, apesar de possuir caracteres comuns a outras espécies de Andropogoneae e Panicoideae, mostraram variações anatômicas, destacando-se o uso das características em secção transversal, secção paradérmica da face abaxial da ala, do bordo e da epiderme da região da nervura central em vista frontal que melhor delimitam as espécies. As espécies separaram-se em dois grupos: S. ravennae e espécies nativas. É provável que as características distintivas destes dois grupos sejam peculiares aos subgêneros Saccharum e Erianthus, respectivamente. Das espécies analisadas S. villosum é a que possui maior ocorrência/distribuição no Brasil, o que refletiu na sua diversidade morfológica e anatômica. Desta forma, também foram estudadas as variações intraespecíficas e a influencia de fatores ambientais nas características estruturais da lâmina foliar desta espécie. Com base em caracteres anatômico-taxonômicos acredita-se que a variedade anatômica apresentada por estes espécimes seja porque mais de uma espécie esteja envolvida dentro da sua atual descrição. Ecologicamente, verificou-se que 42,839% da variação apresentada por S. villosum, em sua circunscrição atual, é explicada por fatores ambientais, sendo a temperatura o fator mais relacionado às variações estruturais. Admitiu-se ainda escleromorfismo oligotrófico para esta espécie, uma vez que possui uma série de características xeromórficas mesmo em ambientes brejosos.
Informações adicionais: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Biológia, Departamento de Botânica, 2012.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições:Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Aparece nas coleções:BOT - Mestrado em Botânica (Dissertações)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.