Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1238
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_2007_ElianaTrindade.pdf667,29 kBAdobe PDFView/Open
Title: Filhos de Baco : adolescência e sofrimento psíquico associado ao alcoolismo paterno
Authors: Trindade, Eliana Mendonça Vilar
Orientador(es):: Costa, Liana Fortunato
Assunto:: Alcoolismo - aspectos sociais
Família
Adolescência
Issue Date: 15-Jun-2007
Citation: TRINDADE, Eliana Mendonça Vilar. Filhos de Baco: adolescência e sofrimento psíquico associado ao alcoolismo paterno. 2007. 201 f. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: Esta tese é o resultado de um estudo qualitativo baseado na Epistemologia Qualitativa e tem como foco central três grandes complexidades humanas: o sofrimento, a família e a Patologia, aqui representada pelo alcoolismo paterno. O objetivo principal foi o de delinear novas compreensões sobre o sofrimento psíquico de filhos de alcoolistas adolescentes, levando em conta a subjetividade destes adolescentes. A análise do discurso e das falas dos adolescentes permitiu explicitar as nuances dos processos de subjetivação do sofrimento através de uma Epistemologia de construção e não de resposta. A fecundidade da Epistemologia Qualitativa ficou patente no decorrer da pesquisa, já que enriqueceu o processo de análise qualitativa do sofrimento de filhos de alcoolistas, por meio da interpretação de configurações de sentido emergidas da análise dos relatos dos sujeitos do estudo. Durante a análise foram emergindo alguns padrões de sentido através do diálogo com os adolescentes. Foram utilizados os seguintes instrumentos no estudo: Questionário de Identificação do Sujeito, Questionário Fechado de Família, Instrumento Aberto de Família e Instrumento de Completamento de Frases. Os indicadores elaborados por meio de análise construtivo-interpretativa levaram à construção de três zonas de sentido acerca da configuração subjetiva do sofrimento de filhos de alcoolistas, denominadas: “Buscando Compreender o Sentido do Sofrer”; “Investimento no Eu Pessoal: A Configuração da Subjetividade de Adolescentes Filhos de Alcoolistas”; e “A Gênese Familiar do Sofrimento de Adolescentes”. O estudo forneceu subsídios para uma melhor compreensão de aspectos qualitativos do sofrimento de filhos de alcoolistas por meio de um olhar não focado na patologia e nos problemas vividos por este grupo. Neste sentido, a análise das falas permitiu a elaboração de críticas ao modelo biomédico predominante na literatura especializada, cujo enfoque patologizante aponta predominantemente para aspectos deficitários de adolescentes filhos de alcoolistas. A teoria sistêmica e o conceito de resiliência mostraram-se úteis, na medida em que colocam em evidência recursos de saúde, presentes na vida desses adolescentes. O foco na adolescência de famílias pobres carreia uma relevância social e é abrangente, pertinente e estratégico, já que aborda uma fase crucial da vida em termos de escolhas. O sofrimento é visto como realidade humana inexorável e que pode ser conotado positivamente, significando uma condição estruturante e incitante de ações humanistas e de mudanças na qualidade das relações humanas. Observou-se que o processo de individuação em adolescentes filhos de alcoolistas mostrou-se difícil. A tônica no medo retardou o processo e mostrou-se diferenciada em função do gênero. Os meninos expressaram mais o medo e insegurança em relação à própria vida e ao futuro e as meninas expressaram mais o medo e insegurança em relação às suas ligações afetivas. Observou-se que além da ausência de um perfil típico para estas famílias, o sofrimento familiar mostrou-se associado à falta de redes sociais e ao forte estigma social do alcoolismo. A conotação positiva do sofrimento representa condição essencial para o desenvolvimento da saúde psíquica de adolescentes filhos de alcoolistas e para a construção de contextos resilientes. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The thesis is the result of the qualitative study based on the Qualitative Epistemology. It is centered in three important human complexities: suffering, family and Pathology; the latter here represented through paternal alcoholism. The main objective of the study is to indicate new ways of understanding children of alcoholics, taking into account the subjectivity of these specific adolescents. An analysis of the adolescents' speeches allowed explicitation of teenagers processes of suffering through a construction Epistemology and not of answer. The fecundity of Qualitative Epistemology become patent during the research, and already making the process more clear by using a qualitative analysis of the alcoholics’ children suffering, through the interpretation of the reports of the subjects. Patterns of meaning were emerging from the dialogue with the adolescents during the analysis. The following instruments were used in the study: Questionnaire for the Personal Identification, Closed Questionnaire for the Family and an Open Tool Asking the Adolescents to Finish Sentences. The indicators developed throughout the process of constructive and interpretative analysis lead to three zones of meaning and helped to describe the subjective suffering of sons and daughters of alcoholics. These zones are: “Exploring the Meaning of Suffering”; “Investment in the Ego: the Configuration of the Subjectivity of Adolescents whose Parents are Alcoholics and “The Genesis of the Suffering in the Family”. The study helped to better understand the qualitative aspects of suffering of sons and daughters whose parents are alcoholics by not focusing on the pathology and the problems of this group. In this sense the analyses of the adolescents` discourse allowed the development of criticism of the biomedical model, still dominant in literature. This model emphasizes the pathological aspects, stressing predominantly deficiencies in adolescent development. The systemic theory and the concept of resilience have shown to be useful as they stress health resources, present in the lives of the studied adolescents. The focus on adolescence in low income families is of social relevance and, at the same time strategic, as this phase is a crucial turning point for choices in life. Suffering is seen as an inexorable human condition which has a potential positive meaning, here understood as a structuring condition and inciting humanistic actions and change in the quality of human relations. It was observed that the individuation process in adolescents alcoholics' children seems to be difficult. The tonic of the fear delays the process and it is shown differentiated in function of the gender. The boys expressed more the fear and insecurity in relation to the own life and to the future and the girls expressed more the fear and insecurity in relation to their affectionate connections. It was observed that besides the absence of a typical profile for these families, the family suffering was shown associate to the lack of social nets and the fort social stigma of the alcoholism. The positive connotation of the suffering represents essential condition for the development of the adolescents alcoholics’ children psychic health and for the construction of resilient contexts.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, 2007.
Appears in Collections:PCL - Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/1238/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.