Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1227
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_2008_JaneFariasChagas.pdf1,06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Adolescentes talentosos : características individuais e familiares
Autor(es): Chagas, Jane Farias
Orientador(es): Fleith, Denise de Souza
Assunto: Adolescência
Adolescentes
Talento
Característica individual
Característica familiar
Desenvolvimento humano
Data de publicação: Jun-2008
Referência: CHAGAS, Jane Farias. Adolescentes talentosos: características individuais e familiares. 2008. 242 f. Tese (Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)-Universidade de Brasília, Brasília, 2008.
Resumo: Embora se observe um aumento no volume de pesquisas com indivíduos talentosos, especialmente nos últimos 30 anos, o desenvolvimento de talentos na adolescência é, ainda, um tema pouco investigado. Entre os tópicos emergentes para o estudo com adolescentes talentosos, destacamos a necessidade de serem focalizados aspectos do desenvolvimento humano. A partir dessa perspectiva e dos pressupostos preconizados no Modelo Bioecológico de Bronfenbrenner, essa investigação teve como objetivo descrever as características individuais e familiares de adolescentes talentosos a partir da percepção de adolescentes, seus familiares e professores. Os dados foram coletados em duas fases. Na primeira fase, os instrumentos utilizados foram: Lista de Habilidades, Interesses, Preferências, Características e Estilos de Aprendizagem, Questionário para Caracterização do Sistema Familiar, Inventário de Atitudes Parentais, na versão filhos e pais. Participaram dessa fase, 42 adolescentes com idade entre 12 e 18 anos e seus genitores ou responsáveis. Na segunda fase de coleta, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 4 adolescentes talentosos, seus familiares (4 mães, 3 pais e 5 irmãos) e professoras (3 da sala de recursos e 2 do ensino regular). Os resultados demonstraram que as habilidades, preferências, interesses, aspectos motivacionais, características pessoais e relações interpessoais e acadêmicas dos adolescentes talentosos diferiam em função do tipo de talento. Quanto ao estilo de aprendizagem, os adolescentes informaram que aprendiam melhor com atividades que envolviam a leitura e a discussão de idéias. Entre as características cognitivas e acadêmicas mais reconhecidas, nesses jovens, foram destacadas o autodidatismo, a facilidade de aprender, a dedicação aos estudos e o desempenho escolar acima da média. Da mesma forma, as características afetivas e emocionais mais percebidas foram a determinação, a timidez, a responsabilidade na execução das atividades, o envolvimento com sua área de interesse, o perfeccionismo, a criatividade e o bom humor. As relações sociais parecem ser mediadas pelas práticas e estilos parentais e foram descritas em termos da preferência pelo isolamento social, tendência a negar o talento, relação harmoniosa com os pais e pares e parcialmente conflituosa com os irmãos. Com relação às características familiares ficou evidenciado que mais da metade das famílias com adolescentes talentosos possuía uma configuração tradicional: cônjuges com filhos nascidos de sua própria união conjugal. Essas famílias priorizavam a educação e o desenvolvimento do talento dos filhos e estava envolvida em um leque variado de atividades rotineiras e de lazer. Cerca de 90% das famílias moravam em centros urbanos e eram religiosas. Os adolescentes talentosos ocupavam posição especial na família: aproximadamente 3/4 eram filhos únicos, primogênitos ou caçulas. Os resultados demonstraram que os genitores avaliavam a si mesmos de forma mais positiva quando comparados aos filhos adolescentes em todas as subescalas do Inventário de Atitude Parental: comunicação, uso do tempo, ensino, frustração, satisfação e necessidade de informação. As mães e pais tinham uma percepção bastante similar em cada uma dessas subescalas, sendo que os adolescentes avaliaram os pais de forma mais negativa. O suporte familiar e o atendimento em sala de recursos foram os dois principais fatores apontados como favoráveis ao desenvolvimento do talento. Os resultados indicaram, ainda, uma preferência maior entre os participantes pelo uso do termo talento para designar pessoas com habilidades superiores. Na discussão foram apresentadas as contribuições e limitações do estudo, a confluência das características individuais e familiares com relação a aspectos vinculados à resiliência, ao bullying, às interações e relações entre família e escola e às políticas públicas educacionais. Para pesquisas futuras recomendamos o planejamento de estudos longitudinais e transversais com adolescentes talentosos e suas famílias. ___________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Although an increase on the number of studies with talented individuals is noticed, especially during the last 30 years, the development of talents in adolescence is still a theme that is not so much investigated. Among the emerging topics for the study with talented adolescents, we highlight the need to focus on aspects of human development. From this perspective and based on the assumptions of the Bioecological Model of Bronfenbrenner, the purpose of this investigation was to describe individual and family characteristics of the talented adolescents based on the perception of adolescents, their families and teachers. The data were collected in two phases. In the first phase the instruments used were: List of Abilities, Interests, Preferences, Characteristics and Learning Style, Family Characteristics Questionnaire, Parental Attitudes Inventory, children’s and parents’ versions. In this phase, 42 adolescents aged from 12 to 18 years old and their parents or responsible ones participated. In the second phase of collection, semistructured interviews were conducted with four talented adolescents, their relatives (4 mothers, 3 fathers and 5 siblings) and teachers (3 from resources room and 2 from the regular classrooms). The results indicated that the abilities, preferences, interests, motivational aspects, personal and interpersonal characteristics and academic relations of the talented adolescents can differ depending on the type of talent. As for the learning style, the adolescents informed that they learned better with activities involving reading and discussion of ideas. Among the most acknowledged cognitive and academic characteristics of these youngsters, it can be highlighted: Autodidactism, easiness to learn, dedication to the studies and high academic performance. In the same way, the effective and emotional characteristics that were noticed were determination, shyness, responsibility for executing activities, and involvement in their area of interest, perfectionism, creativity and good humor. The social relations seem to be mediated by parental practices and styles and were described in terms of preference for social isolation, tendency to deny the talent, harmonious relationship with parents and partners and partially conflicting with siblings. Regarding to family characteristics it was evident that more than half of the families with talented adolescents had a traditional figure: spouses with children born of their own conjugal union. These families prioritized education and the development of their children’s talents and were involved in a wide range of options of routine and leisure activities. About 90% of the families lived in urban centers and were religious. The talented adolescents occupied a special position in the family: about ¾ were only children, first-borns or the youngest. The results demonstrated that the parents evaluated themselves in a more positive way when comparing to the adolescent children in all the subscales of the Parental Attitudes Inventory: communication, use of time, teaching, frustration, satisfaction and the need of information. Mothers and fathers had a very similar perception in each of these subscales, although adolescents evaluated their parents in a more negative way. Family support and services in the resources room were the two main factors listed as favorable to the development of talents. The results also indicated that the participants prefer to use the term talent to designate people with superior abilities. In the discussion were presented the contributions and limitations of the study, the confluence of individual and family characteristics related to issues of resilience, bullying, interactions and relations between family and school, and educational public policies. For future research we recommend the implementation of longitudinal and transversal studies with talented adolescents and their families.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2008.
Aparece nas coleções:PED - Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.