Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1223
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao__DeniseNogueira.pdf1,45 MBAdobe PDFView/Open
Title: Significância clínica da presença de Staphylococcus Coagulase-negativo isolados de recém-nascidos de uma unidade de terapia intensiva neonatal em Brasília - DF
Authors: Cordeiro, Denise Nogueira da Gama
Orientador(es):: Silveira, Celeste Aída Nogueira
Assunto:: Estafilococo coagulase-negativo
Sepse neonatal
Imunidade no recém-nascido
Issue Date: 2007
Citation: CORDEIRO, Denise Nogueira da Gama. Significância clínica da presença de Staphylococcus Coagulase-negativo isolados de recém-nascidos de uma unidade de terapia intensiva neonatal em Brasília - DF. 2007. 143 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Abstract: Introdução e Objetivos – Há longo tempo os S. coagulase-negativo (SCoN) vem sendo reconhecidos como contaminantes em culturas pois fazem parte da flora da pele humana e das membranas mucosas. Nas últimas décadas eles emergiram como agentes etiológicos em infecções e são tanto causas importantes de infecções da corrente sanguínea nosocomiais, principalmente nas unidades de terapia intensivas neonatais (UTIN), quanto os contaminantes mais comuns das hemoculturas. Um elemento central da imunidade inata no recém-nascido, o neutrófilo, é imaturo, com deficiência na aderência, quimiotaxia e fagocitose, o que pode de alguma maneira explicar por que estes pacientes são tão susceptíveis às infecções por esse agente infeccioso. A freqüência de sobrevivência desses pacientes tem aumentado significantemente, porém a custo de necessidade prolongada, de cateteres venosos centrais, ventilação mecânica, nutrição parenteral e tratamento antimicrobiano. Esses materiais médicos artificiais podem ser colonizados pelo estafilococo, que forma um biofilme aderente no dispositivo, resiste às defesas do hospedeiro e tem uma susceptibilidade diminuída aos agentes antimicrobianos. Sinais clínicos de sepse nos recém-nascidos são inespecíficos e marcadores hematológicos e inflamatórios tem sido indicadores úteis para a identificação dos recém-nascidos sépticos. Julgar a significância clínica do estafilococo coagulase-negativo é vital, mas frequentemente difícil nos pacientes neonatais, por que muitas vezes não é possível obter deles mais do que uma amostra de sangue para cultura. Nosso objetivo é descrever o perfil epidemiológico e a significância clínica do estafilococo coagulase-negativo, os aspectos clínicos, fatores de risco relacionados e desfechos dos recém-nascidos na UTIN e estudar a atividade de antibióticos contra esse agente. Método – Os prontuários médicos dos pacientes com hemocultura positiva para o SCoN foram examinados. Dados clínicos basais foram obtidos prospectivamente tão logo a primeira hemocultura tornou-se positiva, enquanto a determinação da significância clínica foi feita retrospectivamente, após encerramento da coleta dos dados. Resultados – Durante o estudo 526 pacientes foram admitidos na UTIN e 45 pacientes com 49 hemoculturas positivas para SCoN foram estudados. Os microrganismos mais comumentes isolados na UTIN foram as bactérias Gram-positivas (66,2%) com o SCoN como patógeno predominante (56,9%). A resistência do SCoN a oxacilina foi de 98%. Todas as linhagens foram sensíveis à vancomicina. O diagnóstico mais freqüente na admissão foi a Doença da Membrana Hialina (26,5%). Do total, 50% dos pacientes pesavam menos de 1310g e 87% nasceram com menos de 37 semanas de gestação. Sinais clínicos como febre ou hipotermia e alterações respiratórias ajudaram no diagnóstico de sepse. Foram consideradas significantes 43 cepas de SCoN nas hemoculturas (87,8%), enquanto seis (12,2%) foram contaminantes. A idade media do início da infecção foi de 19 dias, mas a sepse precoce ocorreu em 8% dos pacientes. Nos pacientes com bacteriemia verdadeira a idade gestacional foi mais baixa e o uso de cateter venoso central e nutrição parenteral mais freqüente. Contagem de neutrófilos imaturos aumentados foi relacionada à sepse e a plaquetopenia foi fator de mau prognóstico. Conclusão – Este estudo descreve o perfil epidemiológico das infecções por estafilocococoagulase numa UTIN terciária de um hospital público em Brasília. Esforços para controlar a incidência da infecção devem ter como objetivo os fatores preveníveis, em muitos casos associados com fatores externos ou dispositivos médicos invasivos e com o uso mais restrito de antibioticoterapia. ____________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Background and Objectives – Coagulase-negative staphylococci (CoNS) have been recognized as culture contaminants for a long time since they are part of normal flora of human skin and mucous membranes. In the last decades they had emerged as etiologic agents of infections and are today both an important cause of nosocomial blood-stream infections, mainly in neonatal intensive care unit (NICU) and the most common contaminants of blood cultures. A central element of innate immunity to bacterial infections in the newborn, the neutrophil, is immature with impaired adherence, cheomotaxis and fagocitosis and may go some way to explain why these patients are prone to this infeccious agent. Survival rates of these patients have increased significantly, but at the cost of a prolonged need for central intravenous catheters, mechanical ventilation, parenteral nutrition and antimicrobial treatment. These medical artificial materials can be colonized by stafilococci that form an adherent biofilm on the device that resist host defences and display a significantly decreased susceptibility to antimicrobial agents. Clinical signs of sepsis in neonates are non-specific and hematological and inflammatory markers have been useful indicators for identifications of septic neonates. Judging the clinical significance of coagulase-negative staphylococci is vital but often difficult in the neonatal patients because it is often not possible to obtain more than on blood sample for culture from them. We aimed to describe the epidemiological profiles and the clinical significance of the coagulase negative Staphylococcus, the clinical features, related risk factors and outcome of neonates in the NICU and to study the activity of several antibiotics against this agent. Methods – Patients with positive blood-culture contained CoNS in NICU have examined the medical records. Baseline clinical data were obtained prospectively as soon the first blood culture became positive whereas the determination of clinical significance was made retrospectively after discharge. Results – During the study 526 patients were admitted to the NICU and 45 patients with 49 positive blood-cultures for CoNS were studied. The most common microorganisms isolated in NICU were Gram-positive bacteria (66,2%) with CoNS as the predominant pathogen (56,9%). Resistance of CoNS to oxacillin was 98%. All strains were susceptible to vancomycin. The most frequent diagnosis on admission was hyaline membrane disease (26,5%). Of the total patients 50% weighted less than 1310g and 87% were born with at less than 37 weeks of gestation. Symptomatology such fever or hypothermia and respiratory distress helped in the sepsis diagnosis. Fortythree (87,8%) of the CoNS strains in blood cultures were considered significant, whereas six (12,2%) were contaminants; mean age of onset infection was 19 days but early sepsis occurred in 8% of patients. In the patients with true bacteriemia the gestational age was lower and the use of CVC and TPN were more frequent. High immature neutrophil count was associated with sepsis and thrombocytopenia with poor prognose. Conclusion - This study describes the epidemiological profile of CNoS infections in a tertiary NICU of a public hospital in Brasília. Efforts to control the incidence of infection should be aimed at preventable factors, in many cases associated with external or invasive medical devices and with the restrict use of antibiotic therapy.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2007.
Appears in Collections:FMD - Mestrado em Medicina Tropical (Dissertações)
UnB - Brasília 50 anos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/1223/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.