Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/1211
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_2007_DianaMilstein.pdf1,36 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: A nação na escola. Frentes políticas na cena “neutra” da escola argentina
Autor(es): Milstein, Diana
Orientador(es): Segato, Rita Laura
Assunto: Educação pública - Argentina
Etnografia
Fragmentação do Estado
Escolas públicas - desestruturação
Data de publicação: 26-Jun-2007
Referência: MILSTEIN, Diana. A nação na escola. Frentes políticas na cena “neutra” da escola argentina. 2007. 210 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Resumo: A educação pública escolar é uma das arenas políticas mais importantes na Argentina. Paradoxalmente, a idéia de neutralidade política da escola foi uma das condições básicas para que a ação escolar tivesse uma relativa eficácia e uma percepção coletiva de eqüidade. O quebrantamento desta idéia e o crescente desprestígio da educação pública escolar, produzidos em grande parte pelo processo de fragmentação do Estado e de crise social e econômica acentuados desde meados da década de 90, fizeram emergir um processo de politização inédito na tradicional escola primária. Organizei esta etnografia em torno do relato dramático de quatro episódios que mostram em detalhe as formas de fazer e estar na política que confluem na escola. Desse modo descrevo a existência de três formas de intervenção política na cotidianidade escolar, que configuram frentes nas quais diversos setores da sociedade nacional aparecem representados e em disputa na vida escolar. Esta descrição permite entender melhor os vínculos entre a fragmentação do Estado e a percepção coletiva de desprestígio e desestruturação das escolas públicas, assim como as tentativas parciais de recomposição que surgem dos próprios atores escolares no devir político das instituições. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Public school education is one of the most important political arenas in Argentina. It is a paradox that the idea of political neutrality was one of the significant conditions for a relatively efficient action of the school and a collective perception of its equity. The disintegration of the National State and the socio-economical crisis aggravated since the mid 1990’s provoked the erosion of this idea of political neutrality and the discredit of public school education. Both processes launch the emergence of politics in school, an exceptional process completely new in the traditional elementary school. I organized this ethnography around the dramatic narration of four episodes that show in detail the modes of making and being in politics that convene in the school. In this way, I describe the existence of three modes of political intervention in the daily school life. Those modes configure fronts in which different segments of the society are represented and in the school life. My description allows a better understanding of the links between the political fragmentation of the national state and the collective perception of a loss of prestige and structure of public schools. It also lets to an understanding of the partial attempts from the school actors to recompose that situation.during de political development of institutions.
Informações adicionais: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2007.
Aparece nas coleções:DAN - Doutorado em Antropologia (Teses)

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.