Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/11629
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_CaracteristicasClinicoDemograficas.PDF32,62 kBAdobe PDFView/Open
Title: Características clínico-demográficas, quedas e equilíbrio funcional de idosos institucionalizados e comunitários
Other Titles: Clinical-demografic characteristics, falls and balance of institutionalized and community-dwelling elderly
Authors: Borges, Larissa de Lima
Garcia, Patrícia Azevedo
Ribeiro, Sara Oliveira do Vale
Assunto:: Equilíbrio (Fisiologia)
Quedas (acidentes) em idosos
Idosos
Issue Date: Jan-2009
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)
Citation: BORGES, Larissa de Lima; GARCIA, Patrícia Azevedo; RIBEIRO, Sara Oliveira do Vale. Características clínico-demográficas, quedas e equilíbrio funcional de idosos institucionalizados e comunitários. Fisioterapia em Movimento, Curitiba, v. 22, n. 1, p. 53-60, jan./mar. 2009. Disponível em: <http://www2.pucpr.br/reol/index.php/RFM?dd1=2616&dd99=view>. Acesso em: 01 nov. 2012.
Abstract: INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional brasileiro tem evidenciado a instabilidade postural como importante causa de quedas, incapacidade, fragilidade e institucionalização de idosos. OBJETIVOS: O presente estudo transversal objetivou avaliar o equilíbrio funcional, os fatores de risco e a prevalência de quedas entre idosos institucionalizados e comunitários. METODOLOGIA: Participaram da pesquisa 30 idosos institucionalizados e 33 comunitários com média de idade de 74,6 e 70,7 anos, respectivamente. Os idosos foram avaliados por meio da Escala de Equilíbrio de Berg (BBS) e de um roteiro de anamnese. RESULTADOS: Os idosos institucionalizados apresentaram, discretamente, mais fatores de risco para quedas, tais como idade elevada, polifarmácia, hospitalizações frequentes, sedentarismo, queixa de tontura, quedas recorrentes, equilíbrio precário e elevado tempo de institucionalização. A pontuação total da BBS e a subescala de provas estacionárias apresentaram diferença estatisticamente significativa (p=0,04 e p=0,018, respectivamente) entre os dois grupos. CONCLUSÃO: Apesar de o estudo reforçar a presença de múltiplos fatores de risco para quedas nos dois grupos de forma equivalente, a maior instabilidade postural nos idosos institucionalizados destaca a importância clínica de se considerar as diferenças entre esses idosos e os comunitários para se traçar programas de prevenção e intervenção específicos que previnam quedas. Estudos com maior amostra e que investiguem outros fatores de risco para quedas são necessários.
Licença:: Fisioterapia em Movimento - está licenciado sob uma licença Creative Commons (Atribuição 3.0 Não Adaptada (CC BY 3.0)). Fonte: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/RFM?dd1=2616&dd99=view. Acesso em: 01 nov. 2012.
Appears in Collections:FCE-FIS - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/11629/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.