Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/11423
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_FernandaPrioreTomasi.pdf1,57 MBAdobe PDFView/Open
Title: Efeitos da estimulação elétrica ganglionar na capacidade do exercício em indivíduos jovens saudáveis
Authors: Tomasi, Fernanda Priore
Orientador(es):: Cipriano Júnior, Gérson
Assunto:: Estimulação elétrica transcutânea do nervo
Batimento cardíaco
Aptidão física
Issue Date: 15-Oct-2012
Citation: TOMASI, Fernanda Priori. Efeitos da estimulação elétrica ganglionar na capacidade do exercício em indivíduos jovens saudáveis. 2012. x, 59 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Abstract: A estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) pode aumentar o fluxo sanguíneo local, resultando em possível melhora no aporte de oxigênio aos músculos, em atividade durante o exercício. Estudo recente demonstrou que a TENS ganglionar atenua as respostas vasoconstritoras durante o exercício e a ativação metaborreflexa, associado à melhora do balanço simpatovagal em indivíduos jovens e idosos saudáveis. No entanto, ainda não se sabe dos efeitos da TENS no desempenho do exercício e na dinâmica da cinética de consumo de oxigênio (VO2). Foi testada a hipótese de que a aplicação da TENS em região ganglionar pode resultar em uma aceleração da cinética do VO2 e do pulso de oxigênio, durante exercício de carga constante e alta intensidade, além de melhorar os ajustes de frequência cardíaca (FC) e a tolerância ao exercício. Nove indivíduos (21,3 ± 2,4 anos) receberam aplicação de TENS e placebo (45 min, 80 Hz, 150 μs) em região ganglionar, em ordem aleatória. Foram registrados o consumo de oxigênio, a frequência cardíaca, o pulso de oxigênio e o tempo máximo de tolerância ao exercício (Tlim), durante teste máximo com carga constante. Para comparação das respostas, teste t pareado ou de Mann-Whitney foi utilizado, conforme distribuição. Foram consideradas diferenças estatisticamente significantes, quando p < 0,05. Quando aplicada a TENS, foi encontrado maior VO2 no pico do exercício (p < 0,05) e aceleração da cinética do VO2 e da cinética do pulso de oxigênio (p < 0,05), visto haver uma redução em suas constantes de tempo. Adicionalmente, a cinética da FC foi significativamente mais lenta e seus valores basais foram menores, quando a TENS foi aplicada. Tlim se apresentou estatisticamente maior no exercício associado a TENS (321 ± 41 vs. 390 ± 41 s; p < 0,05). Pode-se concluir que a aplicação da TENS em região ganglionar é capaz de aumentar a tolerância ao exercício e acelerar a cinética do VO2 e pulso de oxigênio, bem como diminuir a velocidade da cinética da FC de indivíduos jovens saudáveis, durante exercício de alta intensidade. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Transcutaneous electrical nerve stimulation (TENS) increases regional blood flow, which may result in improved oxygen supply in working muscles during exercise. Recent research has demonstrated that TENS applied to ganglion region attenuates vasoconstrictor responses during exercise and metaboreflex activation, associated with improved sympatho-vagal balance in healthy young and older individuals. However, the effects of TENS on exercise performance and on the dynamic oxygen uptake kinetics in healthy individuals remains unknown. We assessed the hypothesis that application of TENS at ganglion region may result in faster regulation of oxygen uptake and oxygen pulse kinetics, improve exercise tolerance and heart rate adjustments during heavy-intensity exercise. Nine healthy subjects (21.3 ± 2.4 years) were randomized to TENS (45 min, 80 Hz, 150 μs) and placebo applied on the ganglion region. Oxygen uptake, heart rate (HR), oxygen pulse and tolerance limit time were measured during heavy-intensity constant-work rate exercise performed to the tolerance limit. In order to contrast TENS and placebo responses, non-paired t or Mann-Whitney tests was used as appropriate. Statistical significance was set at p < 0.05 for all tests. Compared with placebo, subjects exhibited augmented oxygen uptake at peak exercise (p < 0.05), a faster oxygen uptake kinetics identified by a significantly reduced time constant (placebo 38.77 ± 14.09 vs. TENS 24.66 ± 3.39 s; p < 0.05), faster oxygen pulse kinetics (placebo 39.58 ± 14.45 vs. TENS 27.69 ± 1.22 s; p < 0.05) and slower HR kinetics (placebo 42.54 ± 17.41 vs. TENS 51.01 ± 17.14 s; p < 0.05). Additionally, baseline HR was statistically lower when TENS was applied, as well as its amplitude at the end of exercise test (p < 0.05). Time to exercise tolerance was significantly longer during application of TENS (321 ± 41 vs. 390 ± 41 s; p < 0.05). In conclusion, our data show that application of TENS to ganglion region is potentially able to increase exercise tolerance and accelerate oxygen uptake and oxygen pulse kinetics during heavy-intensity exercise. Data also confirm that HR can be diminished from onset to tolerance limit during heavy-intensity exercise by TENS application.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Física, 2012.
Appears in Collections:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/11423/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.