Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/11205
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_CleiltonHolandaPereira.pdf1,61 MBAdobe PDFView/Open
Title: Aptidão física relacionada à saúde, qualidade de vida e inclusão social de adolescentes participantes das Vilas Olímpicas da cidade de Fortaleza, Ceará
Other Titles: Physical fitness related to health, quality of life and social inclusion of adolescents participants from the Olympic Villages of the city of Fortaleza, Ceará
Authors: Pereira, Cleilton Holanda
Orientador(es):: Nogueira, Júlia Aparecida Devidé
Assunto:: Aptidão física - jovens
Qualidade de vida
Inclusão social
Adolescentes - saúde e higiene
Issue Date: 18-Sep-2012
Citation: PEREIRA, Cleilton Holanda. Aptidão física relacionada à saúde, qualidade de vida e inclusão social de adolescentes participantes das Vilas Olímpicas da cidade de Fortaleza, Ceará. 2012. xvii, 93 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Abstract: Diversos programas sociais que usam a atividade física para promover a saúde, qualidade de vida e inclusão social tem sido estimulados e implantados no Brasil. Apesar da relevância poucos estudos investigaram a relação entre estes temas em um programa social para adolescentes. Objetivo: Analisar a aptidão física relacionada à saúde (AFRS), qualidade de vida e inclusão social dos adolescentes integrantes das Vilas Olímpicas da cidade de Fortaleza, Ceará de acordo com o sexo, faixa etária e tempo de participação nas vilas olímpicas. Métodos: este estudo foi realizado com 344 adolescentes, de ambos os sexos, com idade entre 11 e 16 anos. Foram mensuradas a massa corporal e a estatura para a obtenção do IMC. Para a avaliação da aptidão física, foram medidas a flexibilidade, força/resistência muscular (FRM) e aptidão cardiorrespiratória (ApC) utilizando os pontos de corte estabelecidos pelo PROESP-BR como referência para os níveis desejados de cada variável analisada. A qualidade de vida foi avaliada através do questionário WHOQOL-Bref, composto pela qualidade de vida global (QVG) e pelos domínios físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente. A inclusão social foi avaliada através de um questionário composto por uma nota de inclusão social total, e seus componentes: grupos e redes; e acesso a serviços. Para análise dos dados, utilizou-se a estatística descritiva, teste t de student, de Mann- Whitney, ANOVA one-way, de Kruskal-Wallis, regressão logística binária e ordinal e correlação de Pearson. Resultados: boa parte dos adolescentes de ambos os sexos não atingiu os critérios mínimos para as variáveis da AFRS, principalmente para a ApC. Meninas apresentaram maiores chances em alcançar níveis desejados para a flexibilidade e FRM do que os meninos e adolescentes mais velhos apresentaram menores chances para a FRM. Sujeitos que participam há mais tempo possuem uma tendência em atingir níveis desejados para flexibilidade e FRM do os que participam há menos tempo. Estes adolescentes indicaram ter uma boa QVG, com as meninas possuindo menores chances em atingir uma melhor qualidade de vida no domínio físico, e adolescentes mais novos tendo maiores chances de atingir uma melhor qualidade de vida. Os valores indicam níveis regulares de inclusão social, com meninos apresentando maiores níveis que as meninas. Adolescentes que participam a mais de três anos vilas olímpicas também tendem a atingir melhores níveis de inclusão social. Conclusão: pode-se concluir que o sexo e a faixa etária apresentaram relações com AFRS, qualidade de vida e inclusão social, dependendo da variável analisada. Verificou-se que os adolescentes participantes da vila olímpica apresentaram baixos níveis para ApC, bons níveis para a QVG e níveis regulares para a inclusão social. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
Diverse social programs that use physical activity to promote health, quality of life and social inclusion has been encouraged and implemented in Brazil. Despite the relevance, just a few studies investigated the relationship between these issues in a social program for adolescents. Objective: To assess health related fitness (HRF), quality of life and social inclusion of adolescents members of the olimpic villages in Fortaleza, Ceará according to sex, age and length of participation in the olimpic villages. Methods: this study was conducted with adolescents from both sexes, with ages between 11 and 16 years. We measured body mass and height to obtain BMI. For the assessment of physical fitness were measured flexibility, muscular strength/endurance (MSE) and cardiorespiratory fitness (CF) using the cutoff points established by PROESP-BR as a reference to the desired levels of each variable analysed. Quality of life was assessed by the WHOQOL-Bref questionnaire, composed by overall quality of life (OQL) and the physical, psychological, social relationships and environmental domains. Social inclusion was evaluated through a questionnaire, composed by a inclusion total grade, and it´s components: networks and groups; and access to services. For data analysis, we used descriptive statistics, student´s t test, Mann-Whitney, one-way ANOVA, Kruskal-Wallis, binary and ordinal logistic regression, and Pearson´s correlation. Results: much of the adolescents of both sexes did not meet the minimum criteria for HRF, especially for the CF. Girls were more likely to achieve desired levels for the MSE and flexibility than boys, and older adolescents presented less chances to MSE. Persons participating for a longer time have more tendency to achieve desired levels of flexibility and MSE than those involved for less time. These adolescents reported to have a good OQL, with girls having lower chances to achieve a better quality of life in the physical domain, and younger adolescents having better chances of achieving a better quality of life. The values indicate regular levels of social inclusion, with boys showing higher levels than girls. Adolescents who participate more than three years at the olimpic villages also tend to achieve higher levels of social inclusion. Conclusion: it can be concluded that sex and age presents relations with HRF, quality of life and social inclusion, depending on the variable analyzed. Future studies should use quantitative and qualitative methods due to the complexity of assessing quality of life and social inclusion. It was found that adolescents participating at the olimpic villages had low levels for CF, good levels for OQL levels and regular levels for social inclusion.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós Graduação Strictu-Sensu em Educação Física, 2012.
Appears in Collections:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/11205/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.