Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/11001
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010_ArilsonFernandesMendoncadeSousa.pdf3,98 MBAdobe PDFView/Open
Title: Nível de conhecimento e atitudes dos professores de escolas públicas de Santa Maria - Distrito Federal sobre atividade física, nutrição e promoção da saúde
Authors: Sousa, Arilson Fernandes Mendonça de
Orientador(es):: Nogueira, Júlia Aparecida Devidé
Assunto:: Promoção da saúde
Nutrição
Educação física
Professores - Distrito Federal (Brasil)
Issue Date: 24-Jul-2012
Citation: SOUSA, Arilson Fernandes Mendonça de. Nível de conhecimento e atitudes dos professores de escolas públicas de Santa Maria - Distrito Federal sobre atividade física, nutrição e promoção da saúde. 2010. ix, 86 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2010.
Abstract: Introdução: Os objetivos deste estudo foram: descrever e ampliar, através de intervenção educativa, conhecimentos e atitudes sobre alimentação e atividade física para a saúde entre professores de escolas públicas do Distrito Federal (DF). Método: Professores de 3 centros de ensino fundamental (CEF) responderam a questionário sócio-demográfico, alimentar, atividade física, saúde e de conhecimentos sobre saúde. Um CEF recebeu intervenção ampla que consistia de um curso de 40 horas e material educativo impresso, um CEF teve a intervenção curta e recebeu material educativo impresso e breve explicação oral; e um CEF não recebeu intervenção. Resultados: Amostra de 53 professores com idade média (desvio-padrão) de 38,9 (8,5) anos, excesso de peso (55,8%), presença de sedentarismo (15,1%), doenças crônicas não transmissíveis (20,8%), além de consumo abaixo da referência para frutas (7%), verduras (2%), leite (6%), e acima para doces (11%), frituras (2%), feijão (8%) e carne (6%). O conhecimento médio (DP), pontuado de 0 a 10 pontos foi 5,5 (1,5) para atividade física e 6,6 (2,0) para nutrição sem diferença por sexo e tipo de intervenção (p>0,05). Após intervenção educativa a pontuação média (DP) do grupo da intervenção ampla com alta adesão (AA, n=20) foi para 6,8 (1,7) e 7,9 (1,1) pontos; o grupo intervenção ampla e baixa adesão (BA, n=12) foi para 7,3 (1,8) e 7,7 (0,8) pontos; o grupo intervenção curta (CURTA, n=11) foi para 5,5 (2,4) e 7,5 (1,2) pontos e o grupo sem intervenção (SEM, n=10) foi para 6,0 (1,7) e 6,9 (1,7) pontos para atividade física e nutrição, respectivamente. Discussão: Os grupos que receberam intervenção educativa melhoraram o conhecimento nutricional, a freqüência de consumo de frutas e o grupo AA melhorou também o conhecimento em atividade física (p<0,05). Os professores que afirmaram ter aplicado em sala os conhecimentos adquiridos na intervenção educativa foram: 60% AA; 41,7% BA, e 45,5% CURTA. Conclusão: Hábitos alimentares inadequados, excesso de peso, sedentarismo e DCNT foram observados. Melhora nos hábitos alimentares e conhecimentos sobre atividade física e alimentação saudável ocorreram após intervenção educativa, além disso, aplicação dos conhecimentos adquiridos. _____________________________________________________________________________ ABSTRACT
Introduction: This study aimed to describe and extend through educational intervention, knowledge and attitudes about diet and physical activity for health among public school teachers in the Federal District (DF). Method: Teachers of three centers for basic education (EFC) responded to socio-demographic questionnaire, food, physical activity, health and knowledge about health. CEF has received a broad intervention that consisted of a 40-hour course and printed educational material, CEF had one brief intervention and received printed educational material and brief oral explanation, and one received no intervention CEF. Results: The sample included 53 teachers with a mean age (standard deviation) 38.9 (8.5) years, overweight (55.8%), presence of physical inactivity (15.1%), chronic non-communicable diseases ( 20.8%), and below the reference intake for fruit (7%), vegetables (2%), milk (6%), and up for sweets (11%), fries (2%), beans (8% ) and meat (6%). The average knowledge (DP), scored 00-10 points was 5.5 (1.5) for physical activity and 6.6 (2.0) for nutrition with no difference by gender and type of intervention (p> 0.05 ). After educational intervention, the mean score (SD) group of broad intervention with high adherence (AA, n = 20) was for 6.8 (1.7) and 7.9 (1.1) points, the intervention group and large poor adherence (BA, n = 12) was for 7.3 (1.8) and 7.7 (0.8) points, the intervention group short (SHORT, n = 11) was for 5.5 (2.4 ) and 7.5 (1.2) points and the group without intervention (SEM, n = 10) was for 6.0 (1.7) and 6.9 (1.7) points for physical activity and nutrition, respectively. Discussion: The groups that received the educational intervention improved the nutrition knowledge, frequency of consumption of fruits and AA group also improved the knowledge on physical activity (p <0.05). Teachers who said they applied the knowledge acquired in class in the educational intervention were: 60% AA, 41.7% BA, and 45.5% SHORT. Conclusion: Inadequate eating habits, overweight, sedentary lifestyle and CNCD were observed. Improvement in eating habits and knowledge about healthy eating and physical activity occurred after the educational intervention, in addition, application of acquired knowledge.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Educação Física, 2010.
Appears in Collections:FEF - Mestrado em Educação Física (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/11001/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.