Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/10477
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_MutuasInterfacesProjetos.pdf158,54 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: As mútuas interfaces entre projetos e ações de educação ambiental e de gestão de recursos hídricos : subsídios para políticas de estado
Autor(es): Saito, Carlos Hiroo
Assunto: Educação ambiental
Recursos hídricos
Participação social
Empoderamento
Data de publicação: Jan-2011
Editora: ANPPAS-Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade.
Referência: SAITO, Carlos H.. As mútuas interfaces entre projetos e ações de educação ambiental e de gestão de recursos hídricos: subsídios para políticas de estado. Ambiente & Sociedade, Campinas, v. 14, n. 1 p. 213-227 jan./jun. 2011. Disponovel em:<http://www.scielo.br/pdf/asoc/v14n1/a12v14n1.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2012.
Resumo: O texto problematiza os desafios postos aos gestores públicos que lidam coma necessidade de gerir recursos para apoio a projetos de educação ambiental relacionados à gestão de recursos hídricos. As questões centrais apresentadas são:“Qual Educação Ambiental (EA) cabe fomentar?”, “Que concepção de recurso hídrico estamos assumindo?” e “Quando um projeto de EA tem a ver com recursos hídricos evice-versa?”. Estas questões são respondidas a partir do reconhecimento da legitimidade e necessidade do Estado em assumir seu papel coordenador, seletivo e indutor, e à luz de diversos estudos de caso. Argumenta-se que não basta ao Estado fomentar projetos,sendo necessário que esse mesmo Estado se estruture para ser capaz de conhecer e avaliar a magnitude e a distribuição das diferentes modalidades de apoio concedidas,assumindo também um papel investigativo de sua própria ação e prática. Acredita-se assim poder manter a coerência entre os resultados das ações e os princípios geradores das mesmas, atendendo ainda os objetivos fundamentais da educação ambiental expressas na Política Nacional de Educação Ambiental. ______________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The manuscript deals with problems handled by policy makers which needs do manage financial resources to support environ mental education projects relative to water resources management.The main questions presented are: “What kind of Environmental Education should we support?”;“Which conceptions of water resources are we taken?” and “When does a project of Enviro nmental Education have to do with water resources and vice-versa?” These questions are answered byrecognizing the legitimacy and necessity of the State to assume its coordinative, selective and inductivehole, based on several case-study. It is also said that it is not sufficient for State to only stimulate projects, and this same State should structure it self to be able to know and to evaluate the magnitude and distribution of the different kind of financial support already granted, being a researcher of it sown action and practice. This way, it is believed that it is possible to align the results of actions to the principles that generated them, in accordance with the main objectives of the Brazilian National Policy of Environ mental Education.
Licença: Ambiente & Sociedade - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S1414-753X2011000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt). Acesso em: 16 maio 2012
Aparece nas coleções:CDS - Artigos publicados em periódicos
CET - Artigos publicados em periódicos
ECL - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons