Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.unb.br/handle/10482/10365
Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_DiversidadeEstruturaDistribuicao.PDF180,12 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir
Título: Diversidade, estrutura e distribuição espacial de palmeiras em um cerrado sensu stricto no Brasil Central - DF
Outros títulos: Diversity, structure and spatial distribution of palms in a cerrado sensu stricto in Central Brazil - DF
Autor(es): Lima, Edson S.
Felfili, Jeanine Maria
Marimon, Beatriz Schwantes
Scariot, Aldicir
Assunto: Cerrados
Diversidade biológica
Palmeira
Data de publicação: Jul-2003
Editora: Sociedade Botânica de São Paulo
Referência: LIMA, Edson S. et al. Diversidade, estrutura e distribuição espacial de palmeiras em um cerrado sensu stricto no Brasil central - DF. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 26, n. 3, p. 361-370, jul./set. 2003. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042003000300009&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 25 abr. 2012.
Resumo: A diversidade, estrutura e distribuição espacial de palmeiras em um cerrado sensu stricto foi estudada. Os dados foram coletados em 21 parcelas de 20 × 50 m distribuídas aleatoriamente em 152 ha (400 × 3800 m). Os diâmetros foram adquiridos a 0,10 m acima do nível do solo. Registraram-se o estágio reprodutivo e a altura dos indivíduos. Foram identificadas seis espécies de palmeiras, totalizando 1671 indivíduos em 2,1 ha. A densidade total das espécies foi de 795,7 palmeiras.ha-1, destacando-se Syagrus flexuosa (Mart.) Becc. (41,2%), S. petraea (Mart.) Becc. (21,7%) e S. comosa (Mart.) Mart. (11,2%). As mais freqüentes foram S. flexuosa e Allagoptera leucocalyx (Drude) O. Kuntze. A área basal total foi de 0,51 m2.ha-1. S. flexuosa teve o maior VI. A distribuição de alturas e diâmetros foi quase unimodal para todas as espécies. O coeficiente de correlação entre diâmetro e altura foi baixo (r = 0,0002 a 0,1247). Syagrus comosa apresentou a maior altura (380 cm). Butia archeri destacou-se em diâmetro (6,8-21 cm). Todas as espécies apresentaram-se férteis, destacando-se B. archeri (100%). Todas as espécies tiveram padrão de dispersão agregado. Uma classificação por TWINSPAN (autovalor 0,501), separou dois grupos: B. archeri, S. comosa e S. petraea, como preferenciais para um grupo de parcelas, e A. campestris, A. leucocalyx e S. flexuosa, como menos agregada. Conclui-se que o cerrado apresenta uma rica e abundante flora de palmeiras com diferenças morfológicas e estruturais que precisam ser melhor conhecidas para se determinarem padrões da diversidade e estrutura de palmeiras para o bioma.
Abstract: The diversity, structure and spatial distribution of palms in a cerrado sensu stricto was studied. Data were collected in 21 plots of 20 × 50 m distributed randomly over a 152 ha area (400 × 3800 m). The diameters were taken at 0.10 m above the level of the soil. The reproductive stage and height per individual were recorded. Six species of palms was identified and a total 1671 individuals in 2.1 ha. The total density of the species was 796 palms.ha-1, in particular Syagrus flexuosa (Mart.) Becc. (41.2%), S. petraea (Mart.) Becc. (21.7%) and S. comosa (Mart.) Mart. (11.2%). The most frequent were S. flexuosa and Allagoptera leucocalyx (Drude) O. Kuntze. The total basal area was 0.51 m2.ha-1. S. flexuosa showed the greatest VI. The height and diameter distributions were almost unimodal, with all species. The coefficient of correlation between diameter and height was low (r = 0.0002 to 0.1247). Syagrus comosa produced the largest height value (380 cm). Butia archeri stood out in diameter (6.8-21 cm). All species were fertile, particularly B. archeri (100%). The pattern of dispersal of all species was aggregated. A classification by TWINSPAN (eigenvalue 0.501) separated B. archeri, S. comosa, and S. petraea as preferential for a group of plots and A. campestris, A. leucocalyx, and S. flexuosa as indifferent. It was concluded that the cerrado contains a rich and abundant flora of palms with morphological and structural differences that requires further research to determine patterns of diversity and structure of palms for the biome.
Licença: Revista Brasileira de Botânica - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0100-8404&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 25 abr. 2012.
Aparece nas coleções:EFL - Artigos publicados em periódicos

Mostrar registro completo do item Recomendar este item Visualizar estatísticas



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons